SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 issue62A confusion of race and cultureThe sociology of Gramsci author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Ciências Sociais

Print version ISSN 0102-6909On-line version ISSN 1806-9053

Rev. bras. Ci. Soc. vol.21 no.62 São Paulo Oct. 2006

https://doi.org/10.1590/S0102-69092006000300005 

Gramsci e as ciências sociais

 

 

Desde algum tempo, cada Encontro Anual da Anpocs tem dedicado sessão especial a uma grande (isto é, de padrão internacional) edição brasileira de clássicos das ciências sociais. A primeira foi sobre o belo trabalho que Antonio Flávio Pierrucci fez, cotejando as versões de 1904-1905 e 1920 e agregando um forte aparato crítico à A ética protestante e o espírito do capitalismo, de Max Weber (traduzido por José Marcos Mariani de Macedo e publicado em 2004 pela Companhia das Letras). A segunda foi sobre a nova edição de os Cadernos do cárcere, de Antonio Gramsci, preparada por Carlos Nelson Coutinho, Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira, inovadora no plano mundial, pois se trata de uma combinação bem-sucedida da edição Togliatti com a Gerratana (em seis volumes, complementados por dois dos Escritos políticos e dois das Cartas do cárcere, publicados entre 1999 e 2005 pela Civilização Brasileira). Em 2006 será a vez de Marcel Mauss, cujos Sociologia e antropologia (com textos de Claude Lévi-Strauss, Georges Gurvitch e Henry Lévy-Bruhl) e Sobre o sacrificio (junto com Henri Hubert) foram cuidadosamente traduzidos por Paulo Neves e editados em 2003 e 2005, respectivamente, pela CosacNaify.

O presente dossiê deriva da sessão especial "Cadernos do Cárcere: Gramsci e as Ciências Sociais", do Encontro de 2005. Ela foi coordenada por Gabriel Cohn e contou com a participação de Carlos Nelson Coutinho, Renato Ortiz e Oliveiros. A intervenção de Oliveiros foi uma heterodoxa consideração do autor italiano como sociólogo – heterodoxa porque a leitura foge às interpretações canônicas da fragmentada obra do italiano e porque o próprio Gramsci rejeitava literalmente a sociologia como ciência. A de Carlos Nelson Coutinho partia da constatação de que Gramsci foi provavelmente o único marxista a usar em sentido positivo o termo "ciência política" ou "ciência da política", e fazia uma inédita aproximação entre dois usos do conceito de "catarse", essa negação, superação e elevação da particularidade à universalidade – o do filósofo Georg Lukács, que o utiliza para pensar a ética e a estética, e o de Gramsci, que o emprega para pensar a relação entre economia e política, ou entre o "momento econômico-corporativo" e o "momento ético-político" no processo de constituição dos sujeitos sociais. A de Renato Ortiz fazia, à luz de sua própria experiência como pesquisador e do tipo de relação que Gramsci estabeleceu com o universo das ciências sociais, um balanço crítico de "o que está vivo e o que está morto" no pensamento do sardo. Além deles, Alex Fiúza de Melo, que não pôde comparecer ao encontro, enviou sua intervenção. Nela, ele confronta a reflexão de Gramsci – comumente lido como um teórico da "questão nacional" – com os novos problemas gerados pelas profundas transformações da sociedade contemporânea e ressalta sua originalidade para pensar o processo de globalização, a dinâmica civilizatória do capitalismo e a disputa pela hegemonia no plano da política internacional.

Juntas, elas fazem todo sentido – complementam-se e contradizem-se. Por isso, a comissão editorial decidiu pela sua publicação, que traz os textos de Oliveiros, Renato e Alex. A participação de Carlos Nelson baseou-se em seu artigo "O conceito de político nos Cadernos do cárcere" anteriormente publicado na coletânea Ler Gramsci, entender a realidade, organizada por ele e Andréa Paula Teixeira e publicada em 2003 pela Civilização Brasileira. Não se tratando de texto inédito, a RBCS, com a concordância do autor, resolveu não agregá-lo.

 

O editor

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License