SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 issue3Postural alterations in male Brazilian athletes who have participated in international muscular power competitionsCar racing: in the heat of competition author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Medicina do Esporte

Print version ISSN 1517-8692

Abstract

POMPEU, Fernando A.M.S.; GABRIEL, Daniele; PENA, Bianca Gama  and  RIBEIRO, Pedro. Áreas de secção transversa do braço: implicações técnicas e aplicações para avaliação da composição corporal e da força dinâmica máxima. Rev Bras Med Esporte [online]. 2004, vol.10, n.3, pp. 202-206. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922004000300010.

As áreas do tecido muscular (AMB) e do anel de gordura do braço (AGB), podem ser estimadas por medidas antropométricas. OBJETIVO: Investigar a validade e o erro intertestador da antropometria para inferência AMB e do AGB. Secundariamente, estudou-se a previsão da força dos membros superiores e tronco através da AMB. MÉTODOS: Foram voluntários para este estudo 40 adultos masculinos jovens (25 ± 6 anos; 72,6 ± 9,4kg), divididos aleatoriamente nos grupos de validade interna (VI, n = 30) e validade externa (VE, n = 10). Determinou-se para VI, através de conceitos geométricos, a área total do braço (ATB), AMB, AGB e área percentual de gordura do braço. O somatório de oito dobras cutâneas (SDC8) foi empregado como índice da adiposidade corporal. A força dos membros superiores e do tronco foi medida através da carga máxima alcançada no exercício supino reto livre (1-RM). As medidas antropométricas foram realizadas por dois avaliadores independentes. Os dados foram tratados por meio da análise de regressão, coeficiente de correlação intraclasse (ICC) e teste t de Student pareado (a < 0,05). RESULTADOS: A variância do SDC8 pode ser explicada em 93% (EPE = 14,6mm) a partir da AGB e do peso corporal. A AMB explicou em 66,1% (EPE = 9kg) a 1-RM. Não se observou diferença significativa, para o grupo VE, entre os valores medidos (84,2 ± 16,2kg) e preditos (78,4 ± 14,2kg) de 1-RM. Observou-se pouca variação entre os avaliadores para AMB (ICC = 0,99), AGB (ICC = 0,96) e ATB (ICC = 0,99). CONCLUSÃO: A antropometria pode ser empregada para inferência da AMB e do AGB, com boa concordância entre avaliadores, para estimativa da adiposidade corporal e da força dos membros superiores e tronco.

Keywords : Área muscular do braço; Área percentual de gordura do braço; Adiposidade corporal; Força voluntária máxima; Supino reto.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese