SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 issue2Presentation of the Educational Software "Vest21 Mechanics"Introdução à Teoria Quântica de Campos: do Oscilador Harmônico ao Campo Escalar Livre author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Ensino de Física

Print version ISSN 1806-1117On-line version ISSN 1806-9126

Rev. Bras. Ensino Fís. vol.24 no.2 São Paulo June 2002

https://doi.org/10.1590/S1806-11172002000200020 

Laboratório Virtual de Física Nuclear

(Virtual Laboratory on Nuclear Physics)

 

N. L. Dias, A. G. Pinheiro e G. C. Barroso
nildo,pinheiro,gcb(@fisica.ufc.br)

Departamento de Física, Universidade Federal do Ceará
Campus do Pici, Caixa Postal 6030, CEP - 60455-760, Fortaleza, Ce, Brasil

 

Recebido em 7 de março, 2002. Aceito em 15 de março, 2002.

 

 

Neste Trabalho é apresentado um programa desenvolvido para simular um conjunto de equipamentos (detector e contador de radiação, fontes radioativas e placas absorvedoras) usados em um laboratório básico de Física Nuclear.

In this work it is presented a software, developed to simulate a set of equipment (probe and radiation counter, radioative sources and absorbers) that are used in a basic nuclear laboratory.

 

 

1  Introdução

É um fato conhecido que o ensino de física, sob o ponto de vista exclusivamente teórico, é apontado por muitos alunos como desmotivante. A utilização de laboratórios de ensino bem equipados com aparelhos modernos e em número suficiente para serem manipulados por todos os estudantes é, sem dúvida nenhuma, um sonho a ser alcançado pela maioria de nossas universidades. Assim, enquanto não alcançamos este ideal pedagógico, podemos motivar nossos alunos oferecendo, além da teoria pura e simples, a realidade virtual dos programas de simulação computacional.

Neste Trabalho, apresentamos um programa por nós desenvolvido que simula um detector de radiação tipo Geiger-Müller (GM), um contador de radiação semelhante em muitos aspectos aos contadores comerciais disponíveis [1,2], três amostras radioativas e placas absorvedoras.

 

2   O Programa

O programa de instalação do Física Nuclear Virtual (FNV) (radia.exe) está disponível para download no sítio

www.fisica.ufc.br/brindes.htm

gratuitamente para quem quiser utilizá-lo. Após o download para sua área de trabalho, dê um duplo clique em radia.exe para iniciar a instalação. Siga os passos do programa instalador e, após instalado, vá para:

> Iniciar > Programas > Radiação (radiation)

Escrito em Visual Basic, o programa FNV apresenta a tela principal inicialmente como mostra a Fig. 1. Para utilizá-lo, o usuário poderá fazer uso de roteiros para práticas de física nuclear encontrados na literatura, por exemplo os das referências [3] e [4]. O professor que quiser aplicá-lo para um grupo de alunos poderá escrever seus próprios roteiros sem maiores problemas, do mesmo modo que o faz ou faria para experimentos reais. Como exemplo, fornecemos um roteiro simples para um dos experimentos possíveis de ser realizado com o FNV. Em breve, serão disponibilizados outros roteiros.

 

 

2.1 Comandos

Para a utilização do FNV, o usuário tem à disposição os seguintes comandos:

  • Idioma: O usuário poderá optar a qualquer momento por legendas em português ou em inglês;

  • Tempo: Para obter uma contagem, é necessário estabelecer primeiramente o tempo de contagem, o qual pode variar desse 1 até 600 segundos (dez minutos);

  • Iniciar: Para iniciar uma contagem, pressione o botão iniciar. É possível obter contagens sem amostra, contagem de fundo;

  • Pára: Interrompe a contagem em curso, quando pressionada;

  • Zera: Zera o número de contagem;

  • Auto: No modo automático, o programa realiza um número de medidas que deve ser especificado pelo operador na caixa vermelha à direita. O tempo de cada medida deve ser especificado antes de se pressionar o botão Auto. Os resultados gerados são disponibilizados em uma tabela mostrada na tela, à medida que são produzidos. Os resultados da tabela poderão ser salvos em um arquivo do tipo .txt para serem analizados posteriormente; para tanto pressione o botão salva. Escolha o nome do arquivo usando nomes diferentes para arquivos distintos;

  • Desintegração máxima: Aqui o operador deve preestabelecer um número máximo de linhas que a tabela deve conter. Este número máximo deve ser tanto maior quanto maior for a atividade de sua amostra e/ou quanto maior for o tempo de contagem;

  • Limpa: Este botão apaga todos os dados da tabela;

  • Som: Quando utilizado, emite um som a cada desintegração;

  • 1, 2, 3: Amostras radioativas com diferentes atividades, as quais podem ser arrastadas com o auxílio do mouse para a posição de medida. As desintegrações mostradas incluem a radiação de fundo;

  • Pb, Fe, Al: Placas absorvedoras de chumbo, ferro ou alumínio que podem ser arrastadas com o auxílio do mouse para a caixa com o contador GM. As espessuras das placas podem variar no intervalo de 0,5 cm a 5,0 cm, e o valor corrente é indicado no canto esquerdo superior da tela do computador.

  • Fim: Para sair do programa.

2.2 Resultados

Um número é gerado aleatoriamente internamente pelo computador e, se este número estiver acima de um certo valor, dizemos que há desintegração; caso contrário não há. Desta forma, os resultados virtuais são estatisticamente semelhantes aos obtidos em experimentos reais. Na Fig. 2 é apresentado um resultado típico da freqüência versus o número de contagens para a amostra 2, sem placa absorvedora. Resultados semelhantes também são obtidos para as outras amostras.

2.3 Limitações

O FNV apresenta algumas limitações em relação aos equipamentos reais, mas que julgamos não essenciais. Dentre elas destacamos:

  • Não há possibilidade de se simular o ajuste de voltagem do detector GM, por isso mesmo consideraremos que o ajuste é automático;

  • O tempo de resolução entre duas contagens não é especificado; por isso, será considerado muito pequeno, de modo que não haverá necessidade de se corrigir o número de contagens.

  • Não há a possibilidade de se determinar a meia vida das amostras, uma vez elas apresentam sempre as mesmas características todas as vezes que simulamos as contagens;

  • O tempo de contagem virtual é um pouco menor que o tempo real. Isso tem a vantagem de tornar as medidas menos massantes.

 

3  Conclusões

O programa FNV aqui apresentado não pretende substituir os equipamentos reais de física nuclear. Ele simula, em muitos aspectos, os equipamentos reais e fornece resultados semelhantes e, por isso mesmo, poderá ser usado onde não se dispõe de tais equipamentos.

Qualquer dificuldade na utilização do FNV, entre em contato com o Professor Nildo Loiola através do endereço eletrônico nildo@fisica.ufc.br. Estamos receptivos a sugestões que desde já agradecemos.

 

Referências

[1] Pasco Scientific, Roseville, CA, USA. (www.pasco.com).         [ Links ]

[2] PHYWE SYSTEME GmbH, Robert-Bosch-Breite 10, Gotemberg, Alemanha, (www.phywe.com).         [ Links ]

[3] A. Taffel, A. Baumel e L. Laudecker, Laboratory Manual - Physics - Its Methods and Meaning, Allyn and Bacon, Inc., Newton, USA (1986).         [ Links ]

[4] C. H. Bernard e C. D. Epp, Laboratory Experiments in College Physics, John Willey & Sons, New York, USA (1987).         [ Links ]

 

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS - DEPARTAMENTO DE FÍSICA LABORATÓRIO VIRTUAL

P R Á T I C A No
TÍTULO
: ABSORÇÃO DE RADIAÇÃO
www.fisica.ufc.br  www.agopin.com
OBJETIVOS:

Estudar a absorção de radiação de diversos materiais.

INTRODUÇÃO:
Nesta prática utilizaremos o programa FÍSICA NUCLEAR VIRTUAL para determinar o coeficiente de absorção linear de um dos materiais, indicados no programa. Se você desejar determinar o coeficiente dos outros materiais, proceda de maneira semelhante.

TEORIA:
Se um feixe de radiação de intensidade Io incide sobre uma chapa de espessura d, de um determinado material, ele emergirá com uma intensidade menor I, Fig. 1. A diferença Io – I é absorvida pelo material.

 

 

A absorção depende da espessura d e do tipo de material usado. Pode ser mostrado que:

onde e = 2,718... é o neperiano, e m é o coeficiente de absorção linear do material utilizado.

Tomando-se o logaritmo natural em ambos os lados da Equação (1), temos:

Transformando o logaritmo natural em logaritmo na base 10, temos (ln N = 2,3 log N):

Dividindo por 2,3, temos:

A equação acima é do tipo y = ax + b onde – é o coeficiente angular, e log Io é a interseção com o eixo y.

D - PROCEDIMENTO:
Instale o programa FISICA NUCLEAR VIRTUAL a partir do sítio www.fisica.ufc.br/brindes.htm
Coloque uma amostra radioativa (1, 2 ou 3 ) na caixa do contador Geiger-Müller (GM). Para isso, clique com o botão esquerdo do mouse sobre a amostra e, mantendo-o pressionado, arraste-a para a posição desejada.
Estabeleça o tempo de contagem; faça-o igual a 120 s.

Faça três medidas da intensidade da radiação Io, e anote na Tabela 1.
Escolha uma das placas absorvedoras, clique com o mouse e arraste-a para a posição de trabalho, isto é, para a caixa do detetor GM. Coloque a placa entre o contador e a amostra.
Certifique-se de que a espessura d da placa é 5mm. Caso seja necessário, ajuste a espessura no canto superior esquerdo da tela.
Faça três medidas da intensidade da radiação e anote na Tabela 1.
Ajuste a espessura da placa para cada valor indicado na Tabela 1 e faça três medidas da radiação.
Preencha os outros claros da Tabela 1.
Faça o gráfico de log I versus d e determine o coeficiente de absorção linear do material usado.

 

 

E - QUESTIONÁRIO:
1- Denomina-se meia espessura de um determinado material aquela que reduz a intensidade da radiação para a metade de seu valor inicial. Determine a meia espessura do material estudado.
2- Mostre que o coeficiente de absorção linear em função da meia espessura, d1 / 2 é dado por:

3- Determine o coeficiente de absorção linear usando a expressão obtida acima.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License