SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 issue6Ethical problems experienced by oncology nurses author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Latino-Americana de Enfermagem

Print version ISSN 0104-1169On-line version ISSN 1518-8345

Rev. Latino-Am. Enfermagem vol.23 no.6 Ribeirão Preto Nov./Dec. 2015  Epub Oct 20, 2015

http://dx.doi.org/10.1590/0104-1169.1075.2667 

Artigos Originais

Acesso Universal à Saúde e Cobertura Universal de Saúde: identificação de prioridades de pesquisa em enfermagem na América Latina

Silvia Helena De Bortoli Cassiani1 

Alessandra Bassalobre-Garcia2 

Ludovic Reveiz3 

1PhD, Assessora Regional de Enfermagem e Técnicos em Saúde, Departamento de Sistemas e Serviços de Saúde, Organização Pan-Americana de Saúde, Washington, DC, Estados Unidos.

2Enfermeira, MSc, Estagiária (2014), Departamento de Sistemas e Serviços de Saúde, Organização Pan-Americana de Saúde, Washington, DC, Estados Unidos.

3PhD, Assessor de Gestão do Conhecimento, Bioética, Departamento de Pesquisa, Organização Pan-Americana de Saúde, Washington, DC, Estados Unidos.


RESUMO

Objetivo:

estabelecer uma lista regional para prioridades de pesquisa em enfermagem dos sistemas e serviços de saúde de investigação na Região das Américas com base nos conceitos do Acesso Universal à Saúde e Cobertura Universal de Saúde.

Método:

processo de consenso de cinco estágios: revisão sistemática da literatura; apreciação de questões e tópicos resultantes; classificação dos itens por coordenadores de programas de pós-graduação; discussão e classificação entre um fórum de pesquisadores e líderes de saúde pública; e consulta com os Ministérios da Saúde dos países membros da Organização Pan-Americana da Saúde.

Resultados:

a lista resultante de prioridades de pesquisa em enfermagem consiste em 276 questões/tópicos de estudo, que são classificados em 14 subcategorias distribuídos em seis categorias principais: 1. Políticas e formação de recursos humanos de enfermagem; 2. Estrutura, organização e dinâmica dos sistemas e serviços de saúde; 3. Ciência, tecnologia, inovação e sistemas de informação em saúde pública; 4. Financiamento de sistemas e serviços de saúde; 5. As políticas de saúde, governança e controle social; e 6. Estudos Sociais no campo da saúde.

Conclusão:

espera-se que a lista de prioridades de pesquisa em enfermagem sirva como orientação e apoio para pesquisa de enfermagem em sistemas e serviços de saúde em toda a América Latina. Não apenas pesquisadores, mas também os líderes dos Ministérios da Saúde, a saúde pública e as agências de fomento à pesquisa são incentivados a utilizar os resultados desta lista para ajudar a informar as decisões de financiamento da investigação.

Descritores: Enfermagem; Pesquisa; Pesquisa em Enfermagem; Pesquisa sobre Serviços de Saúde; Consenso; Américas.

ABSTRACT

Objective:

To estabilish a regional list for nursing research priorities in health systems and services in the Region of the Americas based on the concepts of Universal Access to Health and Universal Health Coverage.

Method:

five-stage consensus process: systematic review of literature; appraisal of resulting questions and topics; ranking of the items by graduate program coordinators; discussion and ranking amongst a forum of researchers and public health leaders; and consultation with the Ministries of Health of the Pan American Health Organization's member states.

Results:

the resulting list of nursing research priorities consists of 276 study questions/ topics, which are sorted into 14 subcategories distributed into six major categories: 1. Policies and education of nursing human resources; 2. Structure, organization and dynamics of health systems and services; 3. Science, technology, innovation, and information systems in public health; 4. Financing of health systems and services; 5. Health policies, governance, and social control; and 6. Social studies in the health field.

Conclusion:

the list of nursing research priorities is expected to serve as guidance and support for nursing research on health systems and services across Latin America. Not only researchers, but also Ministries of Health, leaders in public health, and research funding agencies are encouraged to use the results of this list to help inform research-funding decisions.

Descriptors: Nursing; Research; Nursing Research; Health Services Research; Consensus; Americas

RESUMEN

Objetivo:

establecer una lista regional de las prioridades de la investigación en enfermería en los sistemas y los servicios de salud en la Región de las Américas sobre la base de los conceptos de Acceso Universal a la salud y Cobertura Universal de Salud.

Método:

proceso consensual de cincoetapas: revisión sistemática de la literatura; evaluación de cuestiones por tópicos; clasificación de los elementos por los coordinadores del programa de posgrado; discusión y clasificación en un foro de investigadores y líderes de la salud pública; y consulta con los Ministerios de Salud de los Estados miembros de la Organización Panamericana de la Salud.

Resultados:

el resultado de la lista de prioridades para la investigación en enfermería consta de 276 preguntas para los estudios/temas, que se clasifican en 14 subcategorías distribuidas en seis categorías principales: 1. Las políticas y la educación para el recurso humano en enfermería; 2. Estructura, organización y dinámica de los sistemas de salud ; 3. La ciencia, la tecnología, la innovación y los sistemas de información en salud pública; 4. Financiación de los sistemas de salud ; 5.Las políticas de salud, la gestión pública y control social; y 6. Estudios Sociales en el campo de la salud.

Conclusión:

se espera que la lista de las prioridades de investigación en enfermería sirva de orientación y apoyo para la investigación de enfermería en los sistemas y servicios de salud en América Latina. No sólo los investigadores, sino también a Ministerios de Salud, líderes de la salud pública y a los organismos de financiación de la investigación se les incentiva a que utilicen los resultados de esta lista para ayudar a tomar decisiones en la financiación para investigación.

Descriptors: Enfermería; Investigación; Investigación en Enfermería; Investigación sobre Servicios de Salud; Consenso; Américas

Introdução

Em outubro de 2014, a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) e os seus Estados-Membros adotaram a resolução CD53/5, Rev. 2 - Estratégia para o Acesso Universal à Saúde e Cobertura Universal de Saúde (Saúde Universal), que primeiro a define como a ausência de barreiras socioculturais, organizacionais, econômicas, geográficas, e relacionadas aos gêneros no que tange aos cuidados da saúde, e segundo, como a capacidade dos sistemas de saúde em atender as necessidades das populações em qualquer nível de cuidado, fornecendo infraestrutura, adequada capacidade de recursos humanos, e tecnologias da saúde sem causar danos financeiros 1.

Esses dois conceitos mantêm suma importância para a melhoria dos resultados de saúde, para alcançar outros objetivos significativos do sistema de saúde, e baseiam-se no direito humano básico para ser capaz de desfrutar de uma vida saudável. A estratégia de Saúde Universal também representa um guarda-chuva inclusivo para outras questões e outros agentes afetados pela área da saúde 2 3.

Além disso, a Saúde Universal requer sistemas de saúde sólidos, apoiados por pessoal de saúde motivado equitativamente distribuído e que tenham adquirido uma combinação adequada de habilidades, resultando assim na prestação de serviços de saúde de qualidade com base nas necessidades da população. Os enfermeiros desempenham um papel importante no contexto da Saúde Universal em razão de seu contato próximo com pessoas e, portanto, uma maior compreensão de suas necessidades. Sua educação deve, portanto, qualificálos para produzir e aplicar prova científica dentro de sua prática, ao mesmo tempo em que fomenta o pensamento crítico e reflexivo, a fim de proporcionar uma melhor qualidade e cuidado centrado na comunidade 4 5.

Além das qualificações técnicas e científicas, as competências éticas e políticas de enfermagem são dimensões adicionais que devem ser levadas em consideração nos sistemas de saúde que são projetados para implementar eficazmente a saúde como um direito humano básico, para a realização da Saúde Universal 6.

O compromisso, trabalho colaborativo, o intercâmbio de conhecimentos e experiências realizadas pelas 25 redes internacionais de enfermagem na América Latina podem ser um exemplo claro das contribuições para a Saúde Universal 5; no entanto, ainda há uma necessidade de definir prioridades para a pesquisa colaborativa.

As ciências em enfermagem continuam a aumentar sua produção científica, embora as diferenças entre os enfermeiros permaneçam relacionadas a sua formação, capacidade em liderar pesquisas, e implementar a prática profissional baseada em evidências. Apesar deste aumento reconhecido na literatura da enfermagem, pouco foi realizado dentro do contexto dos sistemas e serviços de saúde, ou conduzido pela enfermagem que trabalha em ambientes de pesquisa 7 9.

Por outro lado, o campo de pesquisa de sistemas e serviços de saúde continuou a ganhar a atenção em todo o mundo na última década 10; no entanto, esse campo de pesquisa, juntamente com a pesquisa em determinantes sociais, econômicas e culturais da saúde, tem sido pouco explorado em alguns países latino-americanos 11.

Pelas razões mencionadas acima, há uma necessidade em discutir prioridades de pesquisa em enfermagem, a fim de que haja sinergia na abordagem das questões de saúde, práticas de saúde, e os principais desafios da saúde mundial, particularmente aqueles relacionados aos debates atuais que envolvem as políticas de saúde.

Além disso, "o desenvolvimento de uma agenda de pesquisa financiada de forma adequada, e uma melhor gestão do conhecimento são elementos essenciais para abordar os determinantes sociais da saúde, garantir o acesso a serviços de qualidade, incorporar a tecnologia, e avaliar a eficácia das ações e programas implementados." 1

Nesse contexto, o objetivo deste estudo foi definir uma lista de prioridades de pesquisa em enfermagem sobre os sistemas e serviços de saúde nas Américas, com base nos conceitos de Acesso Universal à Saúde e Cobertura Universal de Saúde.

Método

Este estudo foi realizado através de um método de consenso de grupo. Um consenso de grupo combina uma variedade de perspectivas e informações sobre uma área específica de uma forma sistemática e organizada. Este método envolve a participação de especialistas e seu objetivo é sintetizar opiniões de peritos e conhecimentos acumulados sobre a área de interesse. Ele também melhora a tomada de decisões e o processo de desenvolvimento de políticas, bem como a identificação e medição de áreas onde há incerteza, controvérsia ou evidência incompleta 12.

A fim de alcançar o consenso de grupo, um processo de cinco estágios foi realizado ( figura 1).

Figura 1 Estágios do consenso de grupo para estabelecer a lista de prioridades de pesquisa em enfermagem 

Estágio 1: Revisão sistemática da literatura 13

A primeira etapa consistiu em uma revisão sistemática da literatura, que foi realizada de março a junho de 2014, e guiada pela seguinte pergunta de estudo: "Existem agendas de pesquisa de enfermagem prioritária focada em sistemas e serviços de saúde ou de saúde pública?" As bases de dados usadas para a pesquisa bibliográfica inicial foram Web of Science, PubMed, LILACS e Google (para a literatura cinza). Estratégias de pesquisa avançada foram baseadas no sistema Medical Subject Headings (MeSH) e os critérios de inclusão foram os documentos publicados entre 2008 e 2014 em Inglês, Espanhol ou Português.

Durante todo o processo de seleção, foram aplicados três critérios: 1) abordar as prioridades de pesquisa em enfermagem com foco em sistemas e serviços primários de saúde ou saúde pública; 2) formular explicitamente prioridades de pesquisa sobre a enfermagem e/ou sistemas e serviços de saúde; 3) relacionar-se com a Região das Américas, ou em uma escala global que inclui a Região. As questões e t ópicosde estudo foram compilados e uma análise temática foi conduzida para classificá-los em categorias e subcategorias.

