SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número3Efeito da diversificação de plantas na abundância da traça-do-tomateiro e predadores em dois sistemas de cultivoTipos de cobertura do solo e épocas de colheita na produção de melissa índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Horticultura Brasileira

versão impressa ISSN 0102-0536

Resumo

CARDOSO, Marinice O; OLIVEIRA, Ademar P de; PEREIRA, Walter E  e  SOUZA, Adailson P de. Crescimento, nutrição e produção de berinjela cultivada com esterco bovino e termofosfato magnesiano associados à urina de vaca. Hortic. Bras. [online]. 2009, vol.27, n.3, pp.307-313. ISSN 0102-0536.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362009000300008.

Objetivou-se estudar o crescimento do caule, a nutrição e a produção da berinjela cultivada com diferentes doses de esterco bovino (EB) e termofosfato magnesiano (TM) conforme a matriz Composto Central de Box (8,3-518; 8,3-3.018; 48,3-518; 48,3-3.018; 0,0-1.768; 56,6-1.768; 28,3-0,0; 28,3-3.536; 28,3-1.768). Foi acrescentado sulfato de potássio (SK, 24 g planta-1) e foram realizadas cinco aplicações de 500 mL planta-1 de uma solução de urina de vaca (UV, 10 L 100 L-1 H2O). Adicionaram-se os tratamentos TM sem UV e superfosfato triplo com uréia (ST com Ur), equivalendo em EB, P2O5 e SK à combinação 28,3-1.768. O delineamento experimental utilizado foi blocos casualizados, com três repetições. As doses de EB apresentaram efeito quadrático e proporcionaram a maior altura de planta (AP) e o maior diâmetro do caule, respectivamente, 29,1 t ha-1 de EB (69,84 cm) e 37,8 t ha-1 (19,8 mm). Porém, AP atingiu 86,87 cm quando essa dose de EB foi combinada com 3.536 kg ha-1 de TM, devido à interação positiva. O número de frutos, a produção por planta, o peso médio de frutos (PMF) e a produtividade aumentaram quadraticamente com as doses de EB, sem efeito do TM, atingindo valores máximos com 53,4 t ha-1 (13 frutos), 55,8 t ha-1 (2.822g), 47,8 t ha-1 (210 g) e 48,8 t ha-1 (34,3 t ha-1), respectivamente. Os teores foliares de N e P não variaram com os tratamentos. As doses de EB elevaram os teores foliares de K, Ca e S, com TM interagindo negativamente para Ca, e diminuíram os teores de Mg. A UV não afetou nenhum dos parâmetros. O ST com Ur superou o TM com UV para AP e os índices produtivos, exceto o PMF, bem como não diferiram para os teores foliares dos macronutrientes.

Palavras-chave : Solanum melongena; adubação orgânica; manejo alternativo; fertilização não-convencional.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons