SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.51 issue5Reconhecimento social author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Administração de Empresas

Print version ISSN 0034-7590

Rev. adm. empres. vol.51 no.5 São Paulo Sept./Oct. 2011

https://doi.org/10.1590/S0034-75902011000500010 

INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

 

Teoria das restrições

 

 

A Teoria das Restrições, conhecida como TOC (Theory of Constraints), foi concebida na década de 1980, pelo físico israelense Eliyahu Goldratt. Expandiu-se rapidamente, graças aos resultados obtidos. Em 11 de junho último, Eli nos deixou, aos 64 anos de idade. A TOC é baseada em três pressupostos: uma organização possui uma meta a ser atingida; uma organização é mais que a soma de suas partes e o desempenho de uma organização é limitado por poucas variáveis, ditas restrições do sistema. Existem cinco etapas decorrentes desses pressupostos: identificar as restrições do sistema; decidir como explorá-las; subordinar tudo o mais à decisão anterior; elevar as restrições do sistema e voltar à primeira etapa sem permitir que a inércia cause uma restrição do sistema. As seguintes obras, indicadas pelo professor João Mario Csillag (FGV-EAESP), propiciam um maior aprofundamento nesse tema.

 

 

A META: Um processo de melhoria contínua. Eliyahu M. Goldratt e Jeff Cox. São Paulo: Nobel, 2007. 224 p.

Publicada inicialmente em 1984, 1ª edição é uma obra consagrada, com mais de dois milhões de exemplares vendidos no mundo, traduzida em mais de 20 idiomas e adotada por mais de 200 faculdades. Escrita em estilo de novela, explica o funcionamento de uma típica indústria dos anos 1980, questiona o porquê de sua forma de funcionamento e como resolver os problemas, como atrasos de produção e estoques em excesso, que causam prejuizos.

 

 

THE LOGICAL THINKING PROCESS: A systems approach to complex problems solving. H. William Dettmer. Milwaukee: ASQ Quality Press, 2007. 413 p.

O autor trata do processo de raciocínio desenvolvido por Goldratt e publicado, em 1994, no livro Não é sorte. Detalha os seis diagramas lógicos denominados Logic Trees (Mapa de Objetivos Intermediários, Árvore da Realidade Atual, Diagrama de Conflitos, Árvore da Realidade Futura, Árvore de Pré-Requisitos e Árvore de Transição). Apresenta também uma série de regras (Categorias de Ressalvas Legítimas) que governam suas construções. Permite abordar inúmeros problemas que envolvem restrições não físicas.

 

 

BÚSSOLA FINANCEIRA: O processo decisório da Teoria das Restrições. Thomas Corbett. São Paulo: Nobel, 2005. 208 p.

O livro é fruto da dissertação de mestrado de Thomas Corbett na FGV-EAESP. Publicado nos EUA em 1998, com o nome de Throughput accounting, o autor aplica a Teoria das Restrições à gestão financeira por meio do sistema de informação gerencial que relaciona as decisões com a lucratividade da empresa. Com exemplos práticos, demonstra que ferramentas de contabilidade podem levar a decisões equivocadas e propõe corrigi-las conhecendo as fontes internas de lucratividade.

 

 

CORRENTE CRÍTICA. Eliyahu M. Goldratt. São Paulo: Nobel, 2006. 260 p.

Mais uma obra de ficção de Goldratt voltada à administração empresarial, aborda o gerenciamento de projetos de uma maneira nova e eficaz, tendo por base a Teoria das Restrições. Mostra a causa de atrasos em projetos e propõe uma maneira de reduzi-los, eliminando os enormes desperdícios que normalmente ocorrem devido à multitarefa danosa, "síndrome de estudante" e demais vícios. Introduz um conceito inovador no gerenciamento para garantir o cumprimento de prazos do projeto.

 

 

BE FAST OR BE GONE: Racing the clock with critical chain project management. Andreas Scherer. Lake Ridge: ProChain Press, 2011. 234 p.

O autor é especialista em gerenciamento de projetos para grandes empresas multinacionais. Este suspense descreve a implantação do método Corrente Crítica numa empresa farmacêutica para agilizar o desenvolvimento de um medicamento contra o câncer. Além de mostrar como lidar com o gerenciamento simultâneo das restrições de velocidade, custo e qualidade, típicas de um projeto, o livro explica como contornar a resistência normal a um novo método, como o da Corrente Crítica.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License