SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.59 issue5Comparison of hemodynamic changes in acute intoxication with intravenous bupivacaine and ropivacaine in swineRhinoscope-guided nasotracheal intubation in a one-year old child with Osteogenesis imperfecta: case report author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

OLIVEIRA, Carlos Rogério Degrandi; PARIS, Valter César; PEREIRA, Renato Augusto  and  LARA, Felipe Souza Thyrso de. Anestesia em paciente com insensibilidade congênita a dor e anidrose. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2009, vol.59, n.5, pp. 602-609. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942009000500009.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A insensibilidade congênita a dor e anidrose (ICDA) ou neuropatia hereditária sensorial e autonômica tipo IV (NHSA tipo IV) é neuropatia autossômica recessiva rara do grupo das neuropatias hereditárias sensoriais e autonômicas (NHSA), caracterizada por insensibilidade ao estímulo doloroso, anidrose e retardo mental. Existem poucos relatos sobre a conduta anestésica em pacientes com ICDA devido sua extrema raridade. O objetivo deste relato foi apresentar a conduta anestésica em paciente com ICDA submetida à artrodese de tornozelo esquerdo com colocação de haste e discutir as características de interesse para a anestesia nestes pacientes. RELATO DO CASO: Paciente com história de ICDA foi admitida para artrodese de tornozelo esquerdo devido à artropatia de Charcot. Na sala de operação foi monitorizada com eletrocardiógrafo, índice bispectral, SEF 95%, pressão arterial não invasiva e saturação periférica da hemoglobina, medicada com midazolam como pré-anestésico e submetida à anestesia venosa com propofol e cisatracúrio. Não houve a necessidade de administração de analgésicos. Após intubação traqueal, foi acrescentada monitorização da pressão expiratória final do gás carbônico e da temperatura esofágica. Não apresentou complicações no período perioperatório. Teve alta hospitalar no segundo dia de pós-operatório. CONCLUSÕES: Embora apresentem insensibilidade à dor, alguns pacientes apresentam hiperestesia tátil, o que poderia causar sensações desagradáveis durante a manipulação cirúrgica. Apesar de relatos na literatura de pacientes submetidos a bloqueios no neuroeixo e até mesmo a procedimentos sem anestesia, neste caso utilizou-se a anestesia venosa que proporcionou condições adequadas para o procedimento anestésico-cirúrgico.

Keywords : ANESTESIA, Geral [venosa]; DOENÇAS, Congênita [neuropatia hereditária sensorial e autonômica]; DOENÇAS, Congênita [insensibilidade congênita à dor].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese