SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 issue9HDL: the yin-yang of cardiovascular disease author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia

On-line version ISSN 1677-9487

Arq Bras Endocrinol Metab vol.54 no.9 São Paulo Dec. 2010

https://doi.org/10.1590/S0004-27302010000900001 

EDITORIAL

 

ABE&M hoje, alicerce para o futuro

 

 

Edna T. Kimura

Editora-chefe ABE&M, professora titular, Instituto de Ciências Biomédicas, Universidade de São Paulo (ICB-USP), São Paulo, SP, Brazil

Correspondência para

 

 

Nos últimos quatro anos, tanto os leitores quanto os autores acompanharam algumas mudanças significativas na revista. Os leitores que recebem a revista ABE&M impressa deve ter observado sua nova diagramação neste ano. Mas a mudança de maior visibilidade foi, sem dúvida, a implementação do endereço eletrônico (www.abem-sbem.org.br), com o intuito de possibilitar aos leitores acesso mais rápido e direto aos artigos científicos e oferecer aos autores um sistema de submissão on-line (1).

A divulgação da revista pelo meio eletrônico, por um endereço eletrônico próprio, reforça a política editorial dos ABE&M pelo acesso irrestrito e imediato de nossos artigos. Nosso site está interligado aos recursos oferecidos pelo sistema SciELO (Scientific Electronic Library Online, www.scielo.br), no qual foi indexado em 2001. Desde então, os artigos científicos ABE&M SciELO alcançaram mais de 10 milhões de acessos, dos quais 50% foram realizados nos dois últimos anos (Figura 1). O fato de o sistema SciELO estar visível em outros portais internacionais importantes, como PubMed e Scopus, amplia a visibilidade da publicação eletrônica dos artigos científicos ABE&M.

 

 

Ainda em parceria com a SciELO, a submissão eletrônica implementada em janeiro de 2008 tem agilizado o tempo e diminuído o custo do processo de avaliação dos manuscritos (1). Antes da submissão eletrônica, em 2007, recebemos pelo correio 235 trabalhos, incluindo as revisões dos números especiais. No ano de 2008, recebemos mais de 400 submissões por via eletrônica e em menos de três anos desde a implantação do sistema eletrônico ultrapassamos mil submissões. Uma das consequências desse aumento do número de submissões se reflete no número de manuscritos aceitos, que de 70% em 2007 passou para 50% nos dois últimos anos. A maior demanda requer um trabalho adicional da equipe editorial, em especial dos coeditores e de um número muito maior de revisores.

Um parâmetro importante na categorização de uma revista é o tempo decorrente no processo submissão-avaliação-aceite-publicação. Neste último ano, um artigo tem demorado cerca de sete meses até a publicação; alguns são publicados mais rapidamente, mas outros extrapolam largamente esse tempo. Nesse fluxo, dois gargalos podem ser reconhecidos: a demora na avaliação dos trabalhos pelos revisores e a dos autores no envio do manuscrito revisado. Em relação à avaliação pelos revisores, solicitamos a assessoria de especialistas entre os membros do corpo editorial e, em seguida, de especialistas externos. Apesar da facilidade de comunicação 700 pelo meio eletrônico, os prazos para tarefa editorial são poucas vezes atendidos ou, pior ainda, ficamos sem nenhum retorno. Ressaltamos a importância dos revisores não somente para a agilidade no processo de avaliação, mas primordialmente para a qualidade do conteúdo científico de uma revista, e agradecemos a todos eles pela contribuição nessa importante tarefa.

A principal meta de uma revista científica consiste na divulgação do avanço do conhecimento e um dos parâmetros da importância dos trabalhos publicados tem sido medido pelo número de vezes que são citados como referência em outras publicações (2). O número de citações de artigos ABE&M em publicações indexadas nos principais bancos de dados − SciELO, Scopus® - Elsevier e ISI-Web of Science® − está apresentado na figura 2.

 

 

Considerando o número de citações, alguns índices gerados por diferentes bancos de dados são amplamente utilizados na qualificação da revista (2,3). Na figura 3, mostramos os índices de citações: SJR (SCImago Journal Rank: www.scimagojr.com), com base no banco de dados Scopus® - Elsevier; o índice SciELO e o Fator de Impacto – JCR da ISI-Web of Science. Em geral, esses índices levam em conta o número de citações recebidas pelos artigos publicados nos dois anos prévios, dividido pelo total de artigos publicados nesses dois anos considerados (2). Observam-se um aumento progressivo no índice SciELO no período entre 2006 e 2009 e um aumento expressivo no índice SJR em 2009. O banco de dados Web of Science abrange um menor número de revistas quando comparado ao Scopus®, e os ABE&M estão incluídos no universo das 65 revistas brasileiras com o índice JCR 2009 (Impact Factor® ISI Web of Science), divulgado em 2010 (Figura 3) (4). Uma implicação importante para a comunidade científica brasileira é o fato de que o índice JCR determina a faixa do índice Qualis, estabelecido pela Coordenação de Aperfeiçoamentode Nível Superior (Capes) para classificara produção científica da pós-graduação no Brasil (5,6).

 

 

Com erros e acertos, buscamos aprimorar o processo administrativo, editorial e a divulgação dos ABE&M. O progresso e as conquistas alcançados compartilho com os coeditores e a funcionária Roselaine Monteiro, a equipe SciELO e os dirigentes da SBEM, que ofereceram suporte e dedicação incondicional. Tenho a certeza de que a revista, conduzida pelo Dr. Sérgio A. Dib, editor-chefe a partir do próximo ano, alcançará novos patamares de qualidade e reconhecimento.

Considero um privilégio e uma honra ter atuado como editora-chefe da revista ABE&M e deixo meu agradecimento e reconhecimento aos autores, aos leitores e à diretoria da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, que me confiaram essa tarefa por quatro anos.

 

REFERÊNCIAS

1. Kimura ET. Submissão on-line ABE&M: uma esperada conquista. Arq Bras Endocrinol Metab. 2008,52(1):1-2.         [ Links ]

2. Falagas ME, Kouranos VD, Arencibia-Jorge R, Karageorgopoulos DE. Comparison of SCImago Journal Rank indicator with journal Impact Factor. FASEB J. 2008;22(8):2623-8.         [ Links ]

3. Mugnaini R, Efrain-Garcia P. Influências metodológicas na mensuração de impacto: o caso das Memórias do Instituto Oswaldo Cruz e sua "qualificação". Perspect Ciênc Inf. [on-line]. 2009;14(3):179-89.         [ Links ]

4. Kimura ET. ABE&M e fator de impacto. Arq Bras Endocrinol Metab. 2008;52(6):925-6.         [ Links ]         [ Links ]

6. Kimura ET. O dilema das revistas científicas brasileiras na divulgação da produção científica nacional. Arq Bras Endocrinol Metab. 2010;54(1):1-2.         [ Links ]

 

 

Correspondência para:
Rua Botucatu, 572, cj. 83
04023-062 − São Paulo, SP, Brasil
etkimura@usp.br

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License