SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.65 issue10Current status of Brazilian interprofessional education: a national survey comparing physical therapy and medical schoolsBasal insulin persistence in Brazilian participants with T2DM author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230On-line version ISSN 1806-9282

Abstract

ALMEIDA, Kelson James et al. Clinical aspects of congenital microcephaly syndrome by Zika virus in a rehabilitation center for patients with microcephaly. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2019, vol.65, n.10, pp.1249-1253.  Epub Nov 07, 2019. ISSN 0104-4230.  https://doi.org/10.1590/1806-9282.65.10.1249.

OBJETIVO

Pretende-se, neste estudo, identificar a prevalência de variáveis clínicas em crianças com microcefalia.

MÉTODOS

Trata-se de um estudo transversal e observacional com dados coletados de prontuários de pacientes admitidos no ambulatório de microcefalia de um centro de referência em Teresina (PI). Foram coletados dados demográficos (gênero Ve idade) e clínicos (presença de epilepsia, disfagia, irritabilidade e comorbidades associadas). A frequência de Zika vírus como provável etiologia foi determinada a partir de padrões da tomografia computadorizada e da exclusão de outras etiologias por exames sorológicos.

RESULTADOS

Foram avaliados 67 prontuários de pacientes, sendo 31 do sexo masculino e 36 do sexo feminino, com idade média de 1 ano e 10 meses. As variáveis clínicas mais prevalentes foram epilepsia, presente em 47 das crianças (70,2%), e irritabilidade, em 37 (55,2%). Também com elevada frequência, 22 possuíam quadro de disfagia (32,8%) e 13 apresentavam comorbidades osteomusculares (19,4%). Apenas três pacientes da amostra tinham quadro de alterações cardiológicas (4,5%) e nenhuma comorbidade endocrinológica foi encontrada. Trinta e oito crianças da amostra (56,7%) apresentaram ZIKV como provável etiologia e, nesses casos, houve maior frequência de epilepsia e disfagia em comparação com outras etiologias, embora não de forma significativa estatisticamente.

CONCLUSÕES

Epilepsia, irritabilidade, disfagia e comorbidades osteomusculares foram as variáveis clínicas mais frequentes em crianças com microcefalia. Houve uma prevalência alta de síndrome de microcefalia congênita por ZIKV nessa amostra.

Keywords : Microcefalia; Zika vírus; Epilepsia; Transtornos da deglutição.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )