SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22Desenvolvimento de Ferramenta de Gestão para Avaliação de Risco Hídrico (FARH): aplicação no segmento minero metalúrgico no BrasilSimulação de cenários de uso e ocupação das terras na bacia hidrográfica do Rio Camboriú utilizando o modelo SWAT índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


RBRH

versão On-line ISSN 2318-0331

Resumo

CABRAL, Samuellson Lopes; CAMPOS, José Nilson Bezerra  e  SILVEIRA, Cleiton da Silva. Acoplamento do modelo atmosférico RAMS 6.0/ECHAM 4.1 ao modelo hidrológico SMA/HMS para operação do Reservatório Orós no semiárido brasileiro. RBRH [online]. 2017, vol.22, e32.  Epub 20-Abr-2017. ISSN 2318-0331.  https://doi.org/10.1590/2318-0331.011716071.

O planejamento e a eficiência dos recursos hídricos estão sujeitos às incertezas decorrentes dos dados de entrada de modelos climáticos e hidrológicos. Previsão de vazões afluentes a reservatórios que auxiliariam as tomadas de decisões para os diversos usos da agua, contem incertezas fundamentalmente das condições iniciais assumidas nos processos modelados. Nesse contexto o artigo avalia a eficiência do acoplamento do modelo atmosférico ao modelo hidrológico, com vistas a utilizar a previsão climática na operação sazonal do reservatório Orós, no estado do Ceará. O modelo atmosférico regional RAMS 6.0 foi forçado pelo modelo atmosférico global ECHAM 4.5, na bacia hidrográfica do Alto Jaguaribe para obtenção dos dados de precipitação. Para retirar vieses nas precipitações, foi aplicada a correção função densidade de probabilidade (PDF) nos dados simulados. Em seguida, os dados de precipitações foram inseridos no modelo hidrológico Soil Moisture Account (SMA) do Hydrologic Modeling System (HEC-HMS). Para a calibração do SMA, foi usada a função objetivo Nash-Sutcliffe. Por fim, foram avaliadas as decisões de liberação do Orós, utilizando o Heidke Skill Score (HSS). O SMA apresentou acurácia, com valores de Nash-Sutcliffe de 0,92 na fase de calibração, e 0,87 na fase de validação, mostrando ser uma alternativa de modelo precipitação deflúvio. Para as decisões na liberação de águas do reservatório, utilizando-se as previsões climáticas, obteve-se HSS =0,43. Os resultados mostram que as previsões de precipitação acopladas a um modelo hidrológico se constituem em promissora ferramenta para a operação hidrológica de reservatórios do Semiárido brasileiro.

Palavras-chave : Soil Moisture Account; Previsão de vazões; Gestão de reservatório.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )