SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 issue1Anesthesia in patients with positive direct coombs test: report of three casesFailure of subarachnoid blocks author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Abstract

SANTOS, Luciana Moraes dos et al. Causas incomuns de instabilidade hemodinâmica durante revascularização miocárdica sem circulação extracorpórea. Rev. Bras. Anestesiol. [online]. 2010, vol.60, n.1, pp. 84-89. ISSN 0034-7094.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942010000100010.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A revascularização miocárdica (RM) em pacientes com hipertrofia e/ou disfunção ventricular é frequentemente realizada sem utilização de circulação extracorpórea (CEC) porque o desmame da CEC pode ser difícil nesses casos. O controle intraoperatório exige ajuste hemodinâmico estrito, bem como uso de pinçamento aórtico parcial para minimizar alterações hemodinâmicas é efetivo. O objetivo foi relatar dois casos de instabilidade hemodinâmica durante RM sem CEC, após pinçamento parcial da aorta. RELATO DOS CASOS: No primeiro caso, a paciente do sexo feminino apresentava diâmetro aórtico ligeiramente reduzido (2,8 cm) e o segundo paciente apresentava fração de ejeção ventricular esquerda (FEVE) de 24% à ecocardiografia. Em ambos os casos, observou-se importante hipotensão arterial e elevação da pressão arterial pulmonar imediatamente após pinçamento aórtico. As equipes cirúrgicas foram avisadas e a instabilidade hemodinâmica de cada caso resolvida após a liberação do pinçamento parcial da aorta. Os pinçamentos posteriores foram realizados em menor área aórtica e as anastomoses proximais realizadas sem intercorrências. CONCLUSÕES: Embora as causas mais comuns de instabilidade hemodinâmica durante a RM sem CEC refiram-se à manipulação da posição cardíaca e a alterações da pré-carga ventricular, nesses casos, hipotensão arterial e hipertensão pulmonar deveram-se, provavelmente, à diminuição do débito cardíaco secundário ao aumento da pós-carga em pacientes com pequeno diâmetro relativo da aorta ou disfunção ventricular ocorridos mesmo com pinçamento parcial. A adequada monitoração intraoperatória e a correção imediata de alterações hemodinâmicas podem minimizar a morbimortalidade cirúrgica.

Keywords : CIRURGIA, Cardíaca [revascularização do miocárdio]; CIRURGIA, Cardíaca [sem circulação extracorpórea]; COMPLICAÇÕES [disfunção ventricular esquerda]; COMPLICAÇÕES [baixo débito cardíaco]; MONITORAÇÃO [cateter artéria pulmonar].

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese