SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue6Tecido adiposo: uma breve perspectiva histórica e o momento atual author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia

On-line version ISSN 1677-9487

Arq Bras Endocrinol Metab vol.52 no.6 São Paulo Aug. 2008

https://doi.org/10.1590/S0004-27302008000600001 

EDITORIAL

 

ABE&M e fator de impacto

 

 

Edna T. Kimura

Editora-chefe, ABE&M e Professora-Associada do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, SP, Brasil

Endereço para correspondência

 

 

Uma das perguntas mais frequentes, em relação à nossa Revista, tem sido qual é o fator de impacto dos Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia (ABE&M)? A medida do impacto de uma revista é calculada pelo número de citações que os artigos publicados receberam em um determinado ano.

Assim como o termo "indexação" é utilizado para se referir à inclusão de uma revista no banco de dados da MedLine/PubMed, o "fator de impacto" até a pouco tempo poderia ser considerado sinônimo do índice gerado pela ISI Web of Knowledge da empresa Thomson Scientific. O portal ISI Web of Knowledge inclui os acessos ao Web of Science®, um banco de dados de revistas científicas e ao Journal Citation Reports® (JCR). Neste último estão listados os fatores de impacto JCR, calculados com base nas revistas incluídas no Web of Science®. Dessa forma, o fator de impacto JCR é o valor obtido pela soma das citações dos artigos publicados no período prévio de dois anos, em que ambas, a revista citada e a que recebe a citação, devem estar incluídas no banco de dados Web of Science, e esta soma de citações é dividida pelo número total de artigos publicados no mesmo período de dois anos da revista em análise. Assim sendo, o primeiro passo para que uma revista tenha um "fator de impacto JCR" é estar incluída no Web of Science®, que abrange cerca de 7.900 revistas científicas. Esse acervo se expandiu recentemente com a inclusão de cerca de 700 revistas selecionadas após análise de mais de 10 mil títulos publicados em países que não fossem os Estados Unidos e o Reino Unido. Nessa listagem, divulgada recentemente, foi incluída a Revista ABE&M (no Web of Science®), passo inicial para que o fator de impacto apareça no Journal Citation Reports® do portal ISI Web of Knowledge em futuro próximo. Assim, para conhecermos o fator de impacto JCR resta-nos aguardar os próximos dois anos.

Por outro lado, o efeito do benefício da indexação dos ABE&M no Web of Science® é imediato, pois disponibiliza uma listagem mais completa da produção científica dos autores de artigos que foram publicados em nossa Revista a partir de 2007, assim como a indicação do número e do local em venham a ser citados, o que influenciará na obtenção de um valor mais fiel do índice H do pesquisador.

A medida do impacto de uma revista científica foi idealizada por Eugene Garfield, em 1955 (1), como um critério de classificação no Science Citation Index (SCI) e gradativamente expandiu-se como indicador de avaliação do mérito científico não somente de revistas, mas dos autores. Porém, a significância dessa valorização tomou maior expressão há pouco mais de 20 anos, quando o fator de impacto tornou-se um importante parâmetro para a avaliação da qualidade da produção científica, e a medida do "impacto" da publicação foi incorporada na avaliação acadêmica dos pesquisadores, das instituições de ensino (por exemplo, programas de pós-graduação) e ainda para a concessão de bolsas-de-estudo e financiamentos de projetos de pesquisa, inclusive no Brasil.

Até recentemente, o único índice de impacto disponível era o gerado pela Thomson Scientific, grandemente valorizados, e o índice divulgado a cada ano é aguardado com grande expectativa pelo meio acadêmico. Mas, a não reprodutibilidade dos resultados no método aplicado nos cálculos do fator de impacto JCR vêm sendo questionada pela comunidade científica (2,3). Em meio a este clima, em dezembro de 2007, foi lançado o portal SCImago Journal & Country Rank (http://www.scimagojr.com/), de acesso gratuito, desenvolvido pelo grupo SCImago, formado por pesquisadores de várias universidades espanholas, que permite a visualização de fatores de impacto e índice H de mais de 15 mil títulos do banco de dados Scopus® (http://www.info.scopus.com/), da editora Elsevier. Este novo indicador de "impacto", denominado SJR (SCImago Journal Rank) leva em consideração, além do número de citações, o prestígio da revista na qual o artigo foi citado, baseado em algoritmo similar ao aplicado no Google Pagerank. O portal permite ainda uma seleção de análise por países ou diferentes regiões do mundo. O valor numérico do índice SJR é bastante distinto do fator de impacto JCR, como o da revista Molecular Endocrinology JCR 18,4 e SJR 1,14 (Tabela 1) (4,5). Mostramos ainda a classificação de quatro importantes revistas internacionais da área da área medicina: endocrinologia e metabologia (Tabela 1) e de duas revistas nacionais (Tabela 2) com os índices JCR e SJR. Observa-se que a utilização de um índice ou outro altera a ordem classificatória (Tabelas 1 e 2). Com a recente inclusão da Revista ABE&M, na base de dados Scopus® pela primeira vez temos acesso a um índice, gerados pelo sistema SCImago. O fator de impacto SJR para o ano-base 2007 revela: SJR 0,067 e índice H 6, que classifica os ABE&M como 13º entre 54 revistas publicada no Brasil, na área de medicina e 63º entre 96 títulos mundias da subárea endocrinologia, diabetes e metabolismo.

 

 

O primeiro número da Revista ABE&M foi publicado em agosto de 1951, e neste mês de celebração de aniversário, a Revista recebe o seu "fator de impacto", o SRJ que já conhecemos, e o JCR que está a caminho. Esperamos que estes valores, indicadores de sua posição nos contextos nacional e internacional, não fiquem limitados como meros índices númericos, mas propiciem estímulos para que a Revista ABE&M alcance reconhecimento científico cada vez maior. Direcionaremos os esforços, espelhando-nos nos idealizadores, entusiastas, colaboradores, autores, revisores e leitores que contribuíram no nascimento, renascimento, crescimento e maturidade da Revista ao longo deste caminho de mais de meio século dos "Arquivos". Parabéns ABE&M!

 

REFERÊNCIAS

1. Garfield E. Journal impact factor: a brief review. CMAJ. 1999;161(8):979-80.         [ Links ]

2. Rossner M, Van Epps H, Hill E. Show me the data. J Cell Biol. 2007;179(6):1091-2.         [ Links ]

3. Carrió I. Of impact, metrics and ethics. Eur J Nucl Med Mol Imaging. 2008;35(6):1049-50.         [ Links ]

4. SCImago 2007, SJR - SCImago Journal & Country Rank. Retrieved Aug 1 2008, from http://www.scimagojr.com.         [ Links ]

5. ISI Web of Knowledge. Retrieved Aug 1 2008, from http://sub3.isiknowledge.com.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Edna T. Kimura
Rua Botucatu, 572 - conjunto 83
04023-062 São Paulo, SP
E-mail: abem@uol.com.br

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License