SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.1 número3Comparative analysis of remifentanil versus dexmedetomidine in the incidence of pain in a post-anesthesia care unit after bariatric surgeryPrevalência da dor neuropática em pacientes com câncer índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


BrJP

versão impressa ISSN 2595-0118versão On-line ISSN 2595-3192

Resumo

CZERNAIK, Claudia Maria et al. Associação entre sintomas de disfunção temporomandibular e fatores demográficos, odontológicos e comportamentais em idosos: um estudo transversal de base populacional. BrJP [online]. 2018, vol.1, n.3, pp.223-230. ISSN 2595-3192.  https://doi.org/10.5935/2595-0118.20180044.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS:

Avaliar a gravidade dos sintomas de disfunção temporomandibular e seus fatores em idosos de uma cidade do sul do Brasil.

MÉTODOS:

Estudo observacional transversal de domicílios residenciais, com amostra probabilística por conglomerado, entrevistou e examinou 287 idosos, com idade entre 65 e 74 anos da cidade Cruz Alta, estado do Rio Grande do Sul, Brasil. O Índice Anamnésico de Fonseca foi utilizado para avaliação da disfunção temporomandibular, além de um questionário estruturado para condições socioeconômicas e um exame clínico de saúde bucal. As associações entre a variável dependente e a independente foram avaliadas pelos testes de Qui-quadrado ou Mann-Whitney, apresentadas por meio da distribuição de frequências. As análises uni e multivariada foram realizadas para verificar a associação entre a disfunção temporomandibular e as variáveis exploratórias. Para todas as análises, o nível de significância foi de 5%.

RESULTADOS:

A prevalência de sintomas de disfunção temporomandibular foi de 55,1%. No modelo multivariado final, a idade ≥70 anos (RP=0,674; 95% IC: 0,516 - 0,881) apresentou-se como fator de proteção para disfunção temporomandibular e a média de perda dentária (RP=1,022; 95% IC: 1,004 - 1,039) apresentou-se como fator de risco para disfunção temporomandibular em relação a seus respectivos controles.

CONCLUSÃO:

Os resultados demonstraram alta prevalência de sintomas de disfunção temporomandibular. A idade e a média de perda dentária foram associadas à disfunção temporomandibular. Os resultados sugerem melhorias nas condições de saúde bucal dos idosos e a importância de estudos epidemiológicos sobre disfunção temporomandibular nessa população.

Palavras-chave : Envelhecimento; Fatores de risco; Prevalência; Saúde bucal; Síndrome da disfunção da articulação temporomandibular.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )