SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 issue3Hydration status in athletes on 15 km street race under elevated heat stressThe influence of body composition in the strength of elderly Brazilian men author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

Print version ISSN 1517-8692On-line version ISSN 1806-9940

Abstract

PARDONO, Emerson et al. Hipotensão pós-exercício de homens jovens e normotensos em sessões de corrida em pista. Rev Bras Med Esporte [online]. 2015, vol.21, n.3, pp.192-195. ISSN 1517-8692.  http://dx.doi.org/10.1590/1517-869220152103137534.

INTRODUÇÃO:

Após uma única sessão de exercício físico a pressão arterial é reduzida (hipotensão pós-exercício, HPE) e esta redução é considerada como um mecanismo não farmacológico para controlar a pressão arterial. Quando realizado desde a juventude, a atividade física pode prevenir ou evitar o surgimento da hipertensão arterial. Contudo, é importante considerar a realização de estudos com aplicações práticas claras para que seja otimizada a sua reprodutibilidade durante o dia-a-dia.

OBJETIVO:

Analisar a HPE em indivíduos jovens, normotensos e fisicamente ativos após duas sessões de corrida em pista (máxima e submáxima).

MÉTODOS:

Participaram deste estudo 62 homens fisicamente ativos (23,3 ± 4,2 anos; 75,5 ± 9,8 kg; 177,7 ± 5,5 cm; 12,0 ± 4,6% de gordura corporal; 52,4 ± 4,0 mL.kg-1.min-1 consumo de oxigênio), os quais foram submetidos a um teste de exercício laboratorial para determinação do consumo máximo de oxigênio (VO2max - potência aeróbica) e subsequentemente três sessões aleatórias de corrida (máxima - T1600; submáxima - T20; controle - CON), com 48h de intervalo entre elas. A pressão arterial foi aferida a cada 15 min durante um período de 60 min após as sessões.

RESULTADOS:

Ambos os exercícios (máximo e submáximo) proporcionaram HPE. Os valores pós-exercício da pressão arterial sistólica e diastólica diferiram dos valores de repouso na sessão T20 (p<0,05). O mesmo padrão ocorreu após o T1600 (p<0,05), evidenciado no 30.º minuto pós-exercício. A sessão CON não resultou em HEP. A magnitude do decaimento para a pressão arterial média no 45.º minuto após o exercício máximo foi maior que nas demais sessões (p<0,05).

CONCLUSÃO:

Concluímos que ambas as sessões de corrida em pista, máxima e submáxima, proporcionaram HPE em homens normotensos e fisicamente ativos.

Keywords : exercício; pressão arterial; hipotensão pós-exercício.

        · abstract in English | Spanish     · text in English     · English ( pdf )