SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 número1Adaptação do módulo genérico DISABKIDS® para crianças e adolescentes brasileiros com condições crônicasDiagnóstico da Síndrome de Turner: a experiência do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia - Rio de Janeiro, de 1970 a 2008 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil

versão impressa ISSN 1519-3829

Resumo

VIEIRA, Regina Coeli da Silva et al. Prevalência e fatores de risco para anemia em crianças pré-escolares do Estado de Alagoas, Brasil. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. [online]. 2010, vol.10, n.1, pp.107-116. ISSN 1519-3829.  https://doi.org/10.1590/S1519-38292010000100011.

OBJETIVO: estimar a prevalência e os fatores de risco associados à anemia na população de pré-escolares do Estado de Alagoas, Brasil. MÉTODOS: estudo transversal com amostra probabilística de 666 crianças de 6 a 60 meses de idade. Por meio de inquérito domiciliar, realizado de novembro de 2005 a fevereiro de 2006, coletaram-se dados antropométricos, ambientais, demográficos, socioeconômicos, de saúde, de utilização de serviços públicos e a presença de morbidades. A concentração de hemoglobina (Hb) foi mensurada em fotômetro HemoCue®, considerando-se como anemia o nível <11 g/dL. Para identificar correlações usou-se o teste de Pearson. O teste X2 foi usado para analisar associações entre variáveis categóricas. A associação da anemia com as variáveis preditoras foi verificada por meio de análise de regressão logística múltipla. Adotou-se p<0,05 como nível crítico para definir significância estatística. RESULTADOS: a prevalência de anemia foi de 45,0%. O nível de Hb se correlacionou de forma positiva e significativa à idade (r=0,44; p<0,01). A prevalência máxima ocorreu na faixa etária de 6 a 12 meses (75,2%). A análise multivariada identificou as seguintes variáveis associadas à anemia: idade da criança <36 meses (p<0,001) e domicílio com cinco ou mais pessoas (p=0,031). CONCLUSÕES: a prevalência de anemia apresentou magnitude que a caracteriza como grave problema de saúde pública em Alagoas. As famílias mais numerosas e com crianças menores de três anos são aquelas que devem receber maior nível de atenção.

Palavras-chave : Anemia; Epidemiologia; Criança; Fatores de risco; Estudos transversais.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons