SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 número5Speech profile of patients undergoing primary palatoplastySpeech-language therapy to elderly patients in a health care network in Florianópolis: a health surveillance initiative índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


CoDAS

versión On-line ISSN 2317-1782

Resumen

ALMEIDA, Maria Helena Morgani de et al. Avaliação da atenção primária em saúde por usuários com e sem deficiência. CoDAS [online]. 2017, vol.29, n.5, e20160225.  Epub 26-Oct-2017. ISSN 2317-1782.  https://doi.org/10.1590/2317-1782/20172016225.

Objetivo

Avaliar atributos essenciais (acesso de primeiro contato, longitudinalidade, integralidade e coordenação da atenção) e derivados (orientação familiar e comunitária) da Atenção Primária em Saúde (APS) na percepção de usuários com e sem deficiência.

Método

Estudo transversal observacional utilizando o questionário Primary Care Assesment Tool em usuários autodeclarados com e sem deficiência de cinco unidades básicas de saúde de um município no qual 55% da população depende do SUS. Foram atribuídos escores para as respostas dadas a cada atributo de atenção primária à saúde avaliado.

Resultados

Participaram 93 usuários (67 com e 26 sem deficiência). Não houve diferença estatisticamente significante para nenhum dos atributos na comparação entre pessoas com e sem deficiência. Para o grupo como um todo, obtiveram-se escores acima do critério de corte: Grau de afiliação, Acesso de primeiro contato (utilização), Longitudinalidade e Coordenação da atenção (sistema de informação). Receberam pior avaliação: Acesso de primeiro contato (acessibilidade), Coordenação da atenção (integralidade do cuidado), Integralidade (serviços disponíveis e prestados) e Orientação familiar e comunitária. Os usuários reconhecem que as equipes identificam problemas de locomoção e movimentação, mas que existem falhas no reconhecimento de problemas para ouvir, falar e enxergar; e na orientação das pessoas que necessitam de auxílio e das que prestam cuidados.

Conclusão

Os usuários com e sem deficiência avaliaram de forma semelhante a atenção que recebem e indicaram fragilidades no reconhecimento de demandas específicas. Há necessidade de mudanças (estruturais e do processo de trabalho) para assegurar acessibilidade, integralidade do cuidado e orientação familiar e comunitária e, assim, melhor qualificar a APS.

Palabras clave : Atenção Primária à Saúde; Pessoas com Deficiência; Acesso aos Serviços de Saúde; Integralidade em Saúde; Pesquisa sobre Serviços de Saúde; Sistema Único de Saúde.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués | Inglés     · Inglés ( pdf ) | Portugués ( pdf )