SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.67 número1Diet of Physalaemus cf. cicada (Leptodactylidae) and Bufo granulosus (Bufonidae) in a semideciduous forestProlonged use of the food dye tartrazine (FD&C yellow n° 5) and its effects on the gastric mucosa of Wistar rats índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Brazilian Journal of Biology

versión impresa ISSN 1519-6984versión On-line ISSN 1678-4375

Resumen

FIDALGO, AO.  y  KLEINERT, AMP.. Comportamento de forrageamento de Melipona rufiventris Lepeletier (Apinae; Meliponini) em Ubatuba, SP, Brasil. Braz. J. Biol. [online]. 2007, vol.67, n.1, pp.133-140. ISSN 1519-6984.  http://dx.doi.org/10.1590/S1519-69842007000100018.

Este estudo descreve como a atividade de forrageamento de Melipona rufiventris é influenciada pelo ambiente e/ou pelo estado da colônia. Duas colônias foram estudadas em Ubatuba, SP (44° 48’ W and 23° 22’ S), de julho de 2000 a junho de 2001. Estas colônias foram classificadas como forte (Colônia 1) e intermediária (Colônia 2), de acordo com as condições gerais das mesmas: tamanho da população e dos favos de cria e número de potes de alimento. As abelhas foram ativas do amanhecer ao anoitecer. O número de cargas de pólen apresentou correlação positiva com a umidade relativa (rs = 0,401; p <0,01) e foi maior entre 70 e 90%. Entretanto, foi negativamente relacionado com a temperatura (rs = -0,228; p <0,01), com pico entre 18 e 23 °C. O número de cargas de néctar apresentou correlação positiva com a temperatura (rs = 0,224; p <0,01) e com a intensidade luminosa (rs = 0,414; p <0,01); sendo maior entre 50 e 90% de umidade relativa e entre 20 e 30 °C de temperatura. Elas coletaram mais néctar do que pólen ao longo do dia, sendo mais ativas entre 6 e 9 hours. A Colônia 1 (forte) coletou néctar em maiores quantidades e mais cedo que a colônia 2 (intermediária). O número de cargas de pólen, néctar e resina coletadas variou consideravelmente entre os dias de estudo. Os picos de coleta de pólen ocorreram mais cedo nos meses com dias mais longos e com clima mais quente e úmido. O comportamento de forrageio de M. rufiventris é provavelmente afetado pelo estado da colônia e por condições ambientais como temperatura, umidade relativa, intensidade luminosa e comprimento do dia.

Palabras clave : Melipona rufiventris; Apinae; Meliponini; comportamento de forrageio; néctar; pólen.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons