SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 issue4Coliform enumeration in mussel-growing waters from Niteroi city, RJ-BrazilSerological surveillance on South American wild canids for Neospora caninum author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

  • Article in xml format
  • How to cite this article
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Automatic translation

Indicators

Related links

Share


Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

Print version ISSN 0102-0935On-line version ISSN 1678-4162

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. vol.54 no.4 Belo Horizonte July/Aug. 2002

https://doi.org/10.1590/S0102-09352002000400017 

COMUNICAÇÃO

[Communication]

 

Ocorrência de tuberculose em rebanhos bubalinos (Bubalus bubalis var. bubalis-Linneus, 1758) no Município de Parintins, Amazonas

[Ocurrence of tubercullosis in herds of buffaloes of Amazonas State, Brazil]

 

P.M.P.C. Mota1, F.C.F. Lobato2, R.A. Assis2, A.P. Lage2, P.M. Parreiras1, R.C. Leite2

1Laboratório Regional de Apoio Animal-LARA-MG
Avenida Rômulo Joviano, s/no
Caixa Postal 35/50
CEP 33600-000, Pedro Leopoldo-MG
2Escola de Veterinária da UFMG

 

Recebido para publicação em 8 de novembro de 2001
Recebido para publicação, após modificações, em 6 de maio de 2002
E-mail:
ronnieassis@yahoo.com

 

 

Assim como os bovinos, o búfalo é sensível ao Mycobacterium bovis e a ocorrência da tuberculose nesta espécie tem sido relatada em diversos países, inclusive no Brasil (Melo et al., 1965; Portugal et al., 1971). O efetivo de búfalos no município de Parintins, situado no baixo Amazonas, é de 80.000 animais. A criação de búfalos constitue importante atividade econômica na região Amazônica, sendo para muitos criadores a principal fonte de renda. Parintins também caracteriza-se como porta de entrada por via fluvial de animais provenientes de outras regiões do país, sendo pólo sócio-econômico de alguns municípios dos estados do Amazonas e Pará.

Como praticamente não são encontrados na literatura nacional dados relativos ao diagnóstico de tuberculose em búfalos e com o incremento da criação desses animais e de sua importância econômica, este trabalho teve como objetivo descrever a ocorrência de tuberculose em búfalos no município de Parintins, Amazonas.

Foram testados 1303 bubalinos de sete propriedades. O rebanho era composto de animais mestiços com idade acima de dois anos. Os animais foram submetidos à prova de tuberculinização comparada (Langenegger et al., 1981), sendo empregada a tuberculina PPD aviária e PPD bovina, na concentração de 2500UI e 5000UI por dose, respectivamente. A aplicação das tuberculinas foi intradérmica na região da escápula, a aviária anterior à PPD bovina em locais previamente depilados, cerca de 15cm um do outro. Foram usadas seringas da marca Mclinktoc com dose automática de 0,1ml. A leitura foi realizada 72 horas após a inoculação, baseando-se nas chaves de interpretação da tuberculinização de bovinos em uso no Brasil (Langenegger et al., 1981). Tendo em vista a ocorrência de animais reagentes nas propriedades pesquisadas, dois animais de cada uma delas que apresentaram reações mais pronunciadas à prova de tuberculinização alérgica foram sacrificados, visando a confirmação do diagnóstico pela necropsia e isolamento do agente. À necropsia, o exame macroscópico revelou com maior freqüência presença de linfonodos do trato respiratório aumentados de volume, com aspecto granulomatoso e que rangiam ao corte. Em alguns casos também foram encontradas lesões em linfonodos retrofaríngeos, parotideanos e mesentéricos. Fragmentos desses linfonodos foram coletados e remetidos sob refrigeração ao setor de tuberculose do Laboratório Regional de Apoio Animal do Ministério da Agricultura e do Abastecimento em Pedro Leopoldo, Minas Gerais para exame bacteriológico. Um pool desses fragmentos de linfonodos foi processado inicialmente segundo técnica descrita por Mota et al. (1987), e em seguida inoculou-se o material nos caldos Löwenstein-Jensen e Stonebrink (Kantor, 1988) à 37oC em aerobiose por 60 dias. Os tubos foram checados semanalmente para verificação de crescimento e colônias sugestivas de micobactéria foram examinadas para a presença de bastonetes álcool-ácidos resistentes (BAAR) pela técnica de Ziehl-Neelsen e submetidas a testes bioquímicos (Grange et al., 1996).

Dos 1303 animais submetidos à prova alérgica, 266 apresentaram reações positivas, representando freqüência de 20,4%. Este resultado foi superior aos obtidos por Melo et al. (1965) e Portugal et al. (1971), que encontraram no Estado de São Paulo freqüência de animais reagentes à tuberculinização de 15,2% e 6,04%, respectivamente. Apesar da alta freqüência de animais reagentes observada por Melo et al. (1965), os autores não concluíram se as reações positivas foram devidas à infecção tuberculosa ou à reações inespecíficas, já que não foi realizada necropsia na tentativa de encontrar lesões características de tuberculose, bem como por não ter sido feito isolamento do agente envolvido.

Crescimento de colônias brancas, pequenas, com bordas irregulares e superfície granular típicas de M. bovis foram observadas a partir do 28º dia de incubação da amostra no meio Stonebrink. À coloração de Ziehl-Neelsen, observou-se presença maciça de BAAR. Por meio das provas bioquímicas as colônias foram identificadas como pertencentes a M. bovis. No Brasil, apesar de outros trabalhos relatarem a ocorrência de tuberculose em búfalos, reforça-se mais uma vez que são poucos os casos de confirmação laboratorial da doença, sendo o diagnóstico na maioria dos casos baseado apenas na ocorrência de reações alérgicas. Este trabalho, pelo fato de ter sido feito isolamento do agente a partir dos espécimes clínicos de 14 animais sacrificados, permitiu confirmar que a doença estava presente em todos os rebanhos estudados.

O maior acometimento dos linfonodos do trato respiratório sugere que a via respiratória seja mais importante do que a oral na transmissão da tuberculose em búfalos.

Os resultados obtidos demonstram que a tuberculose é uma enfermidade relevante nos criatórios bubalinos de Parintins, portanto faz-se necessária a rápida aplicação de medidas que visem o controle e a erradicação da doença.

Palavras-chave: Búfalo, tuberculose, isolamento, Mycobacterium bovis

 

ABSTRACT

A comparative tuberculinization test was performed in 1303 animals from seven farms and 266 showed positive to the test. Mycobacterium bovis was isolated from a pool of lymphatic nodes from 14 reagents animals using Stonebrink media and confirmed by biochemical tests.

Keywords: Buffalo, tubercullosis, isolation, Mycobacterium bovis

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

GRANGE, J.M.; YATES, M.D.; KANTOR, I.M. Guidelines for specification within the Mycobacterium tuberculosis complex. World Health Organization. 2.ed., 1996. 23p.        [ Links ]

KANTOR, I. Centro Panamericano de Zoonozis. Série de Monografias Científicas e Técnicas, Martinez, n.11, 1988. 69p.        [ Links ]

LANGENEGGER, J.; LANGENEGGER, C.H.; MOTA, P.M.P.C. et al. Reações inespecíficas no diagnóstico alérgico da tuberculose bovina no Brasil. Pesq. Vet. Bras., v.1, p.145-149, 1981.        [ Links ]

MELLO, D.; QUEIROZ, J.C.; GALVÃO, T.B. Reações positivas à prova de tuberculina em búfalos, Bubalus bubalis, var. Bubalis (LINNEU 1758). Rev. Med. Vet., v.1, p.115-116, 1965.        [ Links ]

MOTTA, P.M.P.C.; LANGENEGGER, J.; LANGENEGGER, C.H. Micobactérias atípicas isoladas de nódulos de esofagostomose bovina. Pesq. Vet. Bras., v.7, p.7-10, 1987.        [ Links ]

PORTUGAL, M.A.S.C.; GIORG, W.; SIQUEIRA, P.A. Ocorrência de tuberculose em bubalinos (Buballus bubalis var. Bubalis lineus, 1758) no Estado de São Paulo. Arq. Inst. Biol., v.4, p.231-238, 1971.        [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License