SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 issue2Floristics and phytosociology of a natural grassland on a coal bank and mining areas, Rio Grande do Sul, BrazilRegeneration of rice plants (Oryza sativa L.) from immature panicles author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Botanica Brasilica

Print version ISSN 0102-3306

Acta Bot. Bras. vol.6 no.2 Feira de Santana Dec. 1992

https://doi.org/10.1590/S0102-33061992000200005 

Comportamento de regenerantes de Astronium urundeuva (Fr. All.) Engler em área sob ação antrópica

 

Behaviour of regenerating Astronium urundeuva (Fr. All.) Engler in antropic areas

 

 

Antonieta Nassif Salomão; Angela Maria Conte Leite

EMBRAPA/Centro Nacional de Pesquisa de Recursos Genéticos e Biotecnologia. C.P. 02372. 70.849 - Brasília-DF

 

 


RESUMO

O comportamento de regenerantes de aroeira (Astronium urundeuva) foi observado em área de pastagem. Verificaram-se proporções de 1,7 e 2 cepas para cada plântula. A distribuição desses indivíduos tendeu mais à agregação do que ao acaso. Constatou-se que na área em estudo, a regeneração assexuada; é mais importante para a manutenção da espécie do que a sexuada; provavelmente por haver concorrência entre a pastagem e as plântulas em estágio inicial de estabelecimento. Porém, após seu estabelecimento, as plântulas desenvolvem-se normalmente. Deve-se levar em consideração, tanto as plântulas quanto as cepas ao se definir metodologias de conservação in situ da espécie, visto ser praticamente impossível, hoje em dia, conservá-la isenta da ação antrópica.

Palavras-chave: Aroeira, plântulas, rebrotas, Astronium, conservação in situ.


ABSTRACT

The behaviour of seedlings and coppice-regenerants of Astronium urundeuva was observed in a pasture. A ratio of 1,7 and 2 regenerants for each seedling was recorded. Spatial distribution of Astronium seedlings and coppiceregenerants proved to be clustered rather than randomly dispersed. Vegetative regeneration seems to have played a more important role in the maintenance of the species in the study area when compared to sexual reproduction. This is probably due to competition between pasture species and the seedlings in the early stages of establishment. However, onde established, seedlings seem to do very well. When methods for in situ conservation are being proposed for Astronium it is important to consider not only seedlings but also coppice-regenerants, as it is almost impossible, at present, to conserve the species in areas without human disturbance.

Key words: Astronium, seedling, coppice-regeneration, in situ conservation


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

Agradecimentos

Agradecemos a colaboração do técnico agrícola Sérgio Eustáquio de Noronha durante o trabalho de campo.

 

Referências Bibliográficas

BILONI, J.S. 1976. Livro del árbol: esencias for estales indígenas de la Argentina de aplicación ornamental. Buenos Aires. Celulosa Argentina. 2. ed. Tomo II.         [ Links ]

FAO. 1986. Databook on endangered tree and shrubs species and provenances. Rome. (FAO FORESTRY PAPER, 77) 524p.         [ Links ]

FONSECA, M.R. DA. 1982. Vegetação da Caatinga. Silvicultura em São Paulo, 16 A, parte 1: 347-359. Ed. Especial.         [ Links ]

HERINGER, E. P. & M. B. FERREIRA, 1970. Árvores úteis da região geoeconômica do DF. Aroeira, gonçalo, gibatão. O gênero Astronium e sua importância florestal. Revista Cerrado, 22 (5): 23-24.         [ Links ]

KAGEYAMA, P.Y. & C.F.A. CASTRO. 1986. Conservação genética in situ e uso múltiplo da floresta. IN: V CONGRESSO FLORESTAL BRASILEIRO, XI (41), Olinda, PE.         [ Links ]

KLEIN, R.M. 1982. Contribuição à identificação de árvores nativas nas florestas do sul do Brasil. Silvicultura em São Paulo. 16 A, parte 1: 421-440. Edição Especial.         [ Links ]

MAINIEIRI, C. 1970. Madeiras brasileiras: características gerais, zonas de maior ocorrência, dados botânicos e usos. São Paulo. Indústrias Spinola Ltda. 109p.         [ Links ]

MARTINS, P.S. 1986. Estrutura de populações e recursos genéticos. Piracicaba. ESALQ/USP. Trabalho mimeografado. 16p.         [ Links ]

MATOS, F.J.A. 1982. Aproveitamento de plantas medicinais da região Nordeste. Silvicultura em São Paulo, 16 A, parte 1: 347-359. Edição Especial.         [ Links ]

RIBEIRO, J.F.; S.M. SANO; J. MACEDO & J.A. SILVA de. 1983. Os principais tipos fitofisionômicos da região dos Cerrados. Planaltina - DF. EMBRAPA/ CPAC, Boletim de Pesquisa, 21.         [ Links ]

RIZZINI, C.T. & E.P. HERINGER. 1962. Preliminares acerca das formações vegetais e do reflorestamento no Brasil Central. Rio de Janeiro. Ed. Serviço de Informações Agrícola. 79p.         [ Links ]

RIZZINI, C.T. 1971. Arvores e madeiras úteis do Brasil: manual de dendrologia brasileira. São Paulo. Edgar Blucher Ltda. 294p.         [ Links ]

RIZZINI, C.T. & W.B. MORS. 1976. Botânica econômica brasileira. São Paulo. EDUSP. 207p.         [ Links ]

ROCHE, L. 1987. Forest genetic resources conservation, Brazil. Bangor, IICA. 37p. (IICA/EMBRAPA report on three weeks consultancy).         [ Links ]

SIEGEL, S. 1977. Estatística não paramétrica: para as ciências do comportamento. São Paulo. McGraw-Hill. 350p.         [ Links ]

SPURR, S.H. & B.V. BARNES. 1980. Foresty Ecology. New York. JOHNWILEY & SONS. 687p.         [ Links ]

STREET, H.E. & H. OPIK. 1974. Fisiologia das Angiospermas: crescimento e desenvolvimento. São Paulo. EDUSP. 314p.         [ Links ]

 

 

Recebido em 16-09-91.
Aceito em 21-01-93.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License