SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 issue2Comparison of the pain pressure threshold on the pelvic floor in women with and without primary dysmenorrheaPain assessment in critical patients using the Behavioral Pain Scale author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


BrJP

Print version ISSN 2595-0118On-line version ISSN 2595-3192

Abstract

BARRETO, Igor Garcia  and  SA, Katia Nunes. Prevalência e fatores associados à dor neuropática crônica em trabalhadores de uma universidade pública brasileira. BrJP [online]. 2019, vol.2, n.2, pp.105-111.  Epub June 19, 2019. ISSN 2595-3192.  http://dx.doi.org/10.5935/2595-0118.20190020.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS:

Embora seja um problema de saúde pública, a prevalência de dor crônica, especialmente em trabalhadores, é subestimada. O presente estudo teve o objetivo de estimar a prevalência de dor crônica e de dor neuropática crônica em trabalhadores de uma instituição pública federal e identificar os fatores associados.

MÉTODOS:

Estudo de corte transversal conduzido em amostra aleatória estratificada de servidores de uma instituição de ensino superior federal, entre outubro de 2017 e março de 2018. Foram aplicados questionários padronizados envolvendo características sociodemográficas e hábitos de vida. Para os que tinham dor crônica (duração igual ou maior que três meses), foram também aplicados um questionário de características dolorosas, envolvendo um mapa corporal, a escala visual analógica e o questionário de dor neuropática Doleur Neuropathic 4. A prevalência de dor crônica foi estimada e o modelo de Poisson utilizado para testar as associações entre as variáveis (alfa de 5%).

RESULTADOS:

Em uma amostra de 108 servidores ativos, a dor crônica foi encontrada em 50% da amostra (IC95%=40,6-59,4), sendo 12% (IC95%=6,9-19,2) com características neuropáticas. Não foram encontradas associações entre dor crônica e características sociodemográficas ou hábitos de vida. Foi confirmada a associação independente entre a frequência de dor e dor neuropática, onde a dor contínua em relação à ocasional apresentou razão de prevalência de 5,17 (IC95%=1,69-15,79; p=0,004).

CONCLUSÃO:

A dor crônica apresentou elevada prevalência na instituição, sendo contínua em trabalhadores com dor neuropática. A gravidade desse tipo de dor exige ações urgentes para seu controle.

Keywords : Dor crônica; Fatores de risco; Mensuração da dor.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )