SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 issue2We ask: what is the diagnosis? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Jornal Brasileiro de Pneumologia

On-line version ISSN 1806-3756

J. bras. pneumol. vol.33 no.2 São Paulo Mar./Apr. 2007

https://doi.org/10.1590/S1806-37132007000200023 

DIAGNÓSTICO RADIOLÓGICO

 

Diagnóstico do caso da edição anterior

 

 

Dany Jasinowodolinski; Ana Paula Klautau Leite; Nestor L Müller

Centro de Medicina Diagnóstica Fleury, São Paulo (SP) Brasil; Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP - São Paulo (SP) Brasil; University of British Columbia, Vancouver, BC, Canadá

 

 

Elastofibroma do dorso

 

 

Comentários

Os elastofibromas do dorso são tumores benignos de partes moles apresentando crescimento lento. Podem ser bilaterais, predominam no sexo feminino e na maior parte dos casos eles se encontram na região subescapular inferior, entre a escápula e a parede torácica. São constituídos de fibras elásticas embebidas em matriz colágena.(1) Sua patogênese ainda não é totalmente compreendida, tendo sido sugerido que microtraumas pela fricção entre a escápula e a parede torácica pudessem causar a proliferação de tecido fibroelástico, no entanto tal teoria não foi totalmente comprovada.

Usualmente encontrados em indivíduos com mais de 50 anos (nos quais a sua prevalência pode ser de até 24%), podem estar relacionado a atividade física intensa. No entanto, já foram descritos casos em indivíduos mais novos, inclusive crianças.(2) Freqüentemente assintomáticos, quando grandes podem ser palpáveis ou causar desconforto no ombro.

Na tomografia computadorizada tais lesões apresentam margens indistintas e têm densidade semelhante à da musculatura, com estrias hipodensas de permeio representando gordura em seu interior.(3) A ressonância magnética demonstra lesões de margens bem definidas, adjacentes à margem inferior da escápula e à parede torácica. Apresentam baixo sinal nas imagens ponderadas em T1 e em T2, representando tecido fibroso, com áreas de maior sinal entremeadas correspondendo à gordura.(4) Ao PET-CT pode haver acúmulo do radiofármaco devido ao hipermetabolismo nestas lesões.(5)

Quando tal lesão se apresenta nesta localização típica e com tais características acima descritas, não é necessária a realização de testes adicionais para confirmação diagnóstica.(6) Alguns advogam que a ressecção cirúrgica deve ser reservada para os casos sintomáticos ou com dúvida diagnóstica.(7)

 

Referências

1. Nagamine N, Nohara Y, Ito E. Elastofibroma in Okinawa. A clinicopathologic study of 170 cases. Cancer. 1982;50(9):1794-805.

2. Jarvi OH, Lansimies PH. Subclinical elastofibromas in the scapular region in an autopsy series. Acta Pathol Microbiol Scand [A]. 1975;83(1):87-108.

3. Kransdorf MJ, Meis JM, Montgomery E. Elastofibroma: MR and CT appearances with radiologic-pathologic correlation. AJR Am J Roentgenol. 1992;159(3):575-9.

4. Daigeler A, Vogt PM, Busch K, Pennekamp W, Weyhe D, Lehnhardt M et al. Elastofibroma dorsi - differential diagnosis in chest wall tumours. World J Surg Oncol. 2007;5:15.

5. Majo J, Gracia I, Doncel A, Valera M, Nunez A, Guix M. Elastofibroma dorsi as a cause of shoulder pain or snapping scapula. Clin Orthop Relat Res. 2001;(388):200-4.

6. Ochsner JE Sewall SA, Brooks GN, Agni R. Best Cases from the AFIP: Elastofibroma dorsi. Radiographics. 2006;26(6):1873-6.

7. Schafmayer C, Kahlke V, Leuschner I, Pai M, Tepel J. Elastofibroma dorsi as differential diagnosis in tumors of the thoracic wall. Ann Thorac Surg. 2006;82(4):1501-4.

 

Acertadores do caso de Janeiro/Fevereiro de 2007

Altair da Silva Costa Junior - Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP - São Paulo - SP

Angêlo Fernandez - Universidade de São Paulo - USP - São Paulo - SP

Daniel Hugo Winter - Universidade de São Paulo - USP - São Paulo - SP

Eduardo Werebe - Universidade de São Paulo - USP - São Paulo - SP

Elias Albino Theophilo - Hospital Paulistano - São Paulo - SP

Frederico Henrique Sobral de Oliveira - Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP - São Paulo - SP

Henrique Zambenedetti Werlang - Liverpool, UK

José Augusto A Araujo - Hospital Municipal Souza Aguiar - Rio de Janeiro - RJ

Nagib Curi - Universidade de São Paulo - USP - São Paulo - SP

Patrícia De Bortoli - Centro Universitário São Camilo - CUSC - São Paulo - SP

Rodolfo Rezende Mendonça - Clínica de Imagens Médicas Radiológicas - CIMRAD - Goiania - GO

Ronaldo A Kairalla - Universidade de São Paulo - USP - São Paulo - SP

Rui Haddad - Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ - Rio de Janeiro - RJ

Sergio Lopes Viana - Clínica Vila Rica - Brasília - DF

Viviane Baptista Antunes - Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP - São Paulo - SP

Winston Hidekazu Akashi Iwauchi - Hospital São Camilo - HSC - São Paulo - SP

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License