SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 issue4P ET CO2 and SpO2 allow adequate ventilatory adjustment in morbidly obese patientsAnterior "3-in-1" blockade: partial, total or overdimensioned block? Correlation between anatomy, clinic and radio images author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094On-line version ISSN 1806-907X

Abstract

LIMA, Aleksandra Paula et al. Hipoxemia por fístulas artério-venosas pulmonares em criança: relato de caso. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2004, vol.54, n.4, pp.553-559. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942004000400011.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A presença de fístulas artério-venosas pulmonares (FAVP) deve ser investigada em pacientes com cianose sem causa esclarecida. O objetivo é relatar um caso de lobectomia pulmonar em criança portadora de FAVP. RELATO DO CASO: Paciente do sexo masculino, 3 anos, com história de cianose sem dispnéia desde 8 meses, com baqueteamento digital e ausculta cardíaca normal. ECG e ecocardiografia eram normais e a radiografia de tórax mostrou condensação na metade superior do pulmão esquerdo. A gasometria arterial mostrou PaO2 de 28 mmHg, em ar ambiente, e PaO2 de 31,5 mmHg com cateter nasal de O2. Foi feito diagnóstico de FAVP através de ressonância nuclear magnética, sem possibilidade de embolização. O paciente foi submetido a lobectomia superior esquerda sob anestesia geral associada à anestesia subaracnóidea com morfina e bupivacaína. Foi realizada ventilação monopulmonar com introdução do tubo traqueal seletivo para o pulmão direito. A SaO2 era: em ar ambiente de 59%; à admissão à sala de operações, 69% (FiO2 = 1,0); após indução da anestesia geral, 65% (FiO2 = 1,0); durante a ventilação monopulmonar, 58% (FiO2 = 1,0); após a lobectomia e 98% (FiO2 = 0,6) ao final da cirurgia, com extubação traqueal uma hora após o final do procedimento. A partir do 5º dia de pós-operatório, começou a apresentar progressiva diminuição da SpO2 (até 83%) devido aumento de outra FAVP, tratada com embolização sob anestesia geral. A alta hospitalar ocorreu no 15º do pós-operatório. CONCLUSÕES: Neste caso, havia refratariedade à suplementação com O2 e houve melhora imediata com o tratamento cirúrgico. Entretanto, após ressecção da FAVP de maior tamanho ocorreu aumento de outra fístula, que contribuiu para a diminuição da SpO2 no pós-operatório, revertida com a embolização. Com o crescimento da criança, outras fístulas pulmonares ou em outros órgãos poderão surgir, caracterizando a síndrome de Rendu-Osler-Weber.

Keywords : ANESTESIA [Pediátrica]; DOENÇAS [Pulmonar]; DOENÇAS [fístula artério-venosa].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · English ( pdf epdf ) | Portuguese ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License