SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
Maize plant yield is lower in monoculture author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Rural

Print version ISSN 0103-8478

Cienc. Rural vol.43 no.2 Santa Maria Feb. 2013

 

Pesquisa descreve pigmentação azul-violeta encontrada em carcaças de ovinos no semiárido da Bahia

 

 

Pesquisadores da Universidade Federal de Campina Grande, da Paraíba, e da Universidade Federal Rural do Semiárido, do Rio Grande do Norte, detectaram pigmentação azul-violeta em carcaças de ovinos no semiárido da Bahia, causada por substância exógena presente em alguma planta consumida. A pesquisa foi publicada no periódico Ciência Rural, v.43, fascículo 2, de fevereiro de 2013.

Os pesquisadores observaram a pigmentação azul-violeta nas mucosas de ovinos de uma fazenda destinados ao abate e que tiveram suas carcaças rejeitadas pelo frigorífico em virtude da pigmentação dos tecidos. Em dois ovinos necropsiados, o pigmento foi observado na pele, gordura, músculos, cartilagens, ossos, serosa dos pré-estômagos, rins, glândulas adrenais, mucosas do útero, bexiga urinária, uretra, vagina, traqueia, bronquios e bronquíolos. Após o processamento para o exame histológico, o pigmento não foi observado nos tecidos. Isso sugere que a pigmentação é causada por uma substância exógena, provavelmente presente em uma planta consumida. As plantas Rhamnidium molle e Pereskia bahiensis foram testadas e fornecidas a ovinos e coelhos, mas não causaram pigmentação.

A importância da pesquisa está em descrever pela primeira vez a alteração de pigmentação em carcaças em animais de abate no Brasil. Segundo o pesquisador Franklin Riet-Correa, essa alteração é motivo de condenação em estabelecimentos de abate. Por motivos estéticos, a carne pigmentada não é utilizada para consumo humano.

Na prática, o estudo traz subsídios para que veterinários da inspeção federal, estadual e municipal possam desenvolver suas atividades em frigoríficos e abatedouros no controle da qualidade de alimentos. “Os produtores recebem o alerta de evitar colocar seus animais que vão ser abatidos nas áreas onde ocorre a pigmentação”, afirma Franklin Riet-Correa.

 

 

Pesquisador:
Franklin Riet-Correa

E-mail: franklin.riet@pq.cnpq.br
Universidade Federal de Campina Grande/Centro de Saúde eTecnologia Rural, Unidade Acadêmica de Medicina Veterinária.
Hospital veterinário/ Laboratório de Anatomia Patológica/Campus de Patos - PB
Santa Cecília
58700-000 - Patos, PB - Brasil
Telefone: (83) 34233409
Fax: (83) 34214659

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License