SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 issue1Apresentação author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Escola Anna Nery

Print version ISSN 1414-8145

Esc. Anna Nery vol.11 no.1 Rio de Janeiro Mar. 2007

https://doi.org/10.1590/S1414-81452007000100001 

EDITORIAL

 


70 anos da Escola de Enfermagem Anna Nery na Universidade: a glória de ser e os desafios a conquistar

 

 

Prof.ª Dr.ª Maria Antonieta Rubio TyrrelI; Prof.ª Dr.ª Regina Célia Gollner ZeitouneII

IDiretora da EEAN / UFRJ.
IIVice-Diretora da EEAN / UFRJ.

 

 

A Escola de Enfermagem Anna Nery (EEAN/UFRJ), durante 70 anos de inserção no sistema universitário e 84 anos de existência a serviço da vida, criou-se e fortaleceu-se dotada de uma estrutura de extraordinária vitalidade, o que tem lhe permitido persistir durante oito décadas dedicando-se, principalmente, à formação e qualificação de Enfermeiros em níveis de graduação e licenciatura, pós-graduação (lato e stricto sensu), construção de conhecimento e extensão universitária, e, com isto, contribuir com a preservação da qualidade da gestão dos serviços e da assistência à população brasileira.

A EEAN, graças ao seu papel de guardiã da profissão e de sua história, do conhecimento, mediadora entre gerações antigas e gerações novas e de crítica do estado e da sociedade, tem a função precípua de formar profissionais capacitados e comprometidos que sejam também cidadãos com capacidade para tomar decisões e posições de defesa dos direitos humanos na sociedade e que contribuam para o desenvolvimento da profissão e da qualidade da vida e de saúde da população brasileira.

Além de demarcar a implantação do modelo de enfermagem nightingaleano no Brasil com um novo modelo de Enfermeira no país, decorrente da influência da missão de enfermeiras americanas liderada pela insigne Miss Ethel Parsons (1922), chefe daquela missão, a EEAN é, também, marco de referência na criação dos Cursos Lato Sensu (década de 1940), Cursos Stricto Sensu - Mestrado (década de 1970), empreendimentos que representam verdadeiros legados históricos que asseguram a memória, a institucionalização do Padrão Anna Nery (PAN) e o desenvolvimento do ensino e da prática da Enfermagem no Brasil.

A EEAN/UFRJ, contando com os legados da missão Parsons, constitui-se berço da Associação Brasileira de Enfermagem - ABEn, à época denominada Associação de Enfermeiras Diplomadas Brasileiras (1926), e da Revista Brasileira de Enfermagem (REBEn), à época intitulada Annaes de Enfermagem (1ª edição em 1932). Estes acontecimentos continuam assegurando aos seus herdeiros, e principalmente aos desta Escola, a convicção de que os feitos político-sociais significam para uma profissão seus "indicadores de progresso" e, em nosso entendimento, suas "fortalezas" para a "unidade e identidade profissional".

A EEAN/UFRJ, numa avaliação de desempenho acadêmico nos últimos cinco anos, por meio de uma avaliação qualitativa, se apresenta, fundamentalmente, no cenário nacional e internacional, como segue:

- Vinculada à ABEn Nacional desde 2005, marcada pelo apoio ao seu Projeto Político-Pedagógico-Científico;

- Filiada à Asociación Latinoamericana de Escuelas y Facultades de Enfermería da União das Universidades da América Latina (ALADEF/UDUAL), 1997, apoiando seus Projetos Educacionais e de Investigação;

- Com conceito atribuído ao Curso de Graduação pelo MEC/INEP de 4 (MB), mas esforçando-se para empreender uma reestruturação curricular tomando como base as atuais "Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação e as necessidades societárias";

- Com conceito da CAPES ao programa de Pós-Graduação de 4 (sendo que em todo o país o conceito máximo obtido pela Enfermagem é de 5), com processo iniciado para uma reforma curricular tomando como base as exigências da CAPES. Este programa tem seu destaque para os indicadores de formação e qualificação de Recursos Humanos de Enfermagem, na perspectiva de solidariedade e intercâmbio técnico-científico e cultural na perspectiva nacional e internacional;

- Avaliação pela CAPES da Escola Anna Nery Revista de Enfermagem como Qualis Internacional "C". Esta Revista encontra-se empreendendo esforços para conquistar a inserção na coleção SciELO;

- Premiação significativa na "Jornada Cientifica da UFRJ" (2005): de 25 melhores trabalhos, 05 foram da EEAN; e nos concursos públicos no Estado do Rio de Janeiro;

- Qualificação do seu corpo docente: de seus 75 professores, 55 professores são doutores; 16 professores encontram-se inscritos no curso de doutorado, 100% dos professores são Especialistas e Mestres.

No marco histórico e de celebração dos 70 anos de inserção na Universidade e 84 de vida no país, adotamos Barreira (1999), quando ela diz que:

[É] uma melhor compreensão da trajetória de nossa profissão, necessária à formação de uma consciência crítica além do conhecimento da história da enfermagem brasileira (aqui expressa num Editorial), que faz parte da cultura profissional de cada qual, depende também do interesse e da consciência que nós mulheres e homens de algum modo envolvidos tivermos das relações passado/presente, o que faz com que valorizemos nossos papéis históricos, como observadores atentos dos sinais de nossa época, como pessoas que nós empenhamos em formar uma opinião esclarecida, como atores que participam do movimento da história e como estudiosos que pretendem contribuir para a compreensão do que nos ocorreu e do que nos ocorre, posto que (parafraseando Hobsbawm), somos parte dessa história e ela é parte de nós.

Tomando como base estas considerações, com justiça e merecimento, é que nesta oportunidade dirigimos as nossas homenagens às sempre Diretoras da EEAN:
Clara Louise Kieninger (1922 - 1925)

Bertha L. Pullen (1928 - 1931 / 1934 - 1938)

Lais Netto dos Reys (1938 - 1950)

Maria Dolores Lins de Andrade (1967 - 1971)

Cecília Pecego Coelho (1975 - 1980)

Vilma de Carvalho (1986 - 1989)

Maria Cecília Cordeiro Pedro (1994 - 1997)

Loraine G. Denhardt (1925 - 1928)

Rachel Haddock Lobo (1931 - 1933)

Waleska Paixão (1950 - 1967)

Elvira De Felice Souza (1971 - 1975)

Cilei Chaves Rhodus (1980 - 1985)

Raimunda da Silva Becker (1990 - 1993)

Ivone Evangelista Cabral (1998 - 2002)

Maria Antonieta Rubio Tyrrell (2002 - 2006 / 2006 - 2010)

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License