SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.5 issue1A delicate, dangerous issue: hunger and the interpretation of Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


História, Ciências, Saúde-Manguinhos

Print version ISSN 0104-5970On-line version ISSN 1678-4758

Hist. cienc. saude-Manguinhos vol.5 no.1 Rio de Janeiro Mar./June 1998

https://doi.org/10.1590/S0104-59701998000100019 

 

 

T E S E S

 

"A única ciência é a pátria": O discurso científico na construção do Brasil e do México (1770-1815)

 

     Esta tese analisa a relação entre a afirmação de idéias científicas e a construção da idéia de ‘pátria’, no contexto do México e do Brasil coloniais (1770-1815). Recupera os antecedentes da história da emancipação de parte da América Latina, através de instâncias que não a da política propriamente dita, mas pelo estudo da forma pela qual um grupo social, o dos cientistas, compreendeu o papel do conhecimento científico no direcionamento da sociedade. Trata de buscar as expressões do pensamento científico e verificar seu sentido no processo de tomada de consciência da pátria. Em termos mais pontuais, pretende detectar em memórias, ensaios e artigos qual é o significado social da ciência.
     A tese procura acompanhar a trajetória de alguns cientistas com atuação exemplar neste processo. No México, José Antonio Alzate (1738-99) e de José Ignacio Bartolache (1739-90), ilustrados de formação enciclopedista. No Brasil, focalizei Jacinto José da Silva Quintão (? -1827) e Manuel Arruda da Câmara (1752-1810). O primeiro era médico formado em Montpellier, juiz-comissário da Junta do Protomedicato, membro da Sociedade Literária do Rio de Janeiro, e colaborador do jornal O Patriota. O segundo, formado em filosofia, matemática e medicina (Universidade de Coimbra), foi fundador do Areópago de Itambé (sociedade liberal e maçônica), membro da Sociedade Literária e importante estudioso da botânica.
     O marco inicial coincide com o assentamento de importantes bases para a ciência e filosofia no continente americano, viabilizando o movimento da Ilustração. Nesse contexto, promoveu-se a criação de instituições (nota-damente no México), associações e periódicos científicos, no seio dos quais o conhecimento científico encontrou condições de produção e de divulgação. O processo encontrou seus limites próximo a 1815, quando, por um lado, completou-se o ciclo desta geração de cientistas oriundos da Ilustração, e, por outro, irromperam os anseios emancipacionistas sob a forma de movimentos por todo continente americano.
     Metodologicamente, a tese fundamentou-se no uso da comparação, tendo em vista seu poder de romper com a rigidez de uma visão historiográfica que aprisiona a história dentro das fronteiras políticas, abarcando tanto os aspectos gerais quanto as singularidades das sociedades estudadas. Pude assim verificar que a produção e a prática científicas, desenvolvidas no Brasil e no México, na virada do século XVIII para o XIX, adquiriram tal conhecimento da realidade e capacidade de seus habitantes que lograram influenciar o processo de construção da ‘nacionalidade’ e da cultura nacional. Quando nos referimos a nação e pátria, entendemos como expressões embrionárias de um sentimento que buscava afirmar a peculiaridade da América em relação à Europa. Tratava-se do processo de tomada de consciência do ser de América e havia que emancipar-se mentalmente. O pensamento externado que servia a uma determinada ação, sendo, portanto, um pensamento que congregava problemas distintos: políticos, econômicos, sociais e culturais.

 

Maria Rachel de G. Fróes da Fonseca
Tese de doutoramento, 1997
Departamento de História
Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Universidade de São Paulo (USP)
Rua Oitis, 58/302
22450-050 – Rio de Janeiro — RJ Brasil
e-mail: froes@fiocruz.br

 

Gênese e constituição da educação alimentar: a instauração da norma

     O objetivo deste trabalho foi recuperar a gênese e constituição da educação alimentar através da literatura especializada sobre alimentação referente aos anos de 1934 a 1946, privilegiando o biológico e o social.
     O período de 1934 a 1939 caracterizou-se pela configuração das bases da alimentação racional, ao passo que de 1940 a 1946 transcorreu um processo de reordenamento do conhecimento anteriormente produzido, sob a perspectiva da síntese e definição dos marcos conceituais e disciplinares da ciência da nutrição. Resultou a definição de duas formas disciplinares para a educação alimentar: higiene e educação alimentar, com maior preocupação com o conteúdo, e educação alimentar, centrada nos instrumentos pedagógicos e configurando a especificidade desse campo.

 

Eronides da Silva Lima
Tese de doutoramento, 1997
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo/PUC
Programa de Pós-Graduação em Educação
Primeiro lugar em 1997 no Prêmio da Associação de
Nutrição do Estado do Rio de Janeiro (Anerj).
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Instituto de Nutrição Josué de Castro, bloco J, 2°
21941-590 Rio de Janeiro — RJ

 

Noel Nutels, um cinema de alteridade

     A tese inclui pesquisa, identificação e análise dos filmes produzidos pelo sanitarista Noel Nutels durante sua atuação no Serviço de Unidades Sanitárias Aéreas (Susa), entre 1956 e 1973. Tece considerações sobre o pensamento artístico do indigenista, que pertence a uma vertente do cinema documentário experimental brasileiro. É uma reflexão sobre a alteridade como paradigma de análise sobre as tendências do cinema documentário em diferentes momentos.

 

Stella Oswaldo Cruz Penido
Tese de mestrado, 1997
Escola de Comunicação
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Av. Brasil 4365 Prédio do Relógio
21040-360 Rio de Janeiro — RJ Brasil

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License