SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.77 issue1Outbreak of human toxoplasmosis in a rural area. A three year serologic follow-up studyUnsusceptibility of Biomphalaria occidentalis to infection with a strain of Schistosoma mansoni author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Memórias do Instituto Oswaldo Cruz

Print version ISSN 0074-0276On-line version ISSN 1678-8060

Abstract

PERLOWAGORA-SZUMLEWICZ, Alina  and  MULLER, Carlos Alberto. Studies in search of a suitable experimental insect model for xenodiagnosis of hosts with Chagas' disease. 1 - Comparative xenodiagnosis with nine triatomine species of animals with acute infections by Trypanosoma cruzi. Mem. Inst. Oswaldo Cruz [online]. 1982, vol.77, n.1, pp.37-53. ISSN 0074-0276.  http://dx.doi.org/10.1590/S0074-02761982000100005.

Em busca de um inseto adequado para xenodiagnóstico em homens e animais comforma crônica da doença de Chagas investigamos, primeiramente, a resposta à infecção aguda com Trypanosoma cruzi, empregando nove espécies vetoras: Triatoma infestans, Triatoma dimidiata e Rhodnius prolixus, todas bem adaptadas a domicílios humanos. Triatoma rubrovaria e Rhodnius neglectus consideradas totalmente silvestres, Panstrongylus megistus, Triatoma sordida, Triatoma pseudomaculata, Triatoma brasiliensis, todas essencialmente silváticas, porém umas com nítida tendência de domiciliação e outras com colonização incipiente de habitações mantidas sob controle após erradicação bem sucedida de T. infestans. As proporções de insetos infectados e as cargas parasitárias nos mesmos, determinadas a fresco no conteúdo do tubo digestivo nos diferentes intervalos após um único repasto em animais infectados indicam que P. megistus, T. rubrovaria, T. pseudomaculata e R. negletus constituem o melhor meio natural para evolução e proliferação da cepa Y do T. cruzi. Outras espécies em ordem descendente foram: T. sordida, T. brasiliensis, R. prolixus, T. infestans e T. dimidiata. Os resultados apresentados na Tabela IV não confirmam a experiência de outros investigadores no que se refere à melhor adaptação do T. cruzi a espécies locais de triatomíneos, nem ao volume do sangue ingerido; em outras palavras, a magnitude da carga parasitária ingerida não condiciona a positividade do xenodiagnóstico. Os dados obtidos tendem a apoiar uma hipótese alternativa, vinculando a prevalência, intensidade e a persistência da infecção ao tipo do biótopo associado com a espécie vetora. Enquanto o parasita produziu uma infecção moderada e ás vezes passageira no conjunto de espécies comiciliadas, esta foi maciça e persistente em espécies selvagens e nas essencialmente silvestres...

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License