SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.58 issue6Postoperative delirium in the elderlyReply author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Rev. Bras. Anestesiol. vol.58 no.6 Campinas Nov./Dec. 2008

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942008000600013 

CARTAS AO EDITOR

 

Atelectasias durante anestesia: fisiologia e tratamento
(Rev Bras Anestesiol, 2008; 58(1):73-83)

 

 

Prezada Editora,

Foi com grande interesse que li o artigo 1 publicado na Revista Brasileira de Anestesiologia. Gostaria de parabenizar os autores pela louvável iniciativa. Preocupado em esclarecer alguns aspectos, me ocorreu fazer algumas comentários:

1) Os autores descrevem no artigo que a diminuição da complacência pulmonar e a piora das trocas gasosas seriam os parâmetros utilizados como critérios de indicação para as manobras de recrutamento alveolar. Não houve descrição no artigo sobre qual o instrumento biomédico, estratégia diagnóstica ou monitor que deveria ser utilizado durante a realização de um procedimento cirúrgico para a realização desse diagnóstico. Existe algum? Qual?

2) Os autores defendem que as manobras de recrutamento devem ser utilizadas sempre que possível; entretanto, não descrevem qual o momento ideal para o seu início. O III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica recomenda que as manobras sejam executadas logo após a instalação da anestesia geral, pois essa estratégia seria uma tentativa de minimizar o momento de maior aparecimento das atelectasias pulmonares durante uma cirurgia, o momento da indução anestésica 2.

3) Os autores descrevem que os benefícios das manobras de recrutamento vão além da reversão das atelectasias, parecendo fazer uma clara menção de que os benefícios são estendidos durante o período pós-operatório. Contudo, parecem faltar ensaios clínicos aleatórios com intervalo de confiança estreito e com adequado tempo de seguimento para respaldar os efeitos das manobras no pós-operatório, uma vez que o III Consenso de Ventilação Mecânica apresenta o grau de recomendação como B 2.

Aproveito ainda a oportunidade para aplaudir o grande esforço dos autores em tentar trazer ao anestesiologista brasileiro um conhecimento que traz diretamente benefícios ao paciente durante a realização de uma anestesia.

Fabiano Timbó Barbosa, TSA

 

REFERÊNCIAS

01. Malbouisson LMS, Humberto F, Rodrigues RR, Carmona MJC, Auler Jr JOC - Atelectasias durante anestesia: fisiopatologia e tratamento. Rev Bras Anestesiol, 2007; 58: 73-83.         [ Links ]

02. Auler Junior JOC, Galas FRBG, Hajjar LA, Franca AS - III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica: ventilação mecânica no intra-operatório. RBTI, 2007; 19: 393-398.        [ Links ]