SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.66 issue2Corticosteroid therapy and cataract: prevalence and relation to time of use and cumulative doseResolution and user's satisfaction evaluation of a secondary ophthalmic reference service of the Federal University of São Paulo - UNIFESP author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos Brasileiros de Oftalmologia

Print version ISSN 0004-2749On-line version ISSN 1678-2925

Arq. Bras. Oftalmol. vol.66 no.2 São Paulo  2003

https://doi.org/10.1590/S0004-27492003000200008 

Avaliação da capacidade de reconhecimento de erros de português escrito em pós-graduandos em oftalmologia

 

Assesment of the ability to recognize written Portuguese mistakes by postgraduation students in Ophthalmology

 

 

Carlos Alberto Rodrigues-Alves

Professor Associado e Chefe do Serviço de Neuro-Oftalmologia do Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo - USP. Coordenador do Curso de Pós–Graduação em Oftalmologia da Universidade de São Paulo - USP

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

OBJETIVO: Avaliar a capacidade de pós-graduandos em oftalmologia para corrigir erros de português contidos em sentenças.
MÉTODOS:
Solicitou-se a correção de erros encontrados em 18 frases fictícias.
RESULTADOS:
30 alunos responderam os testes e cometeram 92 erros. O número médio de erros por aluno foi de 3,066. 26,66% dos examinados cometeram 5 ou mais erros.
CONCLUSÃO:
Um quarto dos alunos de pós-graduação em Oftalmologia avaliados demonstrou resultados sofríveis quanto à correção de textos escritos em português.

Descritores: Linguagem; Redação; Comportamento verbal; Escrita manual; Testes de linguagem; Educação de pós-graduação em Medicina, Oftalmologia


ABSTRACT

PURPOSE: To evaluate the skills of postgraduation students of São Paulo University to correct Portuguese errors contained in given sentences.
METHODS: The students were asked to make corrections in 18 fictitious sentences.
RESULTS:
30 students answered the test, having made 92 mistakes. The average number of mistakes made per student was 3.066.
CONCLUSION:
One quarter of the students presented poor results in the correction of written Portuguese texts.

Keywords: Writing; Language; Verbal behavior; Handwriting; Language tests; Undergraduate education medical; Ophthalmology


 

 

INTRODUÇÃO

A tão longa convivência com Cursos de Pós-Graduação, e com tudo aí contido, tem mostrado pouco conhecimento da nossa língua por parte dos pós-graduandos. É comum o achado de português precário, inexato, deselegante e inaceitável para futuros professores universitários. Este fato foi bem comentado, aliás, por Souza- Dias, no Editorial –3 dos ABO em 1996(1). Esse autor discute alguns dos diversos erros e imprecisões corriqueiras nos textos e discursos médicos.

 

OBJETIVO

Para se obter amostragem do português escrito por grupo de pós-graduandos em oftalmologia foi realizada esta pesquisa. Atentou-se, de modo particular mas não exclusivo, para a concordância verbal.

 

MÉTODOS

Sem que os indivíduos soubessem previamente do teste, solicitou-se aos 30 alunos do curso de Pós-Graduação da Oftalmologia da USP, matriculados na Disciplina "Metodologia Científica" em 2001, a correção dos erros eventuais contidos nas 18 frases fictícias relacionadas abaixo. Quando o participante não corrigia a falta do texto, considerava-se erro do aluno.

1 - Duvidou-se das conclusões da pesquisa.

2 - Avaliou-se as conclusões da pesquisa.

3 - Restringiu-se os gastos com a bolsa

4 - Protege-se os reagentes químicos dos fungos

5 - Protege-se dos fungos os reagentes químicos

6 - Protegeu-se dos fungos os reagentes químicos

7 - A escola, onde se da cursos de primeiro grão, deve mudar

8 - Descreveu-se nos estados europeus diversos casos de doença da vaca louca.

9 - Existe, segundo o Secretário da Saúde, cinco eventos de raiva anualmente no Estado de São Paulo.

10 - O processo esclareceu de que o gerenciamento da esta tal estava irregular.

11 - Se você pôr o reagente, poderá ser encontrada a resposta.

12 - Uma enzima foi encontrada no vírus.

13 - A investigação será reaberta se houverem novos casos de dengue.

14 - Ainda está sobrando muitos tubos de ensaio.

15 - Naquela época não se fundia ferro e bronze.

16 - Com o oftalmoscópio direto não se viu corpos flutuantes de vítreo.

17 - Passado 4 anos não se constatou metástases na ressonância.

18 - Já chegou informações segundo as quais se perdeu os reagentes químicos necessários a reação química.

 

RESULTADOS

Apresentados na Tabela 1.

 

 

DISCUSSÃO

Embora pequena, esta amostragem demonstra alguns dados de interesse. Na média o número de erros por aluno foi: 3,066. Entretanto, oito alunos cometeram 5 ou mais erros. Isto compreende 26,66% da casuística. É bastante provável que, se o teste incluísse outros aspectos da língua, curiosas informações pudessem ser obtidas. Com isso, estaríamos mais bem esclarecidos sobre o nível de qualificação de pós-graduandos na redação e verbalização de textos em português. Este tipo de pesquisa forneceria, portanto, subsídios para eventuais providências quanto a melhoramentos no ensino da nossa língua.

 

CONCLUSÕES

O trabalho demonstra a apenas regular formação em português escrito de grupo de pós-graduandos em Área Médica. Como conseqüência, fica a sugestão para que aferições mais amplas sejam efetuadas neste campo.

Maior cuidado deve ser dado aos universitários para melhorar o português que eles falam e escrevem.

 

REFERÊNCIAS

1. Souza-Dias CR. Desrespeito ao vernáculo. Arq Bras Oftalmol 1996;59:343-4.        [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência
Rua Prof. Artur Ramos, 183 – 8o andar
São Paulo (SP) CEP 01454-011

Recebido para publicação em 22.10.01
Aceito para publicação em 08.05.2002

 

 

Nota Editorial: Pela análise deste trabalho e por sua anuência na divulgação desta nota, agradecemos ao Dr. Carlos Ramos de Souza-Dias

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License