SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 issue1Movimento nacional de meninos e meninas de ruaQual é o projeto da Casa? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Psicologia: Ciência e Profissão

Print version ISSN 1414-9893

Psicol. cienc. prof. vol.8 no.1 Brasília  1988

https://doi.org/10.1590/S1414-98931988000100008 

Uma experiência de educação em meio aberto

 

 

Lares Abrigados ou Comunidade Educativa União é uma experiência de trabalho desenvolvida na Agência Central da FEBEM-MG por uma equipe de técnicos e estagiários pertencentes a quatro entidades: Fundo Cristão para Crianças (FCC), Centro Salesiano do Menor (CESAM), Associação Profissionalizante do Menor (ASSPROM) e Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (FEBEM-MG). Este trabalho começou a ser desenvolvido em 1984, através da abordagem dos menores nos locais de fixação dos grupos de rua. Mais tarde, em 1986, foi criada a Comunidade Educativa União (mais conhecida como Casa da Rua Ubá ou, simplesmente, a Casa), na qual os menores de rua permanecem voluntariamente, durante o dia inteiro, desenvolvendo atividades recreativas, educativas, esportivas, de primeiros socorros, oficinas de aprendizagem ocupacional (menores de 8 a 14 anos) ou preparação para um emprego (de 14 a 17 anos). O aspecto fundamental neste atendimento em meio aberto é que não existem regras impostas e nem preestabelecidas, mas o próprio estabelecimento de regras depende da decisão dos menores, tomada em conjunto com os funcionários, técnicos e demais envolvidos, através de Assembléias que fazem parte integrante do modo de existência e de funcionamento da Casa.

A importância deste trabalho não reside no número de menores atendidos (a capacidade é de 24 meninos e meninas de rua, num período estimado de 6 meses), mas na concretização de uma opção de trabalho viável que é contrária ao enclausuramento em grandes internatos, ainda predominantes como modelo de atendimento.

A equipe técnica é composta pelos psicólogos Juarez Alves, Walter Ernesto Ude Marques, Wellington Gonçalves Chaves e Maria Inês Mafra Goulart; pelas assistentes sociais Aidê Silvéria Orsetti e Terezinha Bruzzi Malta; pelo professor Eduardo Sarquis Soares; pelo instrutor de atividades Nelson Antonio Alves Neto;e pela supervisora Marisa Estela Sanabria Tejera.

Alguns membros da equipe relatam nas páginas seguintes suas vivências e reflexões em três itens: 1) o projeto de atendimento conforme foi idealizado e está sendo posto em prática; 2) a descrição de todas as atividades desenvolvidas durante um dia inteiro na Casa; 3) uma avaliação ou autocrítica do trabalho em andamento desde o ponto de vista do funcionamento da equipe técnica.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License