SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 issue3Postural alterations in male Brazilian athletes who have participated in international muscular power competitionsCar racing: in the heat of competition author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

Print version ISSN 1517-8692On-line version ISSN 1806-9940

Abstract

POMPEU, Fernando A.M.S.; GABRIEL, Daniele; PENA, Bianca Gama  and  RIBEIRO, Pedro. Áreas de secção transversa do braço: implicações técnicas e aplicações para avaliação da composição corporal e da força dinâmica máxima. Rev Bras Med Esporte [online]. 2004, vol.10, n.3, pp.202-206. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922004000300010.

As áreas do tecido muscular (AMB) e do anel de gordura do braço (AGB), podem ser estimadas por medidas antropométricas. OBJETIVO: Investigar a validade e o erro intertestador da antropometria para inferência AMB e do AGB. Secundariamente, estudou-se a previsão da força dos membros superiores e tronco através da AMB. MÉTODOS: Foram voluntários para este estudo 40 adultos masculinos jovens (25 ± 6 anos; 72,6 ± 9,4kg), divididos aleatoriamente nos grupos de validade interna (VI, n = 30) e validade externa (VE, n = 10). Determinou-se para VI, através de conceitos geométricos, a área total do braço (ATB), AMB, AGB e área percentual de gordura do braço. O somatório de oito dobras cutâneas (SDC8) foi empregado como índice da adiposidade corporal. A força dos membros superiores e do tronco foi medida através da carga máxima alcançada no exercício supino reto livre (1-RM). As medidas antropométricas foram realizadas por dois avaliadores independentes. Os dados foram tratados por meio da análise de regressão, coeficiente de correlação intraclasse (ICC) e teste t de Student pareado (a < 0,05). RESULTADOS: A variância do SDC8 pode ser explicada em 93% (EPE = 14,6mm) a partir da AGB e do peso corporal. A AMB explicou em 66,1% (EPE = 9kg) a 1-RM. Não se observou diferença significativa, para o grupo VE, entre os valores medidos (84,2 ± 16,2kg) e preditos (78,4 ± 14,2kg) de 1-RM. Observou-se pouca variação entre os avaliadores para AMB (ICC = 0,99), AGB (ICC = 0,96) e ATB (ICC = 0,99). CONCLUSÃO: A antropometria pode ser empregada para inferência da AMB e do AGB, com boa concordância entre avaliadores, para estimativa da adiposidade corporal e da força dos membros superiores e tronco.

Keywords : Área muscular do braço; Área percentual de gordura do braço; Adiposidade corporal; Força voluntária máxima; Supino reto.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · English ( pdf epdf ) | Portuguese ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License