SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 issue2A nursing team's approach to users of a mental health emergency roomSocial companies and solidary economy: perspectives for the work inclusion of individuals with mental disorders author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Escola de Enfermagem da USP

Print version ISSN 0080-6234

Abstract

LAMINO, Daniela de Araújo; MOTA, Dálete Delalibera Correa de Faria  and  PIMENTA, Cibele Andrucioli de Mattos. Prevalência e comorbidade de dor e fadiga em mulheres com câncer de mama. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2011, vol.45, n.2, pp.508-514. ISSN 0080-6234.  http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000200029.

O estudo analisou a prevalência e a comorbidade de dor e fadiga em mulheres com câncer de mama. Trata-se de estudo transversal, com amostra, não probabilística de 182 mulheres em tratamento ambulatorial para câncer de mama, entrevistadas no período de julho 2006 a março de 2007. Fadiga, avaliada pela Escala de Fadiga de Piper, foi dividida em duas categorias (escore 0,1-4,9 e >5-10). Dor, avaliada pela escala de 0-10, foi categorizada do mesmo modo que fadiga. Fadiga ocorreu em 94 mulheres (51,6%), sendo >5 em 44 (46,8%) delas. Dor ocorreu em 86 mulheres (47,2%), sendo >5 em 50 (58,1%). Fadiga e dor correlacionaram-se (r=0,38, p=0,003) e a comorbidade fadiga e dor foi de 38,3%. Dor intensa acentuou a fadiga (p=0,089) e fadiga intensa acentuou a dor (p=0,016). Tais dados são inéditos em nosso meio, confirmam a existência de um cluster de sintoma e dos prejuízos decorrentes dessa comorbidade.

Keywords : Neoplasias da mama; Fadiga; Dor; Cuidados paliativos.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · English ( pdf epdf ) | Portuguese ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License