SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 issue2Chromosome counts in brazilian species of Paspalum L. (Gramineae)Spatial distribution of bromeliads at "restinga" of Jurubatiba, Macaé, RJ author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Botanica Brasilica

Print version ISSN 0102-3306

Acta Bot. Bras. vol.14 no.2 Feira de Santana May/Aug. 2000

https://doi.org/10.1590/S0102-33062000000200004 

Análise florística e estrutural de florestas riparias do alto Rio Paraná, Taquaruçu, MS*

 

Floristic and structural analyses of riparian forest of the "Alto Rio Paraná", Taquaruçu, MS

 

 

Mariza Barion RomagnoloI; Maria Conceição de SouzaII

IPós-graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais, Universidade Estadual de Maringá, Departamento de Biologia, Nupelia, Maringá, PR, Brasil
IIUniversidade Estadual de Maringá, Departamento de Biologia, Nupelia, Avenida Colombo, 5790, CEP 87020-900, Maringá, PR, Brasil

 

 


RESUMO

Utilizando-se de método fitossociológico, foi realizado estudo comparativo entre três remanescentes de floresta riparia da margem direita do alto rio Paraná (22º43'-45'S; 53º15'-18'W). Em cada um deles foi demarcada uma área de 3.150m\ subdividida em 21 parcelas contínuas de 150m2, tendo como critério mínimo de amostragem o perímetro à altura do peito igual ou superior a 15cm. Foram levantados, na amostragem total, 58 espécies, 46 gêneros e 30 famílias, sendo duas indeterminadas. As famílias de maior riqueza específica foram Myrtaceae e Lauraceae com cinco espécies cada, Mimosaceae com quatro, Annonaceae e Rubiaceae com três cada uma, enquanto que os gêneros foram, Nectandra com quatro, Eugenia, Inga, Pouteria, Psidium e Sloanea com dois cada um. Os índices de diversidade (H') específicos foram de 2,94, 2,52 e 2,88 para, respectivamente, os remanescentes jusante, intermediário e montante. O índice de similaridade de Sorensen entre os três remanescentes variou de 54% a 65%. Do total de 58 espécies amostradas, somente 16 (26,7%) ocorreram nos três remanescentes. Dentre as 10 espécies de maior valor de importância, apenas Cecropia pachystachya e Inga uruguensis foram comuns aos remanescentes. Os resultados da análise fitossociológica, principalmente, permitiram concluir que o remanescente intermediário encontra-se em fase mais imatura de sucessão. A homogeneidade da topografia e do solo indicam que as diferenças estruturais entre os três remanescentes devem-se a fatores relacionados à antropização.

Palavras-chave: florística, fitossociologia, mata ciliar, floresta aluvial, rio Paraná, planície de inundação


ABSTRACT

In this study, the structure of the vegetation and the species diversity of three remnants of riparian forest of the right bank of the upper Paraná river (22º43'-45'S; 53º15'-18'W) were analysed and compared. In each forest remnant, 3,150m2 were marked and subdivided into 21 continuous plots of 150m2 each. Only trees with a perimeter at breast height > 15cm were measured. Fifity eigth species belonging to 46 genera and 30 families were found. Two taxa at the family level were still unidentified. The families Myrtaceae and Lauraceae had the highest number of species (five each), followed by Mimosaceae (four), Annonaceae and Rubiaceae (three each). The richest genera in terms of number of species were Nectandra, four, and Eugenia, Inga, Pouteria, Psidium and Sloanea, with two each. The specific diversity index for the downstream, the intermediate, and the upstream site were respectively 2.94, 2.52 and 2.88. The Sorensen similarity index was high between sites, ranging from 54% to 65%. Only 16 (26.7%) of the total of the species occurred in the three sites, the remaining species occurring in either one or two sites. Out of the 10 species with the highest importance value, only Cecropiapachystachya and Inga uruguensis were common in the three sites. The phytosociological analysis demonstrated that the intermediate remnant is in a less mature successional stage. The homogeneity of topography and soil indicated that the structural differences between the remnants might be related to anthropic action.

Key words: floristic, phytosociology, riparian forest, alluvial forest, Paraná river, floodplain


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

Referências bibliográficas

Agostinho, A. A. & Zalewski, M. 1996. A planície alagável do alto rio Paraná: importância e preservação. Editora da Universidade Estadual de Maringá, Maringá         [ Links ].

Assis, M. A. 1991. Fitossociologia de um remanescente florestal do rio Ivinheima (MS). Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.         [ Links ]

Barbosa, L. M. 1993. Vegetação ciliar: conceitos e informações práticas para conhecer e recuperar remanescentes degradados. Caderno de Pesquisa. Série Botânica 1: 3-36.         [ Links ]

Bertoni, J. E. A. 1984. Composição florística e estrutura fitossociológica de uma floresta do interior do Estado de São Paulo: Reserva Estadual de Porto Ferreira, SP. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.         [ Links ]

Budowski, G. 1965. Distribution of tropical Americam forest species in a light of successional processes. Turrialba 15(1): 40-42.         [ Links ]

Bukart, A. 1957. La vegetación del delta del Rio Paraná. Darwiniana 11(3): 457-563.         [ Links ]

Campos, J. B. & Souza, M. C. 1997. Vegetação. Pp. 333-344. In A. E. A. de M. Vazzoler, A. A. Agostinho & N. S. Hahn (Eds.), A planície de inundação do alto rio Paraná: aspectos físicos, biológicos e socioeconómicos. Editora da Universidade Estadual de Maringá. Maringá         [ Links ].

Campos, J. B.; Romagnolo, M. B.; Souza, M. C. 1997. Structure composition and, spacial distribution, tree species in a remnant of the semideciduous seasonal alluvial forest of the upper Parana river floodplain. Brazilian Archives of Biology and Technology 43(2): no prelo.         [ Links ]

Carvalho, D. A.; Oliveira-Filho, A. T.; Vilela, E. A. & Gavilanes, M. L. 1995. Flora arbustivo-arbórea de uma floresta riparia no alto rio Grande em Bom Sucesso/MG. Acta Botanica Brasilica 9(2): 231-245.         [ Links ]

Chagas e Silva, F.; Fonseca, E. R; Soares-Silva, L. H.; Müller, C. & Bianchini, E. 1995. Composição florística e fitossociologia do componente arbóreo das florestas ciliares da bacia do rio Tibagi-3. Fazenda Bom Sucesso, Município de Sapopema, PR. Acta Botanica Brasilica 9(2): 289-302.         [ Links ]

Elmore W. 1992. Riparian responses to grazing practices. Pp. 442-457. In: R. J. Naiman (Ed.), Watershed management: balancing sustainability and enviromental change. Springer-Verlag, New York.         [ Links ]

EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). 1984. Levantamento de reconhecimento dos solos do Estado do Paraná, t.2. (Boletim técnico), Curitiba.         [ Links ]

Felfili, J. M. 1994. Floristic composition and phytosociology of the gallery forest alongside the Gama stream in Brasília, DF, Brazil. Revista Brasileira de Botânica 17(2): 1-11.         [ Links ]

Fidalgo, O. & Bononi, V. L. R. 1989. Técnicas de coleta, preservação e herborização de material botânico. Instituto de Botânica/Secretária do Meio Ambiente, São Paulo.         [ Links ]

Godoy, R. 1988. Topografía básica. Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz ESALQ/FEALQ, Piracicaba.         [ Links ]

Holland, M. M. & Risser, P. G. 1988. Introduction: the role of landscape boundaries in the management and restoration of changing environments. Pp. 1-8. In M. M. Holland, P. G. & R. J. Naiama (Eds.), Ecotone. Chapman and Hall, London.         [ Links ]

IAPAR - Instituto Agronômico do Paraná, Curitiba. 1994. Cartas climáticas do Estado do Paraná. IAPAR, Londrina.         [ Links ]

Johnson, R. A. & Wichern, D. W. 1992. Appliede multivariate statistical analysis. Prentice Hall International Editors, London.         [ Links ]

Kageyama, P. Y. 1992. Recomposição da vegetação com espécies arbóreas nativas em reservatórios de usinas hidrelétricas da CESP. Piracicaba. Série Técnica IPEF, 8(25): 1-43.         [ Links ]

Kawakita, K. 1995. Florística e estrutura fitossociológica de um trecho da floresta ciliar da margem esquerda do ribeirão dos Apertados, Parque Estadual Mata dos Godoy, Londrina, PR. Monografía de Bacharelado. Universidade Estadual de Londrina, Londrina.         [ Links ]

Leitão-Filho, H. F. 1982. Apectos taxonômicos das florestas do Estado de São Paulo. Anais do Congresso Nacional de Essências Nativas, Campos do Jordão.         [ Links ] Silvicultura em São Paulo 16A: 197-206.         [ Links ]

Mantovani, W. 1989. Conceituação e fatores condicionantes. Pp.11-19. In: L. M. Barbosa (Coord.), Anais do Simpósio sobre Mata Ciliar. Fundação Cargil, Campinas.         [ Links ]

Mantovani, W. 1993. Estrutura e dinâmica da Floresta Atlântica na Juréia, Iguapé-SP. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo.         [ Links ]

Martins, F. R. 1979. O método de quadrantes e a fitossociologia de uma floresta residual do interior do Estado de São Paulo. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo.         [ Links ]

Matteucci, S. D. & Colma, A. 1982. Metodologia para el estudio de la vegetación. Secretaria General de la Organización de los Estados Americanos. Programa Regional de Desarrollo Cientificio y Tecnológico, Washington.         [ Links ]

Müller-Dombois, D. & Ellemberg, H. 1974. Aims and methods of vegetation ecology. John Wiley & Sons, New York.         [ Links ]

Nakajima, J. N.; Soares-Silva, L. H.; Medri, M. E.; Goldemberg, R. & Correa, G.T. 1996. Composição florística e fitossociológica do componente arbóreo das florestas riparias da Bacia do rio Tibagi: 5. Fazenda Monte Alegre, Municipio de Telêmaco Borba, Paraná. Arquivo de Biologia e Tecnologia 39(4): 933-948.         [ Links ]

Neiff, J. J. 1990. Ideas para la interpretación ecológica del Paraná. Interáenáa 15(6): 424-441.         [ Links ]

Oliveira-Filho, A. T.; Almeida, R. J.; Mello, J. M. & Gavilanes, M. L. 1994. Estrutura fitossociológica e variáveis ambientais em um trecho da mata ciliar do córrego dos Vilas-Boas, Reserva Biológica do Poço Bonito, Lavras (MG). Revista Brasileira de Botânica 17(1): 67-85.         [ Links ]

Rodrigues, R. R. 1989. Análise estrutural das formações florestais riparias. Pp.99-119. In: L. M. Barbosa (Coord.). Anais do Simpósio sobre Mata Ciliar. Fundação Cargil, Campinas.         [ Links ]

Rodrigues, R. R. 1991. Análise de um remanescente de vegetação natural às margens do rio Passa Cinco, Ipeúna, SP. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.         [ Links ]

Romagnolo, M. B.; Souza-Stevaux, M. C. & Ferrucci, M. S. 1994. Sapindaceae da planície de inundação do trecho superior do rio Paraná. Revista Unimar 16(3): 61-81.         [ Links ]

Salis, S. M. 1990. Composição florística e estrutura de um remanescente de mata ciliar do rio Jacaré-Pepira, Brotas, SP. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.         [ Links ]

Silva, P. M. 1995. Polygonaceae da planície de inundação do trecho superior do rio Paraná. Monografia de Bacharelado. Universidade Estadual de Maringá, Maringá         [ Links ].

Smith, C. E. & Smith, L. B. 1970. Eleocarpáceas. In: P. R. Reitz (Ed.), Flora Ilustrada Catarinense. Itajaí: Herbário Barbosa Rodrigues.         [ Links ]

Soares e Silva, L. H.; Bianchini, E.; Fonseca, E. R; Dias, M. C; Medri, M. E. & Zangaro-Filho, W. 1992. Composição florística e fitossociologia do componente arbóreo das florestas ciliares da bacia do rio Tibagi. 1. Fazenda Doralice - Ibiporã, PR. Pp. 199-206. In Anais Congresso Nacional sobre Essências Nativas, 2., São Paulo 1992. Instituto Florestal, São Paulo.         [ Links ]

Souza, D. C. & Souza, M. C. 1998. Levantamento da florístico das tribos Psychotrieae, Coussareeae e Morindeae (Rubiaceae) na região de Porto Rico, alto rio Paraná. Acta Scientiarum 20(2): 207-212.         [ Links ]

Souza, M.C. 1998. Estrutura e composição florística da vegetação de um remanescente florestal da margem esquerda do rio Paraná (Mata do Araldo, Município de Porto Rico, PR). Tese de Doutorado. Universidade Estadual Paulistra, Rio Claro.         [ Links ]

Souza, M. C; Cislinski, J. & Romagnolo, M. B. 1997. Levantamento florístico. Pp.345-370. In A. E. A. de M. Vazzoler, A. A. Agostinho & N. S. Hahn (Eds.), A planície de inundação do alto rio Paraná: aspectos físicos, biológicos e socioeconómicos. Editora da Universidade Estadual de Maringá, Maringá         [ Links ].

Souza-Stevaux, M. C; Negrelle, R. R. B. & Cittadini-Zaneti, V. 1994. Seed dispersai by the fish Pterodoras granulosus in the Paraná River Basin, Brazil. Journal of Tropical Ecology 10(4): 621-626.         [ Links ]

Stevaux, J. C. 1994. Geomorfologia, sedimentologia e paleoclimatologia do Alto Curso do rio Paraná (Porto Rico, PR). Boletim Paranaense de Geociências 42: 97-112.         [ Links ]

Veloso, H. P. & Góes-Filho, L. 1982. Fitogeografia Brasileira - Classificação fisionômico-ecológica da vegetação neotropical. IBGE, Salvador.         [ Links ]

Zalewski, M.; Thorpe, J. B. & Gaudin, P. 1990. Review of the session: rivers. Pp.17-20. In M. Zalewski; J. B. Thorpe; P. Gaudin (Eds.), UNESCO MAB. Fishes and Land/Inland water ecotones. University of Lódz.; University of Stirling; Universite Claude Bernard Lyon I. Lódz, Poland.         [ Links ]

 

 

Recebido em 12/01/1999.
Aceito em 22/02/2000

 

 

* Parte da Dissertação de Mestrado do primeiro Autor; trabalho apresentado no 49º Congresso Nacional de Botânica, Salvador, BA, 1998

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License