SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número4Desidratação de manga: influência do pré-tratamento osmóticoe da adição de cloreto de cálcioDesenvolvimento de pessegueiro ‘Maciel’ sobre diferentes sistemas de propagação índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

ANGELOTTI-MENDONCA, Jéssika et al. Porta-enxertos na produção e qualidade de frutos da videira ‘Niagara Rosada’. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2018, vol.40, n.4, e-023.  Epub 27-Ago-2018. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452018023.

No Brasil, os viticultores têm trocado os porta-enxertos tradicionalmente utilizados por aqueles que conferem maior vigor à copa. O porta-enxeto altera a distribuição da fertilidade de gemas distribuídas nos ramos de videira e a expressão da mesma em produtividade. Portanto, essa alteração pode alterar o comprimento ideal de ramo no momento da poda. Diante disso, neste estudo, foram avaliadas a fertilidade de gemas, a produtividade e a qualidade da uva ‘Niagara Rosada’ enxertada em porta-enxertos: ‘IAC 766’, ‘IAC 572’, ‘IAC 313’, ‘IAC 571-6’ e ‘Riparia do Traviu’, sendo o porta-enxerto ‘IAC 766’ o mais utilizado no Estado de São Paulo, atualmente . As avaliações foram realizadas ao longo de três safras. Duas avaliações foram realizadas na temporada tradicional brasileira, e uma poda foi realizada no verão brasileiro, denominada “temporã” ou safrinha. Nos ciclos de produção tradicionais, a fertilidade de gemas foi avaliada da primeira à quarta gema, em 2014, e à quinta em 2015. No ciclo de produção de segunda safra ou temporã, a fertilidade de gemas foi avaliada a partir da quinta até a oitava gema. A produtividade e a qualidade dos frutos também foram avaliados ao longo dos três ciclos de produção. A elevada variabilidade dos resultados de fertilidade de gema de ‘Niagara Rosada’, combinada com estes porta-enxertos, mostraram que esta característica foi mais afetada pelas condições ambientais e características genéticas da variedade copa do que pelos porta-enxertos estudados. Não se observou efeito de porta-enxertos na produtividade e na qualidade de ‘Niagara Rosada’. Foram detectadas variações isoladas, e estas não são suficientes para confirmar a influência de porta-enxertos na variedade copa Niagara Rosada. Embora não tenha sido observado qualquer efeito dos porta-enxertos na fertilidade de gemas, na produtividade e na qualidade dos frutos, nas condições estudadas, todos os porta-enxertos são recomendados para cultivo de ‘Niagara Rosada’.

Palavras-chave : Vitis labrusca L.; uva; fertilidade de gemas.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )