SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número4A agenda atual da Reforma Sanitária Brasileira índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Physis: Revista de Saúde Coletiva

versão impressa ISSN 0103-7331versão On-line ISSN 1809-4481

Physis vol.24 no.4 Rio de Janeiro out./dez. 2014

https://doi.org/10.1590/S0103-73312014000400001 

Editorial

Perspectivas da psiquiatria brasileira ontem e hoje

Rafaela Zorzanelli 1  

1Doutora em Saúde Coletiva, professora adjunta do IMS-UERJ. Endereço eletrônico: rtzorzanelli@hotmail.com


Este volume temático da Physis retoma um tema caro à revista e já abordado em volumes anteriores, que é o da saúde mental, em geral, e o da Psiquiatria, em particular. Esta edição, no entanto, foi pensada como mais uma das diversas formas de comemoração dos 40 anos do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Medicina Social (IMS), tendo portanto, foco particular no passado e no presente da Psiquiatria. Esses diferentes "tempos" foram retomados, inicialmente, com a entrevista de Benilton Bezerra Jr a Jurandir Freire Costa. Estes nos oferecem não somente um debate frutífero e rico, mas a reconstrução de uma memória do instituto, já que ambos testemunharam e participaram ativamente nas formulações da Reforma Psiquiátrica no Brasil, que se confunde com a própria história do IMS.

A seguir, o texto "A crise da psiquiatria centrada no diagnóstico e o futuro da clínica psiquiátrica: psicopatologia, antropologia médica e o sujeito da psicanálise", de Mario Eduardo Costa Pereira, analisa criticamente as relações entre diagnóstico e clínica psiquiátrica no contexto contemporâneo. Toma como ponto de partida a crise contemporânea da psiquiatria centrada no diagnóstico operacional, cujo emblema é a divergência entre os projetos do DSM-5 da American Psychiatric Association (APA) e o Research Domain Criteria (RDoC), embebido na posição naturalista sustentada pelo National Institute of Mental Health (Estados Unidos).

O texto que segue é "Experiência, narrativa e conhecimento: a perspectiva do psiquiatra e a do usuário", de Octavio Serpa Jr e colaboradores. O artigo é o resultado de um estudo qualitativo, multicêntrico, com base em abordagens teóricas da Análise Interpretativa fenomenológica que toma como foco a análise de narrativas de usuários e de psiquiatras, mostrando diferentes categorias analíticas elucidativas e esclarecendo o quanto o relato da experiência em primeira pessoa acrescenta à categoria diagnóstica "esquizofrenia", tanto no caso dos usuários quanto no caso dos psiquiatras.

A seguir, temos o artigo "Psiquiatria no século XXI: transformações a partir da integração com a Atenção Primária pelo matriciamento" de Sandra Fortes e colaboradores. Trata-se de um texto que traz para o centro da discussão um tema de grande atualidade, qual seja, a integração entre a Saúde Mental e a Atenção Primária por meio dos cuidados colaborativos e do matriciamento. Esse processo de integração impõe transformações importantes para o campo da Psiquiatria, desde seu local de trabalho, seus agentes e seu processo de compreensão do adoecimento.

O texto seguinte é "Sobrecarga do cuidado, solidariedade e estratégia de lida na experiência de familiares dos Centros de Atenção Psicossocial", de Pedro Gabriel Delgado. O artigo apresenta resultados preliminares de uma pesquisa realizada com a gestão e as equipes de serviços municipais de saúde mental da região metropolitana do Rio de Janeiro, especificamente, com familiares de usuários em acompanhamento nos Centro(s) de Atenção Psicossocial (CAPS). A reflexão traz como objeto a sobrecarga a que estão submetidos os familiares e cuidadores de pessoas com transtorno mental e analisa o acompanhamento e apoio necessário às famílias de usuários da rede de saúde mental brasileira.

O texto que finaliza a seção temática, "Cartografia das pesquisas avaliativas de serviços de saúde mental no Brasil (2004-2013)", de Clarissa Dantas e Ana Maria Oda, realiza um mapeamento minucioso das pesquisas avaliativas de serviços de saúde mental no Brasil nos últimos dez anos, a partir de levantamento tanto de artigos científicos quanto de bases de dados de dissertações e teses acadêmicas. Seus resultados apontam contribuições relevantes para que se possa refletir se tais pesquisas têm sido suficientes para oferecer indicadores básicos nacionais para as ações e políticas de saúde mental.

Por fim, temos a resenha de Octavio Serpa Jr., do livro A Metaphysics of Psychopathology, de Peter Zachar, Professor do Departamento de Psicologia da Auburn University Montgomery (Alabama), lançado pela MIT Press em 2014. Oferecemos, por meio da resenha, acesso a um livro brilhante e útil, que se propõe a uma abordagem reflexiva e conceitual da psiquiatria e seus objetos. O livro traz à tona muitas questões de absoluta relevância epistemológica e atualidade clínica, como os debates sobre o luto no DSM-5, os transtornos de personalidade e a chamada "comunidade imperfeita" dos sintomas e transtornos mentais. Todos esses temas estão muito bem apresentados na resenha, que esperamos, seja um convite à leitura de Peter Zachar.

A expectativa com essa edição especial é a de, no enlevo das já referidas comemorações de 40 anos Programa de Pós-Graduação do IMS, reconstituir e relembrar o passado, mas também analisar o presente e prospectar o futuro de um campo que marcou e ainda marca muitos dos trabalhos do IMS desde sua fundação, que é o campo da saúde mental. Trouxemos, para isso, nomes destacados e hábeis tanto na recuperação desse passado quanto na análise do cenário atual sob diferentes ângulos, bem como na indicação e reflexão sobre as perspectivas que se aventam na prática da saúde mental brasileira.

***

Nota do Editor

Nesta edição inauguramos uma nova seção, Comentário, dedicada a ensaios sobre temas relevantes para a Saúde Coletiva. Na sua estreia, Luis Eugênio Souza, presidente da Abrasco, apresenta análise sobre os desafios para o SUS no próximo mandato presidencial.

Outra novidade é que contaremos, a partir do ano que vem, com quatro editores associados internacionais, passo importante para o processo de internacionalização da Physis: Angel Martinez Hernáez - Departament d' Antropologia, Filosofia i Treball Social, Universitat Rovira i Virgili (Espanha); Cristiana Bastos - Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Lisboa (Portugal); Luiz Lapão - Instituto de Higiene e Medicina Tropical, Universidade Nova de Lisboa (Portugal); e Roberto Abadie - Department of Sociology, University of Nebraska/Lincoln (EUA). Damos boas-vindas aos novos editores, desde já agradecendo sua disposição para colaborar com nossa revista.

Finalmente, como fazemos há vários anos, encerramos este número com a relação nominal dos pareceristas que colaboraram com nossa revista no ano que chega ao fim, uma pequena homenagem a quem tanto contribui, desinteressadamente, para a ciência, a publicação científica, e a Saúde Coletiva. Para vocês, o nosso sincero agradecimento. Homenageamos em particular nosso parecerista do ano, Rossano Cabral Lima, professor do IMS, que mais contribuiu com pareceres em 2014.

Rossano é graduado em Medicina pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1995), com residência em Psiquiatria (1998) e Psiquiatria Infantil (1999) pelo Instituto Municipal Philippe Pinel - RJ, tem mestrado (2004) e doutorado (2010) em Saúde Coletiva pelo IMS-UERJ, com doutorado sanduíche no Instituto Max Planck de História da Ciência (Berlim, Alemanha). É professor adjunto do IMS-UERJ. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Psiquiatria, e atua principalmente nos seguintes temas: saúde mental de crianças e adolescentes, psicopatologia, políticas públicas de saúde mental, transtorno do déficit de atenção/hiperatividade e transtornos do espectro autista (informações do currículo Lattes).

Creative Commons License This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Commercial License which permits unrestricted non-commercial use, distribution, and reproduction in any medium provided the original work is properly cited.