SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 número5Resistência antimicrobiana em Salmonella Enteritidis isoladas de amostras clínicas e ambientais de frangos de corte e matrizes pesadasIncidência de coccidiosis em diferentes sistemas de criação de coelhos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

  • Português (pdf)
  • Artigo em XML
  • Como citar este artigo
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Tradução automática

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

versão impressa ISSN 0102-0935versão On-line ISSN 1678-4162

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. v.60 n.5 Belo Horizonte out. 2008

https://doi.org/10.1590/S0102-09352008000500033 

COMUNICAÇÃO COMMUNICATION

 

Perfil de sensibilidade e multirresistência em linhagens de Escherichia coli isoladas de infecção do trato urinário, de piometra e de fezes de cães

 

Sensitivity profile and multiresistance in Escherichia coli strains isolated from urinary tract infection, pyometra and feces of dogs

 

 

A.K. SiqueiraI; M.G. RibeiroI; T. SalernoI; R.K. TakahiraI; M.D. LopesI; N.C. PrestesI; A.V. SilvaII

IFaculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - UNESP - Caixa Postal 560 - 18618-000 - Botucatu, SP
IIUNIPAR - Umuarama, PR

 

 


Palavras-chave: cão, E. coli, sensibilidade antimicrobiana, infecção do trato urinário, piometra


ABSTRACT

Susceptibility profile and multiple drug resistance in 158 E. coli strains isolated from urinary tract infection (UTI), pyometra, and feces of dogs were studied. Norfloxacin, ciprofloxacin, and enrofloxacin were the most-effective drugs (>60%) for E. coli strains. High rates of resistance to antimicrobials were observed in 60% or more of the isolated strains using sulfametoxazole/trimetoprim. Multiple drug resistance for three or more antimicrobials was observed in two (47.1%) strains isolated from UTI, seven (13.5%) from pyometra, and four (7.3%) from feces. From these, 17 (33.3%), one (1.9%), and three (5.5%), respectively, showed multiple resistance to five or more drugs.

Keywords: dog, E. coli, antimicrobial susceptibility, urinary tract infection, pyometra


 

 

Escherichia coli (E. coli) é considerada o principal microrganismo na casuística de infecções do trato urinário (ITU) no homem e em animais. À semelhança das ITU, E. coli é comumente isolada na piometra em cães, ocorrendo como o único agente ao redor de 59 a 96% dos casos (Nelson e Couto, 2003; Greene, 2006).

Russo e Johnson (2000) propuseram a utilização do acrônimo extra-intestinal pathogenic E. coli (ExPEC) para denominação de linhagens de E. coli não diarreiogênicas, associadas às infecções extra-intestinais. Dependendo do sistema ou do órgão acometidos, essas linhagens também podem ser denominadas uropathogenic E. coli (UPEC), meningits - associated E. coli (MNEC) e avian pathogenic E. coli (APEC) (Russo e Johnson, 2000; Kaper et al., 2004). Estudos têm apontado que as linhagens de E. coli isoladas de ITU e piometra são bioquimicamente e geneticamente semelhantes (Fransson e Ragle, 2003). No entanto, ExPEC são filogeneticamente e epidemiologicamente distintas das bactérias comensais e patogênicas dos intestinos (Russo e Johnson, 2000).

A presença de fatores de virulência é fundamental para que os microrganismos possam se estabelecer no sistema gênito-urinário, especialmente enterobactérias como E. coli (Greene, 2006; Sousa, 2006). Determinadas linhagens apresentam resistência aos antimicrobianos por produzirem enzimas, mutações e seleção genética ou por possuírem em seu DNA fator de resistência denominado fator R (Nelson e Couto, 2003).

O objetivo deste estudo foi avaliar o perfil de sensibilidade e a ocorrência de multirresistência em linhagens de E. coli isoladas de ITU, piometra e fezes de cães sem sintomas entéricos.

Foram utilizadas 158 linhagens de E. coli isoladas de 52 casos de ITU, 51 de piometra e 55 das fezes de cães sem sintomas entéricos. Todas as linhagens foram submetidas ao método de difusão com discos em ágar (Bauer et al., 1966) utilizando-se: ampicilina (10g), cefalexina (30g), ceftiofur (30g), ciprofloxacina (5g), enrofloxacina (5g), florfenicol (30g), gentamicina (10g), norfloxacina (10g) e sulfametoxazol com trimetoprim (25g). Foram consideradas multirresistentes as linhagens que apresentaram resistência a três ou mais antimicrobianos. Como controle do teste de difusão com discos foram utilizadas as cepas de Escherichia coli ATCC FVL2, FVL8, FVL16, FV35, J96, ORN115 e O157H7 cedidas pelo Prof. Dr. Domingos da Silva Leite, Laboratório de Antígenos Bacterianos II, Unicamp, Campinas, SP.

Os maiores índices de sensibilidade das linhagens de E. coli isoladas de ITU foram observados para gentamicina, ciprofloxacina e norfloxacina. Para piometra, a ordem de sensibilidade foi: norfloxacina, ciprofloxacina e enrofloxacina. Para o grupo-controle (fezes), a efetividade foi observada com o uso de ciprofloxacina, norfloxacina e florfenicol. O maior índice de resistência das linhagens foi observado com o uso de sulfametoxazole/trimetoprim em 64,7% das linhagens isoladas de ITU, 73,1% de piometra e 61,8% das fezes (Tab. 1). A ocorrência de E. coli resistente a pelo menos três antimicrobianos foi observada em 24 (47,1%) linhagens isoladas de ITU, sete (13,5%) de piometra e quatro (7,3%) do grupo-controle. Resistência a cinco ou mais drogas foi constatada em 17 (33,3%) das linhagens isoladas de ITU, uma (1,9%) de piometra e três (5,5%) de fezes (Tab. 2). A freqüência de linhagens resistentes a três ou mais e a cinco ou mais antimicrobianos foi comparada entre os grupos pelo teste de Kruskall-Wallis. Todos os cálculos foram realizados utilizando-se o programa EpiInfo 6 (Centers for Disease Control, Atlanta), considerando um nível de significância α = 0,05.

Yates (1996), ao estudar 30 cadelas com piometra, evidenciou alta sensibilidade de E. coli à enrofloxacina e gentamicina. Lara et al. (2008), ao testarem 15 linhagens de E. coli isoladas de cadelas com piometra, relataram 100% de resistência para ampicilina, cefalexina, ciprofloxacina, gentamicina e norfloxacina. Villarroel et al. (2002), na Venezuela, ao investigarem o perfil de sensibilidade de 538 linhagens de E. coli isoladas de cães com ITU, observaram boa sensibilidade dos agentes para gentamicina, fluorquinolonas e ampicilina. Sanchez et al. (2002), ao estudarem 21 linhagens de E. coli isoladas de urina de cães verificaram resistência para sulfonamidas, tetraciclinas, cefalosporinas e gentamicina. Von Sydow et al. (2006), ao avaliarem linhagens de E. coli isoladas de fezes de cães errantes, observaram 100% de sensibilidade para norfloxacina, 87,2% para enrofloxacina e 73,6% para gentamicina. Nesse mesmo estudo, foi observada alta efetividade com o uso de sulfametoxazole (75,6%), droga altamente ineficaz nos 158 isolados estudados (Tab. 1).

A terapia das diferentes afecções bacterianas deveria fundamentar-se em testes de sensibilidade microbiana. Entretanto, a escolha dos antimicrobianos recai comumente na experiência profissional, no apelo comercial ou no custo de determinados produtos, aliada à dificuldade de acesso a laboratórios de microbiologia veterinária (Ribeiro et al., 2006). Cresce também, de forma preocupante, a indicação desses fármacos por pessoas não habilitadas que atuam em estabelecimentos comerciais do ramo de animais de companhia. Com efeito, o uso indevido e indiscriminado dos antimicrobianos (subdoses, superdoses, descontinuidade da terapia e "promotores de crescimento") pode aumentar a pressão seletiva para linhagens multirresistentes em cães e gatos.

A presença de linhagens de E. coli multirresistentes aos antimicrobianos em animais de companhia evidencia para os riscos em saúde pública, em virtude da provável transmissão de ExPEC dos animais para o homem, em face do estreito contato entre essas espécies. Maynard et al. (2004), ao investigarem ExPEC isoladas de diferentes espécies animais e do homem, encontraram 60% de resistência às sulfonamidas e acima de 50% para tetraciclinas e ampicilina. A multirresistência a três ou mais drogas foi encontrada em mais de 50% dos isolados, mostrando a similaridade de resistência entre linhagens isoladas de homens e outros animais.

Os estudos de vigilância bacteriológica são métodos de grande utilidade para se determinar as tendências da sensibilidade antimicrobiana das bactérias. Esses estudos são de validade temporal devido à capacidade das bactérias em desenvolverem mecanismos de resistência aos antimicrobianos. Essa realidade pressupõe a necessidade de estudos continuados de sensibilidade bacteriana, especialmente para E. coli, visando otimizar os protocolos terapêuticos e investigar a ocorrência de linhagens multirresistentes em virtude da possibilidade de transmissão cruzada entre homens e outros animais.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BAUER, A.W.; KIRBY, W.M.M.; SHERRIS, J.C. et al. Antibiotic susceptibility testing by a standardized single disk method. Am. J. Clin. Pathol., v.45, p.493-496, 1966.         [ Links ]

FRANSSON, B.A.; RAGLE, C.A. Canine pyometra; an update on pathogenesis and treatment. Compendium, v.25, p.602-612, 2003.         [ Links ]

GREENE, C.E. (Ed). Infectious diseases of the dog and cat. 3.ed. Canada: Saunders/Elsevier, 2006. 1387p.         [ Links ]

KAPER, J.B.; NATARO, J.P.; MOBLEY, H.L.T. Pathogenic Escherichia coli. Nat. Rev., v.2, p.123-140, 2004.         [ Links ]

LARA, V.M.; DONADELI, F.S.F.; CRUZ, A.B. et al. Multirresistência antimicrobiana em cepas de Escherichia coli isoladas de cadelas com piometra. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.60, p.1032-1034, 2008.         [ Links ]

MAYNARD, C.; BEKAL, S.; SANSCHAGRIN, F. et al. Heterogeneity among virulence and antimicrobial resistance gene profiles of extraintestinal Escherichia coli isolates from animal and human origin. J. Clin. Microbiol., v.42, p.5444-5452, 2004.         [ Links ]

NELSON, R.W.; COUTO, C.G. (Eds). Small animal internal medicine. 3.ed. St. Louis: Mosby, 2003. 1362p.         [ Links ]

RIBEIRO, M.G.; COSTA, E.O.; LEITE, D.S. et al. Fatores de virulência em linhagens de Escherichia coli isoladas de mastite bovina. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.58, p.724-731, 2006.         [ Links ]

RUSSO, T.A.; JOHNSON, J.R. Proposal for a new inclusive designation for extraintestinal pathogenic isolates of Escherichia coli: ExPEC. J. Infect. Dis., v.181, p.1753-1754, 2000.         [ Links ]

SANCHEZ, S.; STEVENSON, M.A.A.; HUDSON, C.R. et al. Characterization of multidrug resistant Escherichia coli isolates associated with nosocomial infections in dogs. J. Clin. Microbiol., v.40, p.3586-3595, 2002.         [ Links ]

SOUSA, C.P. The versatile strategies of Escherichia coli pathotypes: a mini review. J. Venom. Anim. Toxins Ind. Trop. Dis., v.12, p.363-373, 2006.         [ Links ]

VILLARROEL, E.; NAVARRO, P.; RAMOS, R. et al. J. Escherichia coli identificadas em pacientes com infecciones urinarias: sensibilidade antimicrobiana. Rev. Soc. Venez. Microbiol., v.22, p.1-6, 2002.         [ Links ]

VON SYDOW, A.C.M.D.G.; COOGAN, J.A.; MORENO, A.M. et al. Ocorrência de fatores de virulência em estirpes de Escherichia coli isoladas de fezes de cães errantes. Arq. Inst. Biol., v.73, p.401-407, 2006.         [ Links ]

YATES, D.G. The antimicrobial sensitivity of bacteria isolated from 30 cases of pyometra in the bitch. Irish Vet. J., v.49, p.709-710, 1996.         [ Links ]

 

 

Recebido em 18 de dezembro de 2007
Aceito em 2 de setembro de 2008

 

 

E-mail: kellersiqueira@hotmail.com

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons