SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.120 número3Accuracy of the 14C-urea breath test for the diagnosis of Helicobacter pyloriIdentification of a criminal by DNA typing in a rape case in Rio de Janeiro, Brazil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Sao Paulo Medical Journal

versão impressa ISSN 1516-3180

Resumo

TORRES, José Carlos Campos et al. Risk-of-Malignancy Index in preoperative evaluation of clinically restricted ovarian cancer. Sao Paulo Med. J. [online]. 2002, vol.120, n.3, pp. 72-76. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802002000300003.

CONTEXTO: Não existem métodos pré-operatórios adequados para diferenciar massas pélvicas benignas de malignas. A avaliação do CA 125, dos achados ultra-sonográficos e do estado menstrual têm sido testados como métodos diagnósticos isolados. O uso destes três métodos em associação poderia levar a um aumento do seu desempenho. OBJETIVOS: Avaliar o índice de risco de malignidade incorporando a dosagem de CA 125 sérico, escore ultra-sonográfico e estado menopausal, no diagnóstico pré-operatório de mulheres com massas pélvicas clinicamente restritas ao ovário e sem evidências claras de malignidade. TIPO DE ESTUDO: Estudo de corte transversal. LOCAL: Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher, Universidade Estadual de Campinas. PARTICIPANTES: 158 mulheres admitidas entre janeiro de 1996 à março de 1998 para exploração cirúrgica de massa pélvica ovariana. PROCEDIMENTOS: O índice de risco de malignidade foi calculado como US x M x CA 125, avaliados pré-operatoriamente. Achados ultra-sonográficos foram classificados de acordo com a forma, tamanho, multiplicidade, presença de envolvimento de parede ou ascite em um sistema de escore (US). Para o estado menopausal foi considerada a pontuação de 1 para pré-menopausal e 3 para pós-menopausal (M), e a dosagem dos níveis séricos de CA 125 sérico foi considerada em seu valor absoluto. ANÁLISE ESTATÍSTICA: As variáveis mais relevantes foram incluídas em um modelo de regressão logística múltipla, usando o escore ultra-sonográfico, o nível de CA 125 e o estado menopausal. Foi usada para avaliar o desempenho de cada preditor individual em determinar a malignidade destes tumores e identificar o índice de risco de malignidade. RESULTADOS: O melhor desempenho individual foi encontrado na dosagem de CA 125 (sensibilidade de 78%, especificidade de 75%), seguido pelo escore ultra-sonográfico (sensibilidade de 75%, especificidade de 73%) e estado menopausal (sensibilidade de 73%, especificidade de 69%). O desempenho obtido pelo índice de risco de malignidade no ponto de corte de 150 foi sensibilidade e especificidade de 79%. A área sob a curva ROC para o índice de risco de malignidade foi 0,90, maior que a área para o CA 125 (0,83) ou escore ultra-sonográfico (0,79). CONCLUSÃO: O índice de risco de malignidade usando escore morfológico ultra-sonográfico, dosagem de CA 125 sérico e estado menopausal pode ser de valor no acesso pré-operatório do carcinoma ovariano.

Palavras-chave : Câncer de ovário; CA 125; Ultra-sonografia; Estado menopausal; Risco de malignidade.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês