SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número3Deficiência de ferro, prevalência de anemia e fatores associados em crianças de creches públicas do oeste do Paraná, BrasilEstado nutricional e capacidade funcional na úlcera por pressão em pacientes hospitalizados índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista de Nutrição

versão impressa ISSN 1415-5273

Resumo

ARANTES, Cássia Irene Spinelli et al. Aleitamento materno e práticas alimentares de crianças menores de seis meses em Alfenas, Minas Gerais. Rev. Nutr. [online]. 2011, vol.24, n.3, pp. 421-429. ISSN 1415-5273.  http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732011000300005.

OBJETIVO: Determinar a prevalência da amamentação e avaliar o consumo de outros alimentos em crianças menores de seis meses em Alfenas, Estado de Minas Gerais. MÉTODOS: Trata-se de estudo epidemiológico transversal, realizado por meio de inquérito domiciliar com uma amostra de 126 crianças nascidas em 2008. Os dados foram obtidos a partir de formulário com o recordatório de 24 horas da alimentação da criança e outras questões. Na análise dos dados, foi utilizado o Programa Epi Info, versão 6.04. Foi determinada a prevalência das diferentes categorias de amamentação (amamentação exclusiva, amamentação predominante, amamentação complementada e amamentação) segundo faixas etárias. O Teste de Fischer e o Teste qui-quadrado foram calculados na associação de variáveis com o aleitamento materno. RESULTADOS: A prevalência da amamentação exclusiva em crianças menores de seis meses foi de 37,3%. A introdução de alimentos semissólidos ocorreu acentuadamente a partir do quinto mês de vida. No sexto mês, 50,7% das crianças encontravam-se em amamentação complementada. As crianças menores de seis meses não amamentadas, comparadas com as amamentadas, apresentaram prevalências significativamente maiores quanto ao consumo de água, frutas e comida da família. Não foram encontradas diferenças significativas entre a amamentação exclusiva até o sexto mês e as variáveis maternas estudadas. CONCLUSÃO: Apesar de vários resultados deste estudo apresentarem-se superiores aos de outros municípios, a prevalência do aleitamento materno em Alfenas ainda está distante da recomendação de que crianças recebam exclusivamente leite materno até os seis meses de idade.

Palavras-chave : Aleitamento materno; Leite humano; Nutrição do lactante; Prevalência.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português