SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número44A gênese da favela carioca. A produção anterior às ciências sociaisO que significa tornar-se outro? Xamanismo e contato interétnico na Amazônia índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciências Sociais

versão impressa ISSN 0102-6909versão On-line ISSN 1806-9053

Resumo

ALONSO, Angela. Crítica e contestação: o movimento reformista da geração 1870. Rev. bras. Ci. Soc. [online]. 2000, vol.15, n.44, pp.35-55. ISSN 0102-6909.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69092000000300002.

O artigo analisa o movimento intelectual da geração 1870 do ponto de vista do processo político. Critica as interpretações do movimento que enfatizam a influência de doutrinas estrangeiras e a origem social de seus membros e argumenta que o sentido dos seus escritos deve ser buscado na conjuntura de crise do Império. Deste ângulo, apresenta-se como um movimento de contestação da ordem imperial formado por grupos socialmente heterogêneos, mas que partilhavam uma mesma experiência de marginalização política. Autores e teorias estrangeiras são parte do repertório político-intelectual do oitocentos ao qual o movimento recorreu em busca de elementos para gerar uma interpretação da sociedade brasileira, exprimir sua crítica às instituições, valores e formas de agir característicos do status quo imperial e propor projetos de reforma. Dessa forma, positivismo, darwinismo, spencerianismo, novo liberalismo compõem modalidades de um mesmo reformismo.

Palavras-chave : Movimento intelectual; Geração 1870; Movimento reformista; Experiência social; Repertório.

        · resumo em Inglês | Francês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons