SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.41 número4Aplicação das leis 10.639/03 e 11.645/08 nas aulas de educação física: diagnóstico da rede municipal de Fortaleza/CEEstilo interpessoal docente e desmotivação na educação física: validação das escalas no contexto brasileiro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciências do Esporte

versão impressa ISSN 0101-3289versão On-line ISSN 2179-3255

Resumo

HORTA, Thiago Andrade Goulart et al. Perfil da carga de treinamento no voleibol de alto rendimento: um estudo de caso. Rev. Bras. Ciênc. Esporte [online]. 2019, vol.41, n.4, pp.419-426.  Epub 13-Dez-2019. ISSN 0101-3289.  https://doi.org/10.1016/j.rbce.2018.06.008.

Analisar o perfil da carga de treinamento (CT) durante uma temporada de voleibol. Participaram 12 atletas masculinos (26,9 ± 4,6 anos) de uma equipe profissional. Foram analisadas 20 semanas, divididas em Período Preparatório (PP), Período Competitivo I (PC-I) e Período Competitivo II (PC-II). O método da Percepção Subjetiva do Esforço da sessão (PSE-S) foi usado para calcular a CT, a Monotonia e o Strain, bem como para comparar as semanas com diferentes números de jogos e entre as cinco posições. A CT diária (CTD) foi significativamente maior no PP do que no PC-I e PC-II (625, 400 e 363 unidades arbitrárias [UA], respectivamente), bem como a Monotonia e o Strain. A CT Semanal Total (CTST) foi significativamente menor na semana com dois jogos do que na semana com um jogo ou sem jogo (377, 500 e 622 U.A., respectivamente). Na comparação por posição, os atletas da Ponta obtiveram a maior CT (515 UA). Em conclusão, as maiores CT foram no PP, sem jogo e em atletas da posição de Ponta.

Palavras-chave : Voleibol; Educação física e Treinamento; Atletas; Monitoramento.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )