SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número2Avaliação microbiológica da eficácia do bochecho de clorexidina prévio à moldagem da cavidade bucalDisplasia cemento-óssea florida e osteomielite: relato de caso de uma apresentação simultânea índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Odonto Ciência

versão On-line ISSN 1980-6523

Resumo

KARSBURG, Rafael Machado et al. Lesões faciais por osteodistrofia renal em paciente com insuficiência renal crônica: relato de caso. Rev. odonto ciênc. [online]. 2012, vol.27, n.2, pp. 161-165. ISSN 1980-6523.  http://dx.doi.org/10.1590/S1980-65232012000200013.

OBJETIVO: A Insuficiência Renal Crônica (IRC) é o último estágio da doença renal crônica, na qual o rim perde sua função de filtração e endócrina. A hipofunção endócrina renal ocasiona danos generalizados ao organismo, que no conjunto são conhecidos como Síndrome Urêmica, sendo composta por danos que comprometem o sistema nervoso central, assim como os sistemas cardiovasculares, hematológicos, dermatológicos, oftálmicos, endócrinos, respiratórios, gastrointestinais e ósseos. O presente estudo irá relatar o caso de uma paciente portadora de IRC apresentando osteodistrofia em face do tipo osteíte fibrosa, evidenciando as principais características dessa doença. DESCRIÇÃO DO CASO: Uma paciente de 24 anos, sexo feminino, caucasiana, apresentou glomerulonefrite recorrente após perda do rim transplantado, estando sob hemodiálise três vezes por semana. Apresentou inchaço da área do m. masseter esquerdo com consistência dura à palpação, coberto por pelo de aspecto normal, inchaço do átrio esquerdo, com consistência dura e ausência de sinais inflamatórios, sugerindo lesões ósseas na face. Estas características eram compatíveis com tumor marrom de hiperparatireoidismo e/ou osteodistrofia. A imagem de tomografia computadorizada mostrou lesões ósseas expansivas de aparência heterogênea na mandíbula esquerda, assoalho da maxila e nasal, e nas áreas de sutura frontotemporal direita. As características clínicas e histopatológicas da lesão, em associação com níveis séricos elevados de hormônio PHT conduziram ao diagnóstico de osteodistrofia renal. A paciente foi encaminhada para o serviço de nefrologia. CONCLUSÃO: As alterações ósseas osteodistróficas são de grande prevalência em pessoas com doença renal, tendo o cirurgião-dentista o dever de levá-las em consideração no diagnóstico de lesões ósseas neste grupo específico de pessoas.

Palavras-chave : Insuficiência renal crônica; diálise renal; osteodistrofia renal.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês