SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.70 issue1Assessing the adequacy of workload measurement tools using a quality-based methodologyEmergency interventions for air medical services trauma victims author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Enfermagem

Print version ISSN 0034-7167On-line version ISSN 1984-0446

Rev. Bras. Enferm. vol.70 no.1 Brasília Jan./Feb. 2017

https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0184 

PESQUISA

Avaliação do Programa de Acreditação Hospitalar: validação de face e conteúdo

Evaluación del programa de acreditación hospitalaria: validación de apariencia y de contenido

Graziela CaldanaI 

Carmen Silvia GabrielI 

IUniversidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem Fundamental. Ribeirão Preto-SP, Brasil.


RESUMO

Objetivo:

descrever os resultados da validação de face e conteúdo do questionário intitulado Quality Improvement Implementation Survey e de duas escalas complementares, como parte do processo de adaptação ao idioma e à cultura brasileira.

Método:

incluiu os seguintes estágios: (1) tradução e síntese das traduções; (2) apreciação pelo comitê de especialistas; (3) retrotradução; (4) avaliação da compreensão verbal pela população-alvo.

Resultados:

o questionário foi traduzido para o português e sua versão final incluiu 90 itens. No pré-teste, a população-alvo avaliou todos os itens como de fácil compreensão, apresentando média global de 4,58 (valor máximo=5).

Conclusão:

o questionário encontra-se traduzido para o português e adaptado ao contexto brasileiro. A versão adaptada manteve a equivalência semântica, idiomática, conceitual e cultural, segundo a avaliação do comitê de especialistas assim como pelas informações fornecidas pela população-alvo, confirmando a validade de face e de conteúdo.

Descritores: Acreditação; Garantia da Qualidade dos Cuidados de Saúde; Estudos de Validação; Avaliação de Resultados (Cuidados de Saúde); Administração Hospitalar

RESUMEN

Objetivo:

describir los resultados de la validación de apariencia y de contenido del cuestionario titulado Quality Improvement Implementation Survey y de dos escalas complementarias como parte del proceso de la adaptación a la lengua y la cultura brasileña.

Método:

incluyó las siguientes etapas: (1) la traducción y la síntesis de las traducciones; (2) la consideración del comité de expertos; (3) traducción inversa; (4) evaluación de la comprensión verbal por parte de la población objetivo.

Resultados:

el cuestionario fue traducido al portugués y su versión final incluyó 90 artículos. En el pre-test, la población objetivo ha evaluado todos los artículos como de fácil compresión, con la media global de 4,58 (máximo = 5).

Conclusión:

el cuestionario se tradujo al portugués y fue adaptado al contexto brasileño. La versión adaptada mantiene la equivalencia semántica, idiomática, conceptual y cultural, de acuerdo con la evaluación del comité de expertos, así como la información proporcionada por la población objetivo, lo que confirma la validez de apariencia y contenido.

Descriptores: Acreditación; Aseguramiento de la Calidad de la Atención de la Salud; Estudios de Validación; Evaluación de Resultados (Atención de la Salud); Administración Hospitalaria

ABSTRACT

Objective:

to describe the results of face and content validation of the questionnaire entitled Quality Improvement Implementation Survey, and of two complementary scales as part of the adaptation process to the Brazilian language and culture.

Method:

included the following stages: (1) translation and synthesis of translations; (2) consideration by the expert committee; (3) back translation; (4) evaluation of verbal understanding by the target population.

Results:

the questionnaire was translated into Portuguese and its final version included 90 items. In the pre-test, the target population evaluated all items as easy to understand, with the global average of 4.58 (maximum value = 5).

Conclusion:

the questionnaire is currently translated into Portuguese and adapted to the Brazilian context. The adapted version maintained the semantic, idiomatic, conceptual and cultural equivalence, according to the assessment of the expert committee and the information provided by the target population, which confirmed the face and content validity.

Descriptors: Accreditation; Assurance of Health Care Quality; Validation studies; Outcome Assessment (Health Care); Hospital Administration

INTRODUÇÃO

A discussão sobre modelos de sistemas de saúde mais eficientes vem ganhando novos contornos após as diversas reformas que, desde os anos noventa, foram implantadas em vários países, inclusive o Brasil. Assim, as organizações de saúde vêm se transformando com vistas ao atendimento das demandas de uma clientela cada vez mais exigente(1). Contudo, a avaliação dos serviços de saúde somente poderá ser conduzida por meio do estabelecimento de critérios, padrões e indicadores que podem estar determinados em programas específicos de qualidade para esta finalidade, como os programas de acreditação hospitalar.

Esse programa de avaliação externa emerge como possibilidade de instituir uma cultura de segurança e qualidade no interior de uma instituição que se empenha em aperfeiçoar continuamente os processos de cuidado ao paciente e os resultados obtidos, configurando-se como um caminho para gerenciamento da qualidade nos serviços de saúde(2).

Define-se acreditação como a certificação de programa, serviço, organização, instituição ou agência por um corpo externo autorizado de acordo com critérios pré-determinados, geralmente caracterizados como padrões, estruturas e processos tipicamente de medição(3-4). Trata-se de um método de avaliação periódico, voluntário e reservado, que busca garantir a qualidade da assistência por meio de padrões previamente estabelecidos. Vale destacar que a acreditação configura-se como programa essencialmente de educação continuada e não deve será ser interpretada como forma de fiscalização(5).

Com o aumento da complexidade dos cuidados de saúde, a acreditação contribui para assegurar que estes sejam prestados segundo os melhores padrões de qualidade, de tomada de decisão e prevenção(6). Uma vez que a saúde é um direito de todos, o que inclui a garantia de assistência digna, de qualidade e segura, entende-se que a acreditação representa um meio de efetivar esse direito constitucional, contribuindo para remodelar o cenário de insegurança que, atualmente, permeia as instituições de saúde(1).

Diferentes modelos de acreditação hospitalar coexistem no Brasil, a saber: o modelo da Organização Nacional de Acreditação (ONA), o proposto pela Joint Commission International (JCI), o da Acreditação canadense e o National Integrated Accreditation for Healthcare Organizations (NIAHO). Vale destacar que, no universo de instituições hospitalares dos país, um número pequeno é acreditado (cerca de 4, 5%)(7).

Entende-se ainda não estar claro como o processo de acreditação afeta serviços de saúde ou os resultados da sua assistência para a equipe de saúde, pacientes, famílias, comunidade e sociedade. Documento elaborado pela organização responsável pela acreditação dos serviços de saúde canadenses assinala que as organizações que participam de acreditação confirmam seu compromisso com a melhoria da qualidade, mitigação de riscos, segurança do paciente, eficiência e responsabilidade e enviam uma importante mensagem aos principais tomadores de decisão e à comunidade, mostrando-se capazes de contribuir para a sustentabilidade do sistema de saúde. O referido documento destaca, porém, ainda ser necessário realizar estudos para medir os resultados do programa de acreditação para os diversos interessados do sistema de saúde(8).

Não foi localizado, em estudos publicados no idioma português/ brasileiro, instrumento que possa ser utilizado para avaliar os resultados da implantação de programas de melhoria da qualidade em organizações de saúde, nomeadamente no âmbito da acreditação, o que indica a necessidade de ampliar a divulgação científica em relação aos resultados desses programas. Faz-se necessária a utilização de um instrumento devidamente adaptado e validado para a realidade brasileira, a fim de compreender como esse processo afeta os hospitais e também os resultados decorrentes desta implantação, sob a óptica dos profissionais.

Sendo assim, o objetivo deste estudo é descrever os resultados da avaliação semântica e de conteúdo de questionário que avalia resultados dos programas de melhoria de qualidade para serviços de saúde.

MÉTODO

Aspectos éticos

Trata-se de um estudo metodológico iniciado mediante concordância dos autores da versão original, aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP/USP) e aprovação da instituição coparticipante do estudo.

Tipo de estudo

Com o propósito de colaborar com estudos futuros que investiguem o programa de acreditação hospitalar para melhor compreender as mudanças ligadas à sua implantação em hospitais brasileiros e como esse processo de avaliação externa influencia na qualidade e segurança do cuidado, optou-se pela adaptação cultural e validação do Quality Improvement Implementation Survey (QIIS) e de duas escalas provenientes de outro estudo(9). O QIIS foi criado e utilizado em estudo que analisou as relações entre cultura organizacional e resultados do programa de melhoria de qualidade em 61 hospitais dos Estados Unidos(10). Apresenta cinco dimensões que avaliam a cultura do hospital e sete referentes às ações do hospital para a melhoria da qualidade. Neste estudo, o autor menciona que a cultura organizacional estava significativamente relacionada à implementação de melhoria da qualidade e que essas melhorias, por sua vez, estavam positivamente associadas a maiores resultados aos pacientes e desenvolvimento de recursos humanos.

Cenário do estudo e fonte de dados

O questionário também foi utilizado em outro estudo, realizado em 68 hospitais do Líbano, que avaliou o impacto do programa de acreditação na qualidade do atendimento sob a óptica dos enfermeiros(9). As duas escalas complementares adotadas neste estudo são provenientes do questionário "Preparation D´um de Sante A l´Accreditation"(11). Por meio deste questionário, o autor avaliou os seguintes aspectos relacionados ao processo de acreditação: autoavaliação, relacionamento interpessoal e ações voltadas para a segurança do paciente. Para o desenvolvimento deste estudo, foram selecionadas as escalas que avaliam as dimensões sobre Acreditação e Benefícios da Acreditação. Cabe ressaltar que as escalas complementares foram adaptadas e validadas do idioma francês para o inglês, versão adotada nesta pesquisa(9).

Coleta e organização dos dados

Seguiram-se as etapas propostas por autores que são referência em estudos sobre validação. O primeiro(12) recomenda as seguintes etapas: tradução, síntese das traduções, retrotradução, revisão por comitê de especialistas e pré-teste. Para este estudo, os autores também adotaram um referencial que propõe inversão nas etapas de adaptação cultural, de modo que, após a síntese das traduções, esta deverá analisada e revista por um comitê de especialistas, a fim de validar o conteúdo. Justifica-se tal inversão pela possibilidade de detectar erros ou problemas de compreensão nesse momento, os quais não poderiam ser notados após a retrotradução. Dessa forma, fica assegurado o objetivo da retrotradução: observar possíveis erros de significado na primeira versão traduzida(13).

Assim, as seguintes etapas foram percorridas neste estudo: tradução, síntese das traduções, apreciação pelo comitê de especialistas, retrotradução e pré-teste com a população-alvo. As demais etapas, que incluem a aplicação do instrumento e a análise das propriedades psicométricas, necessárias para a validação do instrumento, serão desenvolvidas posteriormente.

Tradução e síntese das traduções

O instrumento foi traduzido do original, em inglês, para o português, por dois tradutores independentes, de nacionalidade brasileira - um deles com conhecimento sobre a temática -, gerando duas traduções, denominadas T1 e T2. Um comitê formado por cinco especialistas com especialização, experiência na temática e conhecimento do idioma inglês (um docente com formação em Estatística, dois enfermeiros assistenciais, um médico e um enfermeiro docente) apreciou as versões traduzidas. A aprovação dos itens ocorreu mediante concordância acima de 80% das traduções apresentadas. Estudioso na temática sobre pesquisas de validação(14) sugere que, entre os juízes, deve haver concordância de, pelo menos, 80% nas deliberações adotadas. Após decisões consensuais, a síntese das traduções foi realizada pelo pesquisador e orientador do estudo. Em seguida, gerou-se uma versão pré-final, com os itens em português, denominada T12.

Avaliação pelo comitê de especialistas

Com vistas à realização da validação de face e conteúdo, a versão T12 foi analisada por um comitê formado por três especialistas (um enfermeiro assistencial e dois enfermeiros gestores), todos com domínio do idioma do instrumento original, especialistas em gestão hospitalar e segurança do paciente. A aprovação dos itens ocorreu quando houve concordância acima de 80% em relação às propostas de mudança apresentadas. Ao constatar a conformidade das equivalências semântica, idiomática, cultural e conceitual, submeteu-se a versão T12 à retrotradução.

Retrotradução

Realizada por dois tradutores independentes, nativos da língua inglesa, que desconheciam o instrumento original e não participaram da primeira etapa do processo de tradução, gerando duas versões retrotraduzidas para o inglês (R1 e R2).

As versões retrotraduzidas (R1 e R2) foram comparadas com o instrumento original pelo pesquisador, orientador do estudo e autor das escalas complementares(11). As versões foram confrontadas, e as divergências solucionadas do modo mais propício pelo pesquisador e orientador do estudo, de modo a permitir alterações na versão síntese, denominada de R12.

Pré-Teste com a população-alvo

A versão R12 foi traduzida para o português, a fim de realizar o pré-teste. Nesta etapa, uma amostra da população responde à versão pré-final do instrumento, com o intuito de verificar se há erros ou desvios na tradução, o que permite avaliar a validade de face e equivalência semântica do instrumento(12,15-16).

Realizou-se o pré-teste com amostra não aleatória de 31 profissionais de um hospital de grande porte localizado no interior do estado de São Paulo, que pertence ao governo estadual e é mantido com recursos do Sistema Único de Saúde, acreditado pela ONA (nível III) e Acreditação Internacional Canadense.

Solicitou-se a estes profissionais que indicassem o quanto compreenderam de cada item, com base em uma escala Likert: 0 (não entendi nada); 1 (entendi só um pouco); 2 (entendi mais ou menos); 3 (entendi quase tudo, mas tive algumas dúvidas); 4 (entendi quase tudo) a 5 (entendi perfeitamente e não tive dúvidas). Foi solicitado ainda que descrevessem eventual dificuldade de compreensão das questões.

As análises descritivas dos dados do pré-teste foram realizadas utilizando o software Statistical Package for the Social Sciences, versão 17.0.

RESULTADOS

Comparando as traduções para o português, divergências foram discutidas pelos pesquisadores e decisões tomadas por consenso. De acordo com o referencial teórico-metodológico, considerou-se nível de concordância de, no mínimo 80%, entre os especialistas.

Do pré-teste, participaram quatro enfermeiros, cinco técnicos e seis auxiliares de enfermagem, três médicos, dois nutricionistas, um farmacêutico/bioquímico, dois auxiliares de farmácia, dois recepcionistas, um gerente de Recursos Humanos, um assistente de planejamento, um gerente de engenharia e três auxiliares administrativos. Os profissionais eram oriundos de unidades diversas: Clínica, Cirurgia, Terapia Intensiva, Pediatria, Laboratório, Farmácia, Administração/Direção, Controle de Infecção Hospitalar e outras.

As questões mostraram-se de fácil compreensão. A média global de compreensão alcançada chegou a 4,58 (valor máximo=5). Os graus médios de compreensão verbal, apresentados na Tabela 1, demonstram valores médios superiores a 4,30.

Tabela 1 Avaliação da compreensão verbal da Pesquisa sobre a Implementação de Melhoria da Qualidade, São Paulo, Brasil, 2016 

Questões População-alvo (n=31)Número de respostas válidas Média
(Desvio-padrão)
Dimensões Parte I
Seção A- Cultura
do Hospital
Cultura do Hospital
1 96,7% 4,63 (0,72)
2 4,33 (0,92)
3 4,30 (0,84)
4 4,37 (0,96)
Gerência Hospitalar
5 100% 4,32 (1,08)
6 4,39 (0,92)
7 4,58 (0,89)
8 4,48 (0,90)
Coesão da Equipe
9 100% 4,29 (1,13)
10 4,58 (0,72)
11 4,48 (0,85)
12 4,35 (1,05)
Ênfase do Hospital
13 100% 4,45 (0,89)
14 4,58 (0,85)
15 4,58 (0,76)
16 4,58 (0,85)
Recompensas
do Hospital
17 100% 4,52 (0,99)
18 4,48 (1,18)
19 4,65 (0,75)
20 4,55 (0,99)
Seção B – Ações do
Hospital para a melhoria
da qualidade.
Liderança
21 100% 4,65 (0,61)
22 4,29 (1,01)
23 4,48 (0,72)
24 4,52 (1,03)
25 4,29 (1,01)
26 4,32 (1,08)
27 4,58 (0,67)
28 4,52 (0,81)
29 4,42 (0,76)
30 4,35 (0,87)
31 4,55 (0,62)
Informação e Análise
32 100% 4,45 (0,92)
33 4,55 (0,67)
34 4,58 (0,72)
35 4,23 (1,12)
36 4,39 (0,76)
37 4,32 (0,75)
38 4,39 (1,05)
Planejamento Estratégico
da Qualidade
39 100% 4,48 (0,89)
40 4,74 (0,63)
41 4,55 (0,92)
42 4,61 (0,84)
43 4,71 (0,74)
Planejamento Estratégico
da Qualidade
44 100% 4,26 (1,29)
45 4,32 (1,32)
Utilização de Recursos
Humanos
46 100% 4,48 (0,85)
47 4,52 (0,85)
48 4,65 (0,71)
49 4,35 (1,23)
50 4,45 (0,89)
51 4,61 (0,71)
52 4,61 (0,76)
53 4,61 (0,67)
Gestão da Qualidade
54 100% 4,61 (0,76)
55 4,32 (1,01)
56 4,58 (0,67)
57 4,48 (0,92)
58 4,58 (0,72)
59 4,68 (0,54)
60 4,55 (0,72)
61 4,68 (0,47)
62 4,61 (0,71)
Resultados da Qualidade
63 100% 4,48 (0,85)
64 4,58 (0,76)
65 4,61 (0,71)
66 4,58 (0,85)
67 4,65 (0,61)
68 4,55 (0,85)
69 4,55 (0,81)
Satisfação do Cliente
70 100% 4,61 (0,76)
71 4,55 (0,77)
72 4,61 (0,84)
73 4,45 (1,09)
74 4,65 (0,61)
75 4,55 (0,67)
76 4,61 (0,84)
77 4,52 (1,03)
78 4,42 (1,12)
Parte II – Escalas
Complementares
Acreditação
79 100% 4,35 (1,23)
80 4,55 (0,89)
81 4,61 (0,89)
82 4,74 (0,57)
Benefícios da Acreditação
83 100% 4,55 (0,96)
84 4,68 (0,91)
85 4,77 (0,62)
86 4,68 (0,79)
87 4,71 (0,74)
88 4,81 (0,60)
89 4,74 (0,63)
90 4,81 (0,60)

A versão final do questionário é composta por 14 dimensões, com 90 itens.

Quadro 1 Apresentação dos principais itens adaptados após avaliação realizada por especialistas, público-alvo no pré-teste e pesquisadores do estudo, Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil, 2016 

Documento original Versão pré-final
(T12)
Versão final
(Após pré-teste)
Título
Quality Improvement Implementation
Survey
Pesquisa de Implementação de Melhoria
da Qualidade
Pesquisa sobre a Implementação de
Melhoria da Qualidade
Parte I
Seção A – Cultura do hospital
Hospital Character Ambiente do Hospital Ambiente Hospitalar
Item 2: Hospital B is a very dynamic and
entrepreneurial place. People are willing
to stick their necks out and take risks.
O Hospital B é um local muito dinâmico
e moderno/ empresarial. As pessoas estão
dispostas a se expor e assumir riscos.
O Hospital B é um local muito dinâmico e
empreendedor. As pessoas estão dispostas
a ousar e assumir riscos.
Hospital Cohesion Coesão da Equipe ou Coesão Hospitalar Coesão da Equipe
Item 17: Hospital A distributes its rewards
fairly equally among its members. It’s
important that everyone from top to
bottom be treated as equally as possible.
O Hospital A distribui suas recompensas
de maneira razoavelmente igual entre
seus membros. É importante que todos,
de cima a baixo, sejam tratados da forma
mais igualitária possível.
O Hospital A distribui suas recompensas
de maneira razoavelmente igual entre
seus membros. É importante que todos,
independentemente da função ou
hierarquia, sejam tratados da forma mais
igualitária possível.
Seção B – Ações do hospital para a
melhoria da qualidade.
Item 21: The senior executives provide
highly visible leadership in maintaining
an environment that supports quality
improvement.
Os executivos seniores demonstram
liderança altamente visível na manutenção
de ambiente que encoraja a melhoria da
qualidade.
A alta direção demonstra liderança
altamente visível na manutenção de
ambiente que encoraja a melhoria da
qualidade.
Item 24- The senior executives consistently
participate in activities to improve the
quality of care and services.
Os executivos seniores participam de
forma coerente e constante das atividades
para melhorar a qualidade do cuidado e
dos serviços.
Os executivos principais participam de
forma consistente das atividades para
melhorar a qualidade do cuidado e dos
serviços.
Item 39: Hospital employees are given
adequate time to plan for and test
improvements.
Os trabalhadores do hospital dispõem
de tempo suficiente para planejar e testar
melhorias.
Os funcionários do hospital dispõem de
tempo suficiente para planejar e testar
melhorias.
Item 58.The hospital works closely with
suppliers to improve the quality of their
products and services.
O hospital trabalha próximo aos
fornecedores para melhorar a qualidade
dos seus produtos e serviços.
O hospital mantém estreita relação com
os fornecedores para melhorar a qualidade
dos seus produtos e serviços.
Item 59: The hospital tries to design
quality into new services as they are being
developed.
O hospital busca implementar a qualidade
nos novos serviços, assim que estes
começam a ser oferecidos.
O hospital tenta planejar a qualidade nos
novos serviços à medida que estão sendo
desenvolvidos.
Item 61.The hospital views quality
assurance as a continuing search for ways
to improve.
O hospital vê a garantia da qualidade
como uma busca contínua por maneiras
de melhorar.
O hospital vê a gestão da qualidade como
uma forma contínua de melhorar.
Parte II - Escalas complementares
Item 79. During the preparation for the
last survey, important changes were
implemented at the hospital.
Durante a preparação para a última
avaliação, mudanças importantes foram
implementadas no hospital.
Durante a preparação para a última visita
de acreditação, importantes mudanças
foram implementadas no hospital.
Item 83. Accreditation enables the
improvement of patient care.
A acreditação possibilita a melhoria do
cuidado aos pacientes.
A acreditação possibilita a melhoria da
assistência aos pacientes.
Item 88. Accreditation enables the hospital to
better respond to its partners (other hospitals,
diverse hospitals, private clinics, etc.)
A acreditação possibilita que o hospital
responda melhor a seus parceiros (outros
hospitais, diversos hospitais, clínicas
privadas, etc.).
A acreditação possibilita que o hospital
responda melhor a seus parceiros (Outros
serviços de saúde).

DISCUSSÃO

Com base no que foi apontado na revisão da literatura e nas discussões técnicas, este estudo cumpriu satisfatoriamente as etapas iniciais e essenciais da adaptação transcultural do QIIS e de suas escalas complementares para a língua portuguesa e o contexto hospitalar brasileiro. O questionário traduzido e adaptado apresentou valores satisfatórios de compreensão verbal.

A validade de face e de conteúdo conferiu ao instrumento equivalência semântica, idiomática e conceitual, por meio do comitê de especialistas e da participação dos sujeitos de pesquisa. A primeira refere-se à compreensão e à aceitação que as pessoas têm do que está sendo medido e à análise dos itens do instrumento após sua construção. Algumas questões podem auxiliar na avaliação: O que os indivíduos pensam que a escala mede? Eles entendem as questões? Eles se identificam com os itens e as respostas?(17-18). Já a validade de conteúdo demonstra se o conteúdo de um instrumento é adequado em termos de número e alcance dos seus itens. Avalia a relevância de cada domínio, considerando a definição conceitual dos constructos, a fim de assegurar a sensibilidade e abrangência das questões(19).

Destaca-se que ambas as escalas não passaram pelo processo da análise psicométrica, apresentando apenas o alpha de Cronbach. Assim, para a avaliação psicométrica deste estudo, os autores realizarão a análise fatorial confirmatória e exploratória, com o objetivo de identificar o padrão de correlações ou de covariância entre as variáveis.

Vale destacar que este é o primeiro questionário em português do Brasil que avalia especificamente os resultados da implementação do programa de Acreditação Hospitalar. Ressalta-se também ainda ser necessário realizar as análises psicométricas do questionário para concluir o processo de validação.

CONCLUSÃO

Este artigo abordou as etapas iniciais do desenvolvimento e validação da nova versão de dois questionários. O objetivo era desenvolver um instrumento que possibilitasse mensurar as potencialidades e fragilidades do programa de Acreditação Hospitalar para profissionais e instituição.

Os resultados deste estudo demonstram que a versão adaptada do QIIS e as escalas complementares mantiveram equivalência semântica, idiomática, conceitual e cultural, segundo a avaliação do comitê de especialistas e com base nas informações fornecidas pela população-alvo, o que confirma a validade de face e conteúdo do instrumento.

Contudo, ainda precisa ser submetido a novos testes para avaliação de outras propriedades psicométricas, dentre elas consistência interna, confiabilidade e validade de constructo. Espera-se que a nova versão possa avaliar, com fidelidade, os resultados do programa de melhoria da qualidade.

FOMENTO

Este estudo tem o apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

AGRADECIMENTO

Os autores agradecem à Professora Doutora Rosana Aparecida Spadoti Dantas, pelas sugestões de melhoria no desenvolvimento metodológico e análise psicométrica.

REFERÊNCIAS

1 Castro SFF, Santos AR, Santos ACSA, Neta FLA, Castro JZA, et al. Acreditação no contexto de um hospital público: achados da avaliação externa diagnóstica. Rev Acred [Internet]. 2013[cited 2015 Apr 02];3(6):1-13. Available from: http://cbacred.tempsite.ws/ojs/index.php/Acred01/article/view/143Links ]

2 Manzo BF, Brito MJM, Alves M. Influência da comunicação no processo de acreditação hospitalar. Rev Bras Enferm [Internet]. 2013[cited 2016 Mar 04];66(1):46-51. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n1/v66n1a07.pdfLinks ]

3 Braithwaite J, Westbrook J, Pawsey M, Greenfield D, Naylor J, Iedema R. A prospective, multi-method, multi-disciplinary, multi-level, collaborative, social-organisational design for researching health sector accreditation. BMC Health Services Research [Internet]. 2006[cited 2016 May 02];6:113. Available from: http://bmchealthservres.biomedcentral.com/articles/10.1186/1472-6963-6-113Links ]

4 Greenfield D, Pawsey M, Naylor J, Braithwaite J. Are accreditation surveys reliable? Int J Health Care Qual Assur [Internet]. 2009[cited 2016 Apr 16];22(2):105-16. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19536962Links ]

5 Organização Nacional de Acreditação (ONA). O que é Acreditação? [Internet]. [cited 2016 Aug 15]. Available from: https://www.ona.org.br/Pagina/27/O-que-e-AcreditacaoLinks ]

6 Alves VLS. Gestão da Qualidade: ferramentas utilizadas no contexto contemporâneo da saúde. 2 ed. São Paulo: Martinari, 2012. [ Links ]

7 Schiesari LMC. Avaliação externa de organizações hospitalares no Brasil: podemos fazer diferente? Ciência e Saúde Colet [Internet]. 2014[cited 2016 May 02];19:4229-34. Available from: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n10/1413-8123-csc-19-10-4229.pdfLinks ]

8 Nicklin W, Dickson S. The value and impact of accreditation in health care: a review of the literature. Accreditation Canada. [Internet]. 2008[cited 2015 May 02]. Available from: https://accreditation.ca/sites/default/files/value-and-impact-en.pdfLinks ]

9 El-Jardali F, Jamal D, Dimassi H, Ammar W, Tchaghchaghian V. The impact of Hospital accreditation on quality of care: perception of Lebanese nurses. Int j Qual Health Care [Internet]. 2008[cited 2016 Apr 16];20:363-7. Available from: http://intqhc.oxfordjournals.org/content/20/5/363.longLinks ]

10 Shortell SM, O'brien JL, Carman JM, Foster RW, Hughes EF, Boerstler H, et al. Assessing the impact of continuous quality improvement/total quality management: concept versus implementation. Health Serv Res. 1995; 30: 377-401. [ Links ]

11 Pomey MP, Contandriopoulos AP, François P, et al. Accreditation as a tool for organizational change. Int Health Care Qual Assur. 2004; 17: p.113-24. [ Links ]

12 Beaton D, Bombardier C, Guillemin F, Ferraz MB. Recommendations for the Cross-cultural adaptation of the DASH & QuickDASH Outcome Measures [Internet]. American Academy of Orthopaedic Surgeons and Institute for Work & Health; 2007[cited 26 Jun 2015]. Available from: http://www.dash.iwh.on.ca/sites/dash/files/downloads/cross_cultural_adaptation_2007.pdfLinks ]

13 Ferrer M, Alonso J, Prieto L, Plaza V, Monsó E, Marrades R, et al. Validity and reliability of the St George's Respiratory Questionnaire after adaptation to a different language and culture: the Spanish example. Eur Respir J. 1996;9(6):1160-6. [ Links ]

14 Pasquali L. Instrumentos psicológicos: Manual prático de elaboração. Brasília: LabPAM/IBAPP, 1999. [ Links ]

15 Guillemin F, Bombardier C, Beaton D. Cross-cultural adaptation of health- related quality of life measures: literature review and proposed guidelines. J Clin Epidemiol. 1993;46(12):1417-32. [ Links ]

16 Pasquali L. Psicometria. Rev Esc Enferm[Internet]. 2009 [cited 02 Apr 2016];43(Esp):992-99. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v43nspe/a02v43ns.pdfLinks ]

17 Cardoso I. Aspectos Transculturais na Adaptação de Instrumentos de Avaliação Psicológica. Interações [Internet]. 2006 [cited 02 Apr 2016];[S.l.]:10. Available from: http://www.interacoes-ismt.com/index.php/revista/article/view/178Links ]

18 Chwalow AJ. Cross-cultural validation of existing quality of life scales. Patient Educ Counsel [Internet]. 1995[cited 05 Jul 2015];26(1-3):313-18. Available from: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/073839919500767TLinks ]

19 Fayers PM, Machin D. Scores and Measurements: validity, reliability, sensitivity. Quality of life: assessment, analysis and interpretation. New York: Wiley, 2007. [ Links ]

Recebido: 05 de Maio de 2016; Aceito: 25 de Agosto de 2016

AUTOR CORRESPONDENTE: Graziela Caldana. E-mail: graziela.caldana@usp.br

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que o trabalho original seja corretamente citado.