SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.38 issue3Cytomegalovirus infection in a day-care center in the municipality of São PauloCross-reactivity of antibodies in human infections by the kinetoplastid protozoa Trypanosoma cruzi, Leishmania chagasi and Leishmania (Viannia) braziliensis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

Print version ISSN 0036-4665

Abstract

SANTOS, Fernanda Teixeira dos; PINTO, Viviane M.  and  GRAEFF-TEIXEIRA, Carlos. Evidências contrárias a um papel significativo de Mus musculus como hospedeiro natural do Angiostrongylus costaricensis. Rev. Inst. Med. trop. S. Paulo [online]. 1996, vol.38, n.3, pp. 171-175. ISSN 0036-4665.  http://dx.doi.org/10.1590/S0036-46651996000300002.

Roedores silvestres tem sido descritos como os hospedeiros mais importantes do Angiostrongylus costaricensis na América Central e no Brasil. Roedores sinantrópicos aparentemente não desempenham um papel significativo como hospedeiros naturais. Relata-se a pesquisa negativa para infecção em 14 camundongos capturados na casa de um doente com diagnóstico de angiostrongilose abdominal e dados da infecção experimental de animais de uma cepa "natural" de Mus musculus e de camundongos albinos Swiss. Não houve diferença significativa de mortalidade, que variou entre 42% e 80% para a cepa Swiss e 26% e 80% para a cepa " natural" (RGS). A alta mortalidade dos camundongos RGS infectados com A. costaricensis foi semelhante ao que é observado com várias cepas de laboratório. Estes dados podem ser tornados como indicações de que Mus musculus não é hospedeiro bem adaptado ao A. costaricensis, embora a susceptibilidade de camundongos "naturais" pareça ser maior, quando comparados com a cepa Swiss.

Keywords : Angiostrongylus costaricensis; Mus musculus; Angiostrongylosis.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English