Uma publicação anterior fornece detalhes desta revisão sistemática, as suas estratégias de pesquisa, e a avaliação dos documentos selecionados 13.

Estágio 2: Avaliação por Centros Colaboradores e Assessores da OPAS/OMS

A segunda etapa consistiu na análise das questões e temas identificados na revisão acima mencionada. Essa apreciação foi concluída pelos coordenadores e professores do Centro Colaborador da OMS para o Desenvolvimento da Pesquisa em Enfermagem da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - Universidade de São Paulo, Brasil, e da Escola Nacional de Enfermagem e Obstetrícia da Universidade Autônoma do México; a sua apreciação foi então revisada por dois conselheiros da OPAS/OMS. Essa primeira triagem permitiu alterações no documento e a remoção de itens considerados irrelevantes.

Estágio 3: Classificação pelos coordenadores de pós-graduação em enfermagem e programas de pesquisa

Na terceira fase, os tópicos e questões de estudo foram submetidos a serem revistos e classificados por coordenadores de pós-graduação em enfermagem e programas de pesquisa de toda a América Latina. A fim de recuperar os seus contatos, uma lista da Associação Latino-Americana de Escolas e Faculdades de Enfermagem (ALADEFE) foi consultada; a todas as 81 escolas de enfermagem da lista da ALADEFE foram enviados correios eletrônicos com a solicitação de informações de contato do coordenador.

Em seguida, foi solicitado que cada coordenador concluísse uma avaliação do documento. Todos os itens foram classificados pelos coordenadores de acordo com uma escala de Likert de 3 pontos: "alta relevância", "relevante", ou "pouca relevância". Esta classificação foi baseada nos critérios: 1) magnitude e impacto - de que maneira a resposta da pergunta de estudo poderia contribuir para o bem-estar social e facilitar a realização do objetivo do Acesso Universal à Saúde e da Cobertura Universal de Saúde; 2) Viabilidade - de que forma a pergunta de estudo pode ser respondida de maneira que seja baseada nos conceitos de comportamento ético, equidade e pesquisa sustentável, além de considerar os contextos políticos, culturais, legais, sociais, econômicos e tecnológicos em que a pesquisa está ocorrendo.

Os especialistas também foram incentivados a sugerir revisões, remover ou propor novas questões/ tópicos de pesquisa, além de fazer observações gerais sobre a agenda. Os dados foram digitados em planilha Microsoft Excel e analisados por estatística descritiva. Os temas e questões avalidos como de "pouca relevância" foram retirados da agenda.

Estágio 4: Classificação e discussão por especialistas em pesquisas em enfermagem e saúde pública

A quarta etapa consistiu na discussão da classificação das prioridades de pesquisa identificadas. Esta discussão ocorreu durante uma reunião de dois dias realizada no XV Colóquio Pan-Americano de Pesquisa em Enfermagem em setembro de 2014, em Cartagena das Índias, Colômbia. Coordenadores de programas de pósgraduação, programas de pesquisa, reitores de escolas de enfermagem, bem como enfermeiros empregados pelos Ministérios da Saúde de 14 países latinoamericanos foram convidados a participar da reunião.

Durante o primeiro dia da reunião, as motivações que levaram ao desenvolvimento da agenda foram apresentadas aos participantes, seguido pelos métodos de estudo realizados, e o estado da pesquisa no Brasil, Chile e Colômbia. Os participantes foram divididos em cinco grupos e foram orientados a avaliar e discutir cada tópico/pergunta de pesquisa, e classificá-las como "alta relevância", "relevante", ou "pouca relevância" de acordo com os mesmos critérios adotados no estágio 3. Durante o segundo dia do encontro, os participantes foram convidados a finalizar o seu trabalho em grupo e apresentar resultados de seus pequenos grupos, além de enviar uma cópia da agenda contendo a sua classificação e as alterações sugeridas.

Grande parte das sugestões/modificações foi incorporada no documento final, e as perguntas/tópicos classificadas como de "baixa relevância" foram retirados da agenda.

Estágio 5: Consulta com os Ministérios da Saúde

A quinta e última etapa foi uma consulta com as autoridades nacionais encarregadas dos Recursos Humanos para a Saúde ou Unidades de Enfermagem nos

Ministérios da Saúde nos países da América Latina e do Caribe (Estados-Membros da OPAS/OMS). Solicitações formais foram apresentadas aos Ministérios da Saúde de 28 países através do escritório representativo da OPAS/OMS de cada país, solicitando a avaliação da lista de prioridades de pesquisas, que incluiu a mudança, adição ou remoção de itens de acordo com os seus conhecimentos de saúde pública do país, e abordando os conceitos da Saúde Universal. Suas sugestões foram analisadas e incorporadas na lista final de pesquisa

Resultados

Um total de 23 documentos foi recuperado a partir da revisão sistemática, e a análise temática resultou em um documento com 444 tópicos/questões de pesquisa distribuídos em cinco categorias e 16 subcategorias 13. Este documento com tópicos/perguntas compilados foi a base para as etapas que se seguiram.

No estágio 2, todos os itens foram avaliados e revisados, e um total de 21 questões/tópicos foi removido do documento.

No estágio 3, dos 81 correios eletrônicos enviados às Escola de Enfermagem, 31 foram respondidos fornecendo informações de contato para um total de 92 contatos de coordenadores de graduação em enfermagem e programas de pesquisa, representando 12 países latino-americanos. No entanto, apenas 24 coordenadores responderam com avaliações aprofundadas e classificação dos temas/perguntas de estudo. Como resultado, apenas uma pergunta, pertencente à categoria "Políticas e educação de recursos humanos de enfermagem", foi removida da lista, uma vez que foi classificada como sendo de "baixa relevância" por 41,7% dos especialistas. Além disso, eles modificaram 50 questões/temas, fornecendo sugestões para a inclusão de 16 questões de pesquisa adicionais, e 10 comentários gerais sobre o projeto de lista de prioridades. As sugestões dos especialistas foram cuidadosamente revistas, sendo a maioria aceita.

No estágio 4, a reunião de dois dias na Colômbia teve a participação de 122 participantes, representando 12 países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, México, Panamá, Peru, Portugal e Uruguai. Dentre esses participantes estavam pesquisadores de enfermagem, professores, profissionais, reitores, representantes das associações profissionais, órgãos reguladores, Ministérios da Saúde, líderes da saúde pública, revista de enfermagem e coordenadores da rede de enfermagem. Seu trabalho combinado resultou na remoção ou modificação de 87 tópicos/perguntas, um acréscimo de 32 tópicos, e a inclusão de uma sexta categoria: Estudos sociais no campo da saúde.

Durante o estágio 5, respostas formais foram obtidas do Ministério da Saúde de oito países: Belize, Brasil, Colômbia, Guatemala, México, Peru, São Vicente e Granadinas e Uruguai. Eles sugeriram a adição de 30 questões/tópicos, removendo duas, e modificando/ reescrevendo vários itens de todo o documento. Todas as sugestões foram analisadas, comparando umas às outras, e adicionadas conforme apropriado.

Todo o processo do consenso de grupo rendeu 276 temas/perguntas sobre pesquisa prioritária classificadas em 14 subcategorias, que foram distribuídas em seis categorias principais: 1. Políticas e educação de recursos humanos em enfermagem; 2. Estrutura, organização e dinâmica dos sistemas e serviços de saúde; 3. Ciência, tecnologia, inovação e sistemas de informação em saúde pública; 4. Financiamento de sistemas e serviços de saúde; 5. Políticas de saúde, governança e controle social; e 6. Estudos sociais em saúde (ver Figuras 2- 7).

Todos os tópicos/perguntas contam com igual prioridade.

Figura 2 Tópicos/questões de pesquisa em subcategorias para as Políticas e Educação de Recursos Humanos em Enfermagem 

Figura 3 Tópicos/perguntas de pesquisa em subcategorias da categoria Estrutura, Organização e Dinâmica de Sistemas e Serviços de Saúde 

Figura 4 Tópicos/questões de pesquisa da categoria Ciência, Tecnologia, Inovação e Sistemas de Informação em Saúde Pública 

Figura 5 Tópicos/questões de pesquisa da categoria Financiamento de Sistemas e Serviços de Saúde 

Figura 6 Tópicos/questões de pesquisa da categoria Políticas de Saúde, Governança e Controle Social 

Figura 7 Tópicos/questões de pesquisa em subcategorias da categoria Estudos Sociais no campo da saúde 

Discussão

O Relatório Mundial de Saúde de 2013 "Investigação para a cobertura universal de saúde" propôs que a pesquisa para a cobertura universal de saúde fosse adaptada para o contexto mais amplo da pesquisa de desenvolvimento. "A investigação irá desempenhar um papel não só no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), mas também no apoio à agenda de desenvolvimento pós-2015. [...] Como muitas mais perguntas podem ser feitas do que respondidas, é vital definir prioridades para a investigação" 14.

Os Recursos Humanos para a Saúde são uma das principais barreiras para a expansão da Saúde Universal nos países em desenvolvimento, onde muitas vezes o número é insuficiente e são equitativamente mal distribuídos. A fim de expandir a cobertura de saúde e o acesso garantido de forma efetiva e equitativa, os países da região latino-americana devem melhorar a capacidade de recursos humanos, combinação de competências, disponibilidade e distribuição 15.

Na América Latina, 11 países enfrentam uma grave escassez de profissionais de saúde (menos de 25/10.000 habitantes) 5, o que tem provado ser um grande desafio na região e pode ser ilustrado pelo grande número de tópicos/perguntas de estudo que surgiram durante o processo de consenso. A partir da lista final de pesquisa, 30% (83) do total de tópicos/questões de pesquisa estão relacionados à categoria 1: Políticas e educação de recursos humanos em enfermagem.

Além disso, a Resolução mencionada anteriormente estimula os Estados-Membros da OPAS a "melhorar a capacidade dos recursos humanos no primeiro nível de atenção, aumentando as oportunidades de emprego com condições de trabalho atraentes e incentivos, particularmente em áreas carentes; consolidar equipes de saúde multidisciplinares colaborativas; garantir que essas equipes tenham acesso aos serviços de informação de saúde e de telessaúde (incluindo telemedicina); e introduzir novos perfis profissionais e técnicos e fortalecer os já existentes, coerentes com o modelo de cuidados que devem ser implementado para alcançar o acesso universal" 1.

Outra questão importante é a estrutura, organização e dinâmica dos sistemas e serviços de saúde na América Latina. Desde que a Saúde Universal exige uma expansão dos serviços de saúde, onde a qualidade deve ser um imperativo, isto requer mecanismos que possam efetivamente monitorar para garantir a qualidade e a segurança dos cuidados, tanto tecnicamente como na dimensão interpessoal 15. A categoria referente a essa área representou 34% do total de tópicos/questões de pesquisa, demonstrando alguma preocupação pelos especialistas no que diz respeito à organização e estrutura dos sistemas de saúde.

Por outro lado, a quarta categoria, relacionada às questões de financiamento - outro aspecto controverso, conta com apenas nove questões/tópicos de pesquisa, um número que diminuiu significativamente ao longo do processo de consenso. Isto demonstra que os enfermeiros ainda não estão envolvidos o suficiente no desenvolvimento de políticas de saúde, apesar de eficientes mecanismos financeiros serem cruciais para garantir a Saúde Universal 14 15.

Além disso, enquanto o financiamento dos sistemas de saúde é considerado tão importante para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, o financiamento para pesquisas nessa área muitas vezes não está alinhado com as prioridades nacionais 10.

Em relação aos aspectos metodológicos, um dos pontos fortes deste estudo foi a ampla gama de participantes envolvidos, incluindo a representação por pesquisadores de enfermagem, docentes e profissionais, reitores, representantes de entidades de classe, órgãos reguladores e ministérios da saúde, líderes de saúde pública, de revistas de enfermagem e coordenadores das redes de enfermagem de toda a América Latina. Outro estudo sobre a definição de prioridades de pesquisa na América Latina destaca a importância da participação dos diversos agentes-chave, a fim de evitar viés e equilibrar interesses de pesquisa 16.

Além disso, embora alguns dos documentos selecionados durante a fase de revisão sistemática foram relacionados com o contexto dos Estados Unidos, a participação de especialistas unicamente da América Latina, e os critérios estabelecidos para a classificação ou modificação das perguntas formaram o processo de definição de prioridades para a região da América Latina com foco nos conceitos da Saúde Universal.

Para a classificação dos participantes, uma escala de Likert de 3 pontos foi usada no lugar de uma de 5 pontos, porque outros estudos mostraram que a permissão de múltiplas opções aos especialistas limitava a identificação de intervenções prioritárias 17.

Por último, apesar do grande número de tópicos e questões para uma lista de prioridades, todos eles foram identificados e acordados por um consenso de cerca de 159 pessoas, representando 14 países; além disso, deve-se considerar que, utilizando este documento como base, cada país poderá selecionar os itens considerados prioritários dentro de suas próprias necessidades contextuais. A autonomia de cada país em relação a maneiras de atingir a Saúde Universal precisa ser ratificada devido às características históricas, culturais, políticas e econômicas únicas de cada um 18.

Portanto, a identificação de prioridades de pesquisa em enfermagem deve ser um processo dinâmico e fluido, o que vai exigir atualizações regulares, revisões e consultas que envolvam uma variedade de agentes: governos, instituições acadêmicas e de pesquisa, agências de fomento à pesquisa, pesquisadores e profissionais.

Conclusão

É possível chegar a um consenso através de um método altamente participativo, incluindo uma ampla gama de diferentes contextos dos participantes, embora, para ser efetivo, esse processo possa demandar tempo e empenho considerável de seus participantes.

Além disso, pelas razões mencionadas acima, esta lista será adequada para qualquer país da região, o que lhes permitirá definir suas próprias prioridades de pesquisa adaptadas às suas necessidades contextuais, enquanto objetivam avançar o Acesso Universal à Saúde e a Cobertura Universal de Saúde.

Espera-se que os resultados deste estudo sirvam como orientação e apoio para a pesquisa em enfermagem sobre sistemas e serviços de saúde em toda a região. Ademais, não apenas os pesquisadores são incentivados a consultar essa lista de prioridades, mas também líderes de ministérios de saúde, saúde pública e agências de fomento podem usar essa lista para a tomada de decisão sobre o financiamento de pesquisa.

Responsabilidade

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente as opiniões da Organização Pan-Americana da Saúde.

Agradecimentos

Nossa gratidão especial a todos os docentes de enfermagem, especialistas e profissionais, líderes de saúde pública, funcionários do Ministério da Saúde, e funcionários da OPAS que participaram das consultas realizadas para o desenvolvimento desta lista de prioridades de pesquisa em enfermagem.

Os autores querem, ainda, expressar a sua gratidão a todos os profissionais dos diversos países envolvidos na revisão desta lista.

REFERÊNCIAS

1. Pan American Health Organization . Strategy for universal access to health and universal health coverage. Proceedings of the 53rd Directing Council (CD53/5, Rev. 2) [Internet] Washington DC; October 2014. [Acessed 10 mai 2015]. Retrieved from: http://bit. ly/1DuHUIkLinks ]

2. World Health Organization. Positioning Health in the Post-2015 Development Agenda. WHO discussion paper. 2012 [Internet]. [Acessed 14 may 2015]. Retrieved from: http://www.who.int/topics/millennium_ development_goals/post2015/WHOdiscussionpaper_October2012.pdfLinks ]

3. Andrade LOM, Pellegrini Filho A, Solar O, Rígoli F, Salazar LM, Serrate PCF. Social determinants of health, universal health coverage, and sustainable development: case studies from Latin American countries. Lancet. 2015;385:1343-51. [ Links ]

4. World Health Organization. Nursing and midwifery services: strategic directions 2011- 2015 [Internet]. Geneva: WHO; 2010. [Acessed 12 mar 2015]. Retrieved from: www.who.int/hrh/nursing_midwifery/en/Links ]

5. Cassiani SHB. Strategy for universal access to health and universal health coverageand the contribution of the International Nursing Networks. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2014; 22(6):891-2. [ Links ]

6. Yamin AE, Frisancho A. Human-rights-based approaches to health in Latin America.. Lancet 2015;385:e26-e29. [ Links ]

7. Marziale MHP. Scientific production in Brazilian nursing: the search for international impact. Rev. LatinoAm. Enfermagem. 2005;13(3):287-8. [ Links ]

8. House J, Parmar J, Reveiz L, Cassiani S. Health literature authored by nurses within the LAC region: a cross sectional study. Rev Panam Salud Publica. [In press]. [ Links ]

9. Mendoza-Parra S, Paravic-Klijn T, Muñoz-Muñoz AM, Barriga OA, Jiménez-Contreras E. Visibility of Latin American nursing research (1959-2005). J Nurs Scholarsh. 2009;41(1): 54-63. [ Links ]

10. Ranson K, Law TJ, Bennett S. Establishing health systems financing research priorities in developing countries using a participatory methodology. Socl Sci Med. 2010;70:1933-42. [ Links ]

11. Maceira D, Paraje G, Aramayo F, Duarte Masi S, Sánchez D. Financiamiento público de la investigación en salud en cinco países de América Latina.. Rev Panam Salud Publica 2010; 27(6):442-51. [ Links ]

12. Campbell SM, Cantrill JA. Consensus methods in prescribing research. J Clin Pharm Therapeut. 2001;26:5-14. [ Links ]

13. Bassalobre Garcia A, Cassiani SHB, Reveiz L. A systematic review of nursing research priorities on health system and services in the Americas.. Rev Panam Salud Publica 2015; 37(3):162-71. [ Links ]

14. World Health Organization. The World Health Report: research for universal health coverage.; Geneva: WHO 2013. [ Links ]

15. Frenk J. Leading the way towards universal health coverage: a call to action.. Lancet [Internet];2015 [Acessed 10 mai 2015];385:1352-8. Retrieved from: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0140673614614677. [ Links ]

16. Becerra-Posada F, Salgado de Snyder N, Cuervo LG, Montorzi G. Agendas de investigación priorizadas: un recurso estratégico para la salud en América latina.. Rev Panam Salud Publica 2014;36(6):361-7. [ Links ]

17. Caminal J, Starfield B, Sanchez E, Morales M. The role of primary care in preventing ambulatory care sensitive conditions. European J Public Health. 2004;14(3):246-25. [ Links ]

18. Etienne CF. Achieving universal health coverage is a moral imperative.. Lancet 2015;385: 1271-73. [ Links ]

Correspondência: Silvia Helena De Bortoli Cassiani Pan American Health Organization. Health Systems and Services Department 525 Twenty Third Street NW 20037 Washington DC, USA E-mail: cassianis@paho.org

Creative Commons License This is an open-access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License