SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 número1-2Foucault e a questão do quem somos nós?Florestan Fernandes 1920-1995 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Tempo Social

versão impressa ISSN 0103-2070versão On-line ISSN 1809-4554

Tempo soc. vol.7 no.1-2 São Paulo out. 1995

https://doi.org/10.1590/ts.v7i1/2.85227 

Artigos

O Professor Florestan Fernandes e nós

Professor Florestan Fernandes and us

JOSÉ DE SOUZA MARTINS1 

1Professor do Departamento de Sociologia da FFLCH-USP


RESUMO

O artigo trata da importância do legado intelectual e político do Professor Florestan Fernandes, presente em seus sucessores no Departamento de Sociologia da Universidade de São Paulo.

Palavras-Chave: Florestan Fernandes; sociologia brasileira; sociologia de São Paulo

ABSTRACT

The article deals with the importance of Professor Florestan Fernandes' intellectual and political legacy which can be perceived until nowadays in his successors' works at the Sociology Departament at the University of São Paulo.

Key words: Florestan Fernandes; Brazilian sociology; São Paulo sociology

Texto completo disponível em PDF.

1A possibilidade de converter São Paulo numa espécie de laboratório especializado da investigação sociológica, como ocorrera com Chicago, "atraía o melhor de minha imaginação", disse Florestan Fernandes num texto autobiográfico (cf. Fernandes, 1977, p. 170).

2A orientação desse seminário está exposta no artigo de J. Arthur Giannotti, "Notas para uma análise metodológica de 'O Capital'", (1960, p. 60-72). Esse foi o primeiro seminário, na USP, sobre o método de O Capital. De 1975 a 1987, houve um segundo e mais amplo seminário sobre o tema, organizado por mim, no Departamento de Ciências Sociais, com alunos de pós-graduação e docentes de várias unidades, em que foi feito o estudo da questão do método em boa parte da obra de Marx.

3cf. Fernandes, A Sociologia no Brasil (1977, p. 178). "Na medida em que o nosso trabalho cresceu, nós tivemos de enfrentar os dilemas de tentar construir uma teoria sociológica original, adaptada à situação brasileira". Cf.. Fernandes (1978, p. 28).

4cf. Fernandes (1963, p. 327). As concepções relativas à intervenção racional na realidade foram expostas em cursos que Florestan Fernandes deu na Faculdade de Filosofia da USP, de 1956 a 1959. cf. Fernandes, Ensaios de Sociologia geral e aplicada (1960, p. 93 e ss.).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FERNANDES, Florestan. (1953) Ensaio sobre o método de interpretação funcionalista em Sociologia. São Paulo, Universidade de São Paulo, Boletim nº 170. [ Links ]

_______. (1960) Ensaios de sociologia geral e aplicada. São Paulo, Livraria Pioneira Editora. [ Links ]

_______. (1963) A Sociologia numa era de revolução social. São Paulo, Cia. Editora Nacional. [ Links ]

_______. (1977) A Sociologia no Brasil. Petrópolis, Vozes. [ Links ]

_______. (1978) A condição de sociólogo. São Paulo, Editora Hucitec. [ Links ]

_______. (1995) O rateio da pobreza. Folha de S. Paulo, 11 de agosto, p. 1.10. [ Links ]

GIANNOTTI, J. Arthur. (1960) Notas para uma análise metodológica de O Capital. Revista Brasiliense, nº 29, maio-junho, p. 60-72. [ Links ]

LÉVI-STRAUSS, C. (1957) Tristes trópicos. Trad. Wilson Martins. São Paulo, Editora Anhembi Limitada. [ Links ]

MERTON, Robert K. (1964) Teoría y estructura sociales. Trad. Florentino M. Torner. México, Fondo de Cultura Económica. [ Links ]

Recebido: Setembro de 1995

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution NonCommercial, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que sem fins comerciais e que o trabalho original seja corretamente citado.