SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 número2Phlebotomine sand flies (Diptera: Psychodidae) of the province of Chaco, ArgentinaColonization of rice and Spodoptera frugiperda J.E. Smith (Lepidoptera: Noctuidae) larvae by genetically modified endophytic Methylobacterium mesophilicum índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Neotropical Entomology

versão impressa ISSN 1519-566X

Neotrop. entomol. vol.39 no.2 Londrina mar./abr. 2010

https://doi.org/10.1590/S1519-566X2010000200025 

SCIENTIFIC NOTE

 

Parasitismo de percevejos-praga do maracujazeiro no Brasil por Hexacladia smithii Ashmead (Hymenoptera: Encyrtidae)

 

Parasitism of passion fruit bugs in Brazil by Hexacladia smithii Ashmead (Hymenoptera: Encyrtidae)

 

 

Edson L L BaldinI; Ricardo T FujiharaI; Arlindo L Boiça JRII; Maria C de AlmeidaIII

IDepto de Produção Vegetal, Defesa Fitossanitária, UNESP-FCA, Rua José Barbosa de Barros 1780, 18603-970, Botucatu, SP, Brasil; elbaldin@fca.unesp.br
IIDepto de Fitossanidade, FCAV-UNESP, Via de Acesso Prof Paulo Donato Castellane, s/n, 14884-900 Jaboticabal, SP, Brasil; aboicajr@fcav.unesp.br
IIIDepto de Zoologia, Setor de Ciências Biológicas, Centro Politécnico, UFPR, Jd das Américas, CP 19020, 81531-980 Curitiba, PR, Brasil; chrisalm@ufpr.br

 

 


ABSTRACT

We describe the new association of Hexacladia smithii (Ashmead) parasitizing two passion fruit bugs, Holhymenia histrio (Fabricius) and Anisoscelis foliacea marginella (Dallas) (Hemiptera: Coreidae), in Brazil.

Key words: Coreidae, Passiflora, Holhymenia, Anisoscelis


 

 

Os percevejos são considerados as principais pragas do maracujazeiro, Passiflora spp., devido à sua agilidade, fácil deslocamento e existência de plantas hospedeiras alternativas. Os insetos sugam ramos novos, botões florais, flores e frutos, provocando murchamento e queda, com grande perda de produção (Ruggiero et al 1996, Boiça Jr 1998).

As principais espécies de percevejos que provocam danos a cultivos de maracujazeiro pertencem à família Coreidae, destacando-se Diactor bilineatus (Fabricius), Holhymenia clavigera (Herbst), Holhymenia histrio (Fabricius), Leptoglossus gonagra (Fabricius) e Leptoglossus stigma (Herbst) (Ruggiero et al 1996, Boiça Jr 1998, Aguiar-Menezes et al 2002). Percevejos do gênero Holhymenia possuem aspecto vespiforme, com hemiélitros em sua maior parte hialinos e o segundo e terceiro artículos antenais negros e dilatados em ambos os lados. Holhymenia histrio, ao contrário de outras espécies do gênero, apresenta tilo e um triângulo interocelar de cor amarela; pronoto com três manchas medianas amarelas alinhadas e escutelo amarelo, com uma mancha basal trapezoidal de coloração parda (Brailovsky & Sánches 1982). Os adultos de Anisoscelis sp. medem cerca de 20 mm de comprimento e apresentam expansões foliáceas nas tíbias posteriores, semelhantes a D. bilineatus. No entanto, possuem corpo mais delgado e ausência das duas linhas longitudinais alaranjadas no pronoto, características de D. bilineatus (Boiça Jr 1998).

O controle recomendado para esses coreídeos em maracujazeiro é através de pulverizações com inseticidas fosforados, carbamatos e piretróides (Gallo et al 2002). Porém, devido aos possíveis resíduos tóxicos deixados pelos produtos e também por sua ação direta sobre os insetos polinizadores (Gravena 1987), estudos que visam à identificação de novos inimigos naturais e suas interações com as pragas são de fundamental importância para o desenvolvimento de estratégias de manejo (Parra et al 2002).

Visando avaliar o desenvolvimento biológico de H. histrio e A. foliacea marginella em diferentes genótipos de maracujazeiro, foram realizadas coletas de ovos, ninfas e adultos em área comercial da cultura, de 2005 a 2006. Os indivíduos foram mantidos em condições controladas de laboratório (T = 25 ± 2ºC; UR = 70 ± 10% e fotoperíodo = 12h), confinados em gaiolas de vidro, contendo frutos e ramos de Passiflora edulis e P. allata. Durante o período, os percevejos tornaram-se pouco ativos e apresentaram máculas pretas no abdome, de onde vários indivíduos do parasitóide Hexacladia smithii (Ashmead) emergiram. Internamente, os órgãos localizados na cavidade abdominal foram danificados e o abdome apresentou-se totalmente vazio, assim como descrito para Euschistus heros (Fabricius) (Corrêa-Ferreira et al 1998). A identificação dos parasitóides somente foi confirmada em 2008, pela Profa. Dra. Maria Christina de Almeida, da UFPR.

Hexacladia smithii é um endoparasitóide gregário, com adultos medindo de 1,5 a 2,0 mm de comprimento, de coloração preta, tendo os machos antenas pectinadas e as fêmeas antenas filiformes (Rasplus et al 1990, Corrêa-Ferreira et al 1998). Esse parasitóide também é relatado parasitando os coreídeos H. clavigera (Herbst) e Antiteuchus variolosus (Westwood), os pentatomídeos Edessa meditabunda (Fabricius), Euschistus crenator (Fabricius) e Euchistus heros (Fabricius), e os escutelerídeos Pachycoris torridus (Scopoli) e Tetyra pinguis (Germar) (Costa-Lima 1940, Noyes 2008).

Apesar da necessidade de mais estudos, as taxas de mortalidade provocadas por H. smithii a adultos de H. histrio e A. foliacea marginella em laboratório, demonstraram que esse parasitóide tem elevado potencial para exercer um papel importante na regulação natural desses percevejos em cultivos de maracujazeiros. Isso reforça a necessidade de se conhecer melhor a biologia desses parasitóides e seus hospedeiros, além de sua dinâmica populacional em condições de campo, visando delinear futuras estratégias de controle biológico de percevejos-praga utilizando-se H. smithii como agente natural de mortalidade.

 

Agradecimentos

Os autores expressam seus agradecimentos à FAPESP, CAPES e ao CNPq pelo suporte financeiro concedido.

 

Referências

Aguiar-Menezes E L, Menezes E B, Cassino P C R, Soares M A (2002) Passion fruit, p.360-390. In Pena J, Sharp J, Wysoki, M (eds) Tropical fruit pests and pollinators: biology, economic importance, natural enemies and control. Oxon, CABI, 430p.         [ Links ]

Boiça Jr A L (1998) Pragas da cultura do maracujazeiro. p.175-203. In Ruggiero C (coord) Simpósio Brasileiro sobre a Cultura do Maracujá. Jaboticabal, FUNEP, 388p.         [ Links ]

Brailovsky H, Sánches C (1982) Hemiptera-Heteroptera de México XXIX: revisión de la familia Coreidae Leach. Tribo Anisoscelidini Amyot-Serville. An Inst Biol Univ Nac Auton Mex Ser Zool 53: 219-175.         [ Links ]

Corrêa-Ferreira B S, Nunes M C, Uguccioni L D (1998) Occurrence of Hexacladia smithii Ashmead parasitoid of Euschistus heros (F.) adults in Brazil. An Soc Entomol Brasil 27: 495-498.         [ Links ]

Costa-Lima A (1940) Insetos do Brasil. Hemípteros. Rio de Janeiro, Escola Nacional de Agronomia, v.2, 351p. (Série didática, n.3).         [ Links ]

Gallo D (In Memorian), Nakano O, Silveira Neto S, Carvalho R P L, de Batista G C, Berti Filho E, Parra J R P, Zucchi R A, Alves S B, Vendramim, J D (2002) Entomologia agrícola. Piracicaba, FEALQ, 920p.         [ Links ]

Gravena S (1987) Perspectivas do manejo integrado de pragas, p.134-145. In Ruggiero C (ed) Cultura do maracujazeiro. Ribeirão Preto, Legis Summa, 250p.         [ Links ]

Noyes J S (2008) Universal Chalcidoidea Database. http://www.nhm.ac.uk/research-curation/projects/chalcidoids. Acesso em 16. V. 2008.         [ Links ]

Parra J R P, Botelho P S M, Corrêa-Ferreira B S, Bento J M S (2002) Controle biológico no Brasil: terminologia, p.1-16. In Parra J R P, Botelho P S M, Botelho B S, Bento J M S (eds) Controle biológico no Brasil: parasitóides e predadores. São Paulo, Editora Manole, 609p.         [ Links ]

Rasplus J Y, Pluot-Sigwalt D, Llosa J F, Couturier G (1990) Hexacladia linci, n.sp. Hymenoptera: Encyrtidae) endoparasite de Lincus malevolus Rolston (Heteroptera: Pentatomidae). An Soc Entomol France 26: 255-263.         [ Links ]

Ruggiero C, São José A R, Volpe C A, de Oliveira J C, Durigan J F, Baumgartner J G, da Silva J R, Nakamura K, Ferreira M E, Kavati R, Pereira V P (1996) Maracujá para exportação: aspectos técnicos da produção. Brasília, EMBRAPA, 64p.         [ Links ]

 

 

Received 11/IX/08.
Accepted 13/V/09.

 

 

Edited by Fernando L Cônsoli - ESALQ/USP

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons