SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 número6Atualização no uso do ácido acetilsalicílico (AAS) em diabetes mellitus, baseada em evidência e centrada no pacienteEfetividade do tratamento de gestantes hipertensas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Associação Médica Brasileira

versão impressa ISSN 0104-4230versão On-line ISSN 1806-9282

Rev. Assoc. Med. Bras. v.52 n.6 São Paulo nov./dez. 2006

https://doi.org/10.1590/S0104-42302006000600015 

IMAGEM EM MEDICINA

 

Leishmaniose tegumentar americana

 

 

Felipe Filardi da Rocha; Maísa Gomes Campos

 

 

Homem, 68 anos, trabalhador rural, natural e procedente de Sabará/MG, foi atendido previamente pelo Serviço de Clínica Médica da Santa Casa de Sabará. Apresentava uma extensa úlcera na perna esquerda, indolor, de bordas bem definidas e moderada secreção purulenta, com início havia sete meses. Tabagista (20 cigarros/dia por 40 anos) e hipertenso (em uso de hidroclorotiazida 25 mg/dia). Negava diabetes e uso de outras medicações. Sem outras queixas. Ausculta cardíaca e pulmonar sem alterações. Abdome normal sem tumorações e visceromegalias. Pesquisa bacteriológica e cultura da secreção produzida identificaram presença de Staphylococcus aureus. Recebeu tratamento com antibiótico oral (cefalexina 500 mg) e agentes tópicos, sem resultados. Consultou outros médicos em duas outras situações. Em ambas recebeu tratamento semelhante sem alteração do quadro. Um cirurgião vascular descartou a possibilidade de doença periférica arterial ou venosa. Durante realização de curativos no Centro de Saúde (Figura 1), suspeitou-se de leishmaniose devido às suas características epidemiológicas. Imunofluorescência para a doença foi positiva e a biópsia da lesão confirmou o diagnóstico de leishmaniose tegumentar americana ao identificar amastigotas no tecido (Figura 2, seta branca). Tratamento foi iniciado com glucantime (20 mg SBv/kg de peso/dia). Após dois meses a cicatrização foi completa sem terem restado limitações.

 

 

 

 

Referências

1. Gontijo B, Carvalho MLR. Leishmaniose tegumentar americana. Rev Soc Bras Med Trop. 2003;36:71-80.

2. Marsden PD. Pentavalent antimonials: old drug for new diseases. Rev Soc Bras Med Trop. 1985;18:187-98.

 

Trabalho realizado na Faculdade de Medicina da UFMG, Belo Horizonte, MG

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons