SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 issue2Revistas eletrônicas disponíveis que podem contribuir para a divulgação do conhecimento em saúdeCaracterísticas evidenciáveis de estresse em discentes de enfermagem author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Latino-Americana de Enfermagem

Print version ISSN 0104-1169On-line version ISSN 1518-8345

Rev. Latino-Am. Enfermagem vol.7 no.2 Ribeirão Preto Apr. 1999

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11691999000200013 

Página do Estudante


 

PRÁTICA DE GRADUANDOS DE ENFERMAGEM REFERENTES A PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE ÚLCERA DE PRESSÃO

 

Elaine Maria L. Rangel1
Kátia G. Prado1
Amália L Machry1
Andréia Carla F. Rustici1
Maria Helena Larcher Caliri2


 

 

INTRODUÇÃO

A Úlcera de Pressão pode ser definida como "uma área localizada de necrose celular que tende a desenvolver-se quando os tecidos moles são comprimidos entre uma proeminência óssea e uma superfície dura por um período prolongado de tempo" (BERGSTROM et al., 1995).

Durante a hospitalização vários fatores de risco expõem os pacientes com déficit de mobilidade e/ou sensibilidade a desenvolverem úlceras de pressão ou a terem este problema agravado. Os grupos de maior risco são os idosos com diabetes, acidente vascular cerebral e problemas ortopédicos, os pacientes com lesão medular e aqueles com longa permanência em sala de cirurgia e unidades de terapia intensiva (VERSLUYSEN,1986; STOTTS & STEVEN, 1988; BRANDEIS et al., 1990)

A natureza multifatorial do problema requer um esforço de todos os membros da equipe multidisciplinar para a prevenção e tratamento no entanto, cabe à equipe de enfermagem a maior parcela do cuidado. O profissional de enfermagem é responsável pelo cuidado direto e pelo gerenciamento da assistência e precisa estar preparado para isto. Assim, é imprescindível que na sua formação adquira conhecimentos para o cuidado. Já Harmer e Henderson em seu clássico livro "Princípios e Práticas de Enfermagem", logo no início deste século afirmavam:

"a prevenção de úlceras de decúbito é de total responsabilidade da enfermeira assim, logo no início do seu treinamento, muito antes de lhe ser designado o cuidado de um paciente, ela deve aprender como cuidar do paciente para evitá-la."(Harmer e Henderson1922 apud COOPER, 1987).

Assim é de relevante importância a investigação das práticas realizadas pelos graduandos durante o curso de enfermagem referentes a prevenção e tratamento da úlcera de pressão.

 

OBJETIVOS

O presente estudo foi desenvolvido com o objetivo de identificar os cuidados prestados por graduandos de enfermagem na prevenção e tratamento de úlcera de pressão durante o curso de graduação em uma instituição pública do estado de São Paulo.

 

METODOLOGIA

A população do estudo foi composta de alunos do sétimo período do curso de graduação em enfermagem no ano de 1997. A amostra foi do tipo acidental e compreendeu os 33 alunos que aceitaram participar. Os dados foram coletados através de entrevista com o uso de um roteiro com questões estruturadas, desenvolvidas e validadas pelas pesquisadoras.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Dos 33 participantes do estudo, 16 (48%) tiveram oportunidade de prestar cuidados preventivos ou curativos a pacientes com úlcera de pressão ou potencial para o problema, 11(33%) referiram não terem cuidado e 6 (18%) só terem observado a prestação do cuidado. As experiências práticas ocorreram nos estágios das áreas de enfermagem médica (42%), fundamentos de enfermagem (36%) enfermagem cirúrgica (18%) e disciplinas na comunidade (4%). O estágio voluntário ofereceu experiência de aprendizagem para 30% dos 16 alunos que cuidaram nos estágios teórico práticos curriculares.

Foram citadas 179 medidas preventivas e curativas como cuidados de enfermagem prestadas aos pacientes sendo 164 citadas pelos alunos que tiveram experiências teórico práticas (média de 10,2 medidas por aluno) e 15 medidas citadas por 15 alunos que não cuidaram ou só observaram (média de 1 medida por aluno). Dois alunos não souberam citar medidas preventivas ou curativas. As medidas citadas com maior freqüência foram referentes a mudança de decúbito e uso de colchões e almofadas especiais para alívio da pressão. Dentre as medidas usadas para tratamento 21% são consideradas inadequadas na literatura científica como uso de povidine tópico, violeta de genciana, cobertura da ferida somente com gaze seca (MAKLEBUST & SIEGGREEN (1996), uso de roda d'água (GOULD, 1985) e massagem em regiões de hiperemia (BUSS et al., 1997). Nenhum aluno citou medidas relacionadas a cuidados com nutrição, educação do paciente e família para o auto cuidado ou o uso de escalas para avaliar o potencial de risco para o problema na admissão.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A prevenção e o tratamento da úlcera de pressão exige mais do que a redistribuição mecânica do peso corporal sendo necessário a identificação precoce dos fatores de risco, o tratamento das patologias de base quando presentes, a restauração e manutenção de uma nutrição adequada e a educação de pacientes e cuidadores formais e informais para o auto cuidado (KEMP et al., 1994).

Os alunos que participaram da pesquisa desconheciam muitas das medidas preconizadas na literatura para prevenção e tratamento da úlcera de pressão e utilizaram medidas contra indicadas que podem causar danos aos pacientes atendidos. Percebe-se assim que é de fundamental importância que sejam dadas aos alunos maiores oportunidades de cuidado durante as diversas disciplinas da graduação abordando os aspectos preventivos, terapêuticos e educacionais com a utilização de resultados de pesquisas de forma a permitir a aprendizagem dos princípios técnicos e científicos para uma prática ética e de qualidade. Torna-se também necessário a difusão dos resultados de pesquisa entre os enfermeiros docentes e aqueles atuando em hospitais e postos de saúde com uma discussão sobre práticas inadequadas utilizadas de forma a procurar estratégias de mudanças (TITLER et al., 1994).

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

01. BERGSTROM,N.; BENNET,M.A; CARLSON, C.E.et.al. Pressure ulcer treatment - Clinical Practice Guidiline. Quick reference guide for clinicians. Advances in Wound Care, v. 8, n. 2, p. 22-44, 1995.        [ Links ]

02. BRANDEIS, B. et al. The epidemiology end natural history of pressure ulcer in elderly nursing home residents. JAMA, v. 264, n. 22, 1990.        [ Links ]

03. BUSS, I.C.; HALFENS, R.J.G.; ABU-SAAD, H.H. The effectiveness of massage in preventing pressure sores: a literature review. Rehabilitation Nursing, v. 22, n. 5, p. 229-234, 1997.        [ Links ]

04. COOPER, D.N. Pressure ulcers: unpublished research 1976-1986. Process to Outcome. Nurs.Clin.North America, v. 22, n. 2, p. 475-491, 1987.        [ Links ]

05. GOULD, D. Pressure for change. Nursing Mirror, v. 161, n. 9, p. 28-30, 1985.        [ Links ]

06. KEMP, M.G. Protecting the skin from moisture. Journal of Gerontological Nursing, v. 20, n. 9, p. 8-14, 1994.        [ Links ]

07. MAKLEBUST, J.; SIEGREEN, M. Pressure ulcers: guidelines for prevention and nursing management. 2. ed. Springhouse, 1996.        [ Links ]

08. STOTTS, N.; STEVEN, M.P. Pressure ulcer development in surgical patients. Decubitus, v. 1, n. 3, p. 24-30, 1988.        [ Links ]

09. TITLER, M.G. et al. Infusing research into practice to promote quality care. Nursing Research, v. 43, n. 5, p. 307-313, 1994.        [ Links ]

10. VERSLUYSEN, M. How elderly patients with femoral fracture develop pressure sore in hospital. British Medical Journal, v. 292, p. 1311-1313, 1986.        [ Links ]

 

 

1 Discentes do 8º semestre de graduação em enfermagem da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo; 2 Professora Doutora do Departamento de Enfermagem Geral e Especializada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - Orientadora da Pesquisa

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License