SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.56 número6AntiviraisCapsulotomia posterior com Nd: YAG laser em glaucomatosos pseudofácicos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos Brasileiros de Oftalmologia

versão impressa ISSN 0004-2749versão On-line ISSN 1678-2925

Arq. Bras. Oftalmol. vol.56 no.6 São Paulo dez. 1993

https://doi.org/10.5935/0004-2749.19930003 

Artigos Originais

Coloração in vivo para o diagnóstico de lesões neoplásicas e displásicas da conjuntiva+

In vivo staining test for the diagnosis of conjuntival neoplasms and dysplasias

Renato Augusto Neves1 

Carlos Eduardo Natalli Pavésio2 

Walton Nosé3 

Rubens Belfort Jr.4 

Wagner Koji Aragaki

José Ricardo Carvalho Lima Rehder Rehder

1Mestre em Oftalmologia, Pós-Graduando Nivel Doutorado, Colaborador do Setor de Córnea da Escola Paulista de Medicina (EPM)

2Mestre e Doutor em Oftalmologia - EPM

3Mestre e Doutor em Oftalmologia, Chefe do Setor de Cirurgia Refrativa - EPM

4Professor Titular do Departamento de Oftalmologia - EPM


RESUMO

O corante nuclear azul de toluidina, tem sido utilizado com bons resultados no diagnóstico e orientação cirúrgica de diversos tumores em mucosas. Através da modificação da técnica clássica de coloração para uso em conjuntiva ocular, avaliou-se a utilização deste corante em lesões de conjuntiva, na orientação e complementação do diagnóstico clínico. Quarenta e dois pacientes com lesões de conjuntiva foram avaliados por exame biomicroscópico simples antes e depois decorados com solução aquosa de azul de toluidina a 1% e, em seguida, submetidos a biópsia excisional da lesão para comparação com o exame anátomo-patológico. Dos 42 pacientes, houve concordância em 40 deles (95%) e dois falso-positivos, explicados pela celularidade das lesões. Todos os diagnósticos de malignidade pelo exame histopatológico foram identificados pelo método do azul de toluidina. A análise estatística mostrou sensibilidade de 100%, especificidade de 94%, valor preditivo positivo de 82%, valor preditivo negativo de 100% e chance proporcional de 100%, com significância estatística determinada pelo teste de McNemar (p=0,25 ou 25%). O uso deste método estaria indicado por ser simples, barato, inóquo, e não necessitar de ambiente cirúrgico ou narcose em casos disseminados e em crianças.

Além disso em casos de lesões grandes e múltiplas, sugeriria o local apropriado para biópsia.

Palavras-chave: Tumores de conjuntiva; Cloreto de tolônio; Corantes vitais

SUMMARY

The use of toluidine blue as a nuclear stain has been reported in several specialties to help detect and treat surgically tumors. We modified the technique and evaluated it as a test to differentiate conjunctival lesions. Forty-two patients with conjunctival lesions were evaluated by biomicroscopy, and had their conjunctiva stained by toluidine blue 1% aquous solution. The lesion was evaluated again and then surgically removed. The specimen were submitted to pathological exam. From the 42 patients, 40 (95%) matched and 2 false positive results were found. All malignancy results from the toluidine blue test were confirmed by histopathologic exam. Statistical analysis showed a sensitivity of 100%, a specificity of 94%, a positive predictive value of 82%, a negative predictive value of 100% and a likelyhood ratio of 100%, with a statistical significance by the McNemar test (p=.25 ou 25%). This is a simple, unexpensive and inoquous method that help in the detection and characterization of conjunctival tumors.

Texto completo disponível apenas em PDF.

+Trabalho em parte patrocinado pelo CAPES

ERRATA

Nos Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, Vol. 56, nº 6 - Dezembro/1993, no artigo: "Coloração in vivo para o diagnóstico de lesões neoplásicas e displásicas da conjuntiva", à página 308 no item autores:

Onde se lê: Renato Augusto Neves, Carlos Eduardo Natali Pavésio, Walton Nosé, Rubens Belfort Jr.

Leia-se: Renato Augusto Neves, Carlos Eduardo Natali Pavésio, Wagner Koji Aragaki, José Ricardo Carvalho Lima Rehder, Walton Nosé, Rubens Belfort Jr.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1 ALMADA, A.T.; BELFORT JR, R.; SCHWARTZ, T. - Uso da associação Fluoresceína Rosa Bengala no diagnóstico das alterações patológicas do segmento anterior do olho. Arq. Bras. Oftalmologia, 37:4-8, 1974. [ Links ]

2 BURNIER JR., M. - Contribuição para o estudo das lesões da pálpebra e da conjuntiva. São Paulo (Tese de Mestrado - Escola Paulista de Medicina), 1984. [ Links ]

3 Clinical stains for câncer. Lancet, 8267:320, 1982. [ Links ]

4 COLLINS, G.C.; HANSEN, L.H.; THERIOT, E. A clinical stain for use in selecting biopsy sites in patients with vulvar disease. Am. J. Obst. Gynecol., 28: 158-65, 1966. [ Links ]

5 In vivo stain for gastric cancer. Lancet, 1:115, 1988. [Letter] [ Links ]

6 NORN, M.S., - Vital staining of cornea and conjunctiva. Acta Ophthal., 50:7-65, 1972a. [ Links ]

7 PAVÉSIO, C.E.N. - Avaliação do método citológico no diagnóstico de lesões tumorais da conjuntiva. São Paulo (Tese de Mestrado - Escola Paulista de Medicina), 1988. [ Links ]

8 REMINGTON, R.D. & SCHORK, M.A. Statistics with applications to the biological and health sciences. Prentice - Hall, INC, Englewood Cliffs New Jersey - 1970. 418p. [ Links ]

9 RICHART, R.M. - A clinical staining test for the in vivo delination of dysplasia and carcinoma in situ. Am. J. Obstet. Gynecol., 86:703-12, 1963. [ Links ]

10 WANDER, A.H.; NEUMEISTER, R.D.; TSCHISMADIA, I.; CHOROMOKOS, E.A.; MASUKAWA, T. - In vivo corneal and conjunctival epithelial nuclear stain. Cornea, 4:8-13, 1985. [ Links ]

Endereço para correspondência: Renato A. Neves - R. Botucatú, 822 - CEP: 04023 - S. Paulo, SP

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que o trabalho original seja corretamente citado.