SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número2Viruses infecting main ornamental plants: an overviewEnraizamento de estaca apicais de Angelonia integerrina Sprengel: concentrações de ácido indol-3-butírico e substratos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ornamental Horticulture

versão On-line ISSN 2447-536X

Resumo

SILVA, Tania Pires Da; ARAUJO, Fernanda Ferreira De  e  FINGER, Fernando Luiz. Longevidade de flores de amor-perfeito submetidas a reguladores de crescimento. Ornam. Hortic. [online]. 2018, vol.24, n.2, pp.103-108. ISSN 2447-536X.  https://doi.org/10.14295/oh.v24i2.1178.

Neste trabalho, objetivou-se avaliar a ação de reguladores de crescimento na senescência de flores de amor perfeito (Viola tricolor L.). No primeiro experimento, as hastes florais foram tratadas com etileno por 24 h nas concentrações 0,1; 1,0; 10; 100; 1000 µL L−1 e o controle sem o hormônio. No segundo experimento, as flores foram imersas em soluções de diferentes concentrações de ácido abscísico (ABA) contendo 5, 20, 50 e 100µM, durante um minuto e o controle com água. No terceiro experimento, o 1-metilciclopropeno (1-MCP) foi aplicado, nas concentrações de 0,5; 1,0; 1,5 g m−3 e controle sem o químico. No quarto experimento, 1-MCP e etileno foram aplicados, onde o 1-MCP foi aplicado primeiro seguido por etileno. Após os tratamentos com 1-MCP e etileno, as hastes florais foram retiradas das câmaras herméticas e mantidas em recipiente contendo água destilada a 25 °C, 10 μmol m−2 s−1 de luz fluorescente branca e 50-70% de umidade relativa, bem como após o tratamento com ABA. Flores submetidas a diferentes concentrações de etileno não apresentaram diferenças significativas entre os tratamentos quanto a senescência visual, demonstrando indícios que estas são pouco sensíveis ao etileno. O tratamento com 1000 μL L−1 levou a uma perda de massa fresca levemente superior em relação aos outros tratamentos os quais tiveram em torno de 33% de perda ao final do experimento. No experimento com ABA, as flores apresentaram perda de massa fresca semelhante entre os diferentes tratamentos, entretanto, concentrações elevadas levaram a uma breve senescência das flores. O 1-MCP aumentou a longevidade das flores de amor perfeito. Estes resultados mostram que o 1-MCP é benéfico na manutenção da turgescência em flores de amor perfeito, mesmo quando na presença de etileno exógeno, apesar de possivelmente o etileno não estar diretamente envolvido na senescência destas flores.

Palavras-chave : Viola tricolor; 1-Metilciclopropeno; ácido abscísico; etileno; longevidade.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )