SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.63 issue10Knockout of p16INK4a promotes aggregative growth of dermal papilla cellsOral corticosteroids for asthma exacerbations might be associated with adrenal suppression: Are physicians aware of that? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230On-line version ISSN 1806-9282

Abstract

MADI, Marisa Riscalla  and  CERRI, Giovanni Guido. Rede de atenção oncológica: análise da estrutura de serviços habilitados. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2017, vol.63, n.10, pp.890-898. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/1806-9282.63.10.890.

Introdução:

O câncer chegou à agenda dos gestores de saúde, provocando-os a pensar em novos modelos de organização do sistema.

Objetivo:

Estudo da rede oncológica do Sistema Único de Saúde no estado de São Paulo por meio da análise da estrutura da rede instalada e habilitada para tratamento e suas características quanto ao perfil e à distribuição dos estabelecimentos, estrutura e serviços disponíveis e produção mínima anual para a manutenção da excelência.

Método:

Estudo de caso único e integrado, utilizando dados secundários do Datasus, Inca, RHC e CNES e dados primários de documentos oficiais do Comitê de Referência em Oncologia do Estado de São Paulo. Como parâmetros de referência, a Portaria SAS/MS n. 140 de 2014.

Resultados:

Em abril de 2013 estavam habilitados 72 estabelecimentos para atendimento de oncologia no SUS. Pelo critério populacional, o estado possuía um serviço habilitado para cada 581.961 habitantes, distribuídos de forma desigual pelas 17 RRAS. Com relação à estrutura e aos serviços disponíveis, 80% dos hospitais estavam em conformidade para cirurgias oncológicas, 31% para quimioterapia e 74% para radioterapia. Em relação à produção mínima, 13% dos hospitais estavam conformes em cirurgias oncológicas, 42% em quimioterapia e 14% em radioterapia.

Conclusão:

A rede instalada apresentava estrutura e tamanho suficiente para atender à demanda de casos novos de câncer, porém havia diferenças regionais e ampla variação de produção entre os serviços, o que provavelmente impactava no acesso dos pacientes, promovia a criação de filas de espera ao mesmo tempo que havia serviços com ociosidade nas instalações.

Keywords : oncologia; serviços de saúde; políticas; planejamento e administração em saúde.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )