SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue70“PAULOFREIREANISMO”: INSTITUTING A SECULAR THEOLOGY? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Educação

Print version ISSN 1413-2478On-line version ISSN 1809-449X

Rev. Bras. Educ. vol.22 no.70 Rio de Janeiro July/Sept. 2017

http://dx.doi.org/10.1590/s1413-24782017227043 

RESENHA

RESENHA

MELO, Geovana Ferreira; MALUSÁ, Silvana. Profissão docente na educação superior:, múltiplos enfoques. Jundiaí: Paco Editorial, 2015. 244 pp.

A obra Profissão docente na educação superior: múltiplos enfoques foi organizada por Geovana Ferreira Melo e Silvana Malusá. A primeira é doutora em Educação pela Universidade Federal de Goiás (UFG) desde 2007, atua nos cursos de Pedagogia, licenciatura e pós-graduação e atualmente é diretora de ensino da Pró-reitoria de Graduação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Já Silvana concluiu o doutorado em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP), em 2000, e o pós-doutorado em Educação/Formação de professores pela Universidade Católica de Petrópolis (UCP), em 2011. É professora associada II na UFU, atuante na Faculdade de Educação (FACED) nos programas de pós-graduação em Educação e em Tecnologias, Comunicação e Educação, além de coordenadora pedagógica do Doutorado Interinstitucional da UFU e da Universidade Federal do Amapá (DINTER/UFU/UNIFAP) e vice-diretora da FACED.

Em março de 2015, foi publicada a primeira edição do Profissão docente na educação superior: múltiplos enfoques. O livro é composto por uma coletânea de artigos que trazem reflexões acerca da educação superior em seus múltiplos enfoques. Os textos são resultados de debates do IV ENFORSUP,1 realizado, em 2012, na UFU, em Minas Gerais. A reflexão sobre (re)configurações da profissão docente na educação superior trazida por Kátia Ramos, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Desenvolvimento profissional docente na educação superior: elementos para uma reflexão sobre (re)configurações da docência na universidade inaugura a coletânea alertando o leitor sobre a importância da ampliação de debates que visam discutir o desenvolvimento profissional docente na universidade, assim como resgatar a indissociabilidade entre ensino e pesquisa como marca identitária da educação superior. A ideia discutida por Kátia Ramos nos permite aproximação a textos com temas recorrentes, como o desenvolvimento profissional docente na/para a educação superior condicionada à qualidade da educação, os saberes, as condições de trabalho e a restruturação da carreira na educação superior e profissional-tecnológica.

No tocante à formação e ao desenvolvimento profissional docente, se entrecruzam os textos de Ana Maria Iorio Dias e Betânia Leite Ramalho, Ser ou estar professor na educação superior, eis a questão: o professor aprende a ensinar?; o de Geovana Ferreira Melo, André Aparecido Lopes Cardoso e Giovana Márcia Cristina Bernini, Desenvolvimento profissional de professores no curso de Medicina da UFU; e o de Diva Souza Silva, Saberes envolvidos na formação superior à distância. Dias e Ramalho apresentam reflexões sobre a formação e o desenvolvimento profissional de docentes na universidade condicionados à qualidade dos processos de ensino e aprendizagem. Da mesma forma, Melo, Cardoso e Bernini trazem o resultado de uma pesquisa que buscou investigar o desenvolvimento profissional docente, saberes, práticas e a constituição da identidade dos professores universitários do curso de Medicina da UFU. Já Silva apresenta os resultados de um estudo que buscou investigar a formação em serviço de professores de Matemática, na modalidade à distância, por meio da Universidade Aberta do Brasil. Ambos os artigos revelam que os cursos de pós-graduação stricto sensu não preparam os professores para o magistério superior. Além disso, denunciam que, de maneira geral, os professores são contratados por suas habilidades como pesquisadores e muitos não têm as características específicas necessárias para o exercício da docência, pois a maior parte desses profissionais não teve acesso a uma formação pedagógica adequada ao exercício da profissão. Sem a devida formação pedagógica, os professores baseiam-se mais na imitação da docência que tiveram em seu processo formativo do que na incorporação do que seja o magistério no ensino superior nos dias atuais.

No que se refere aos saberes, há aproximação possível entre os artigos Docência na educação superior na perspectiva da aprendizagem baseada em problemas, de Ilma Passos Alencastro Veiga; Concepções de pedagogia universitária: uma análise do ensino ministrado nos cursos de Administração de empresa, Ciências contábeis e Direito no Brasil, de Silvana Malusá, Guilherme Saramago de Oliveira e Gilberto José Miranda; Saberes pedagógicos e docência universitária, de Cristina d’Ávila e Luiz Antônio Batista Leal; e Saberes envolvidos na formação superior à distância, de Diva Souza Silva. Veiga traz a ideia de docência integrada quando exercida na perspectiva de aprendizagem baseada em problemas, na qual os docentes encontram-se convidados a ultrapassar os limites de uma “grade curricular” atendendo ao princípio de indissociabilidade, caracterizada pelo tripé ensino, pesquisa e extensão. Malusá, Oliveira e Miranda apresentam os resultados decorrentes de uma investigação que tem como foco a pedagogia universitária, os saberes e sua mobilização pelos professores. Ao mesmo tempo, d’Ávila e Leal expõem questões pertinentes à prática docente dos professores universitários e os caminhos percorridos na mobilização dos seus saberes. E Silva buscou investigar também em sua pesquisa, além da formação em serviço, a relação dos saberes privilegiados no curso de licenciatura em Matemática com aqueles produzidos e mobilizados pelos alunos e professores. O diálogo dos autores com Paulo Freire reforça a relevância da coletânea para o estudo da profissão docente no ensino superior. Ele buscou na docência problematizadora um trabalho coletivo que consiste em conhecer os estudantes com quem se trabalha, instigando-os ao diálogo e fortalecendo o movimento ação-reflexão-ação. Em outras palavras, trata-se de uma relação pedagógica entre educador e educando que conduz a uma consciência crítica, na qual se almeja aprofundar a análise de problemas. Nesse sentido, a docência integrada, discutida pelos diferentes autores, encontra em Freire o seu significado.

Por fim, no contexto atual de amplas reformas do ensino superior, a discussão sobre as condições do trabalho docente e restruturação da carreira na educação superior e profissional-tecnológica se torna relevante, pois a docência universitária se vê alçada ao motor do desenvolvimento da sociedade e diretamente relacionada à qualidade da educação. Dessa forma, podemos abrigar os textos Conhecimento tácito e conhecimento explícito nos cursos superiores de base tecnológica: o desafio da expertise, de Cláudio Alves de Amorim; Desafios para a docência universitária frente às políticas de expansão da educação superior e outras demandas, de Graziela Giusti; e O docente no ensino superior: condições, precarização, intensificação do trabalho e a formação, de Olgaíses Maués. Amorim apresenta um estudo apontando os problemas que os cursos superiores nas áreas tecnológicas sofrem, além de trazer à tona questões de concepção e método. Além disso, ressalta a primazia do interesse financeiro sobre o educacional, com a expansão de faculdades particulares, sendo a maioria voltada ao lucro. Pachane faz algumas indagações sobre os desafios para a docência no ensino superior, como o contexto da expansão dessa modalidade e a flexibilização dos professores. A autora defende que até certo ponto essa flexibilização é importante, mas os professores acabam sendo obrigados a ter de encarar o desafio de serem profissionais multifacetados, obrigados a realizar diferentes atividades, que vão além do tripé ensino-pesquisa-extensão.

No entanto, “sem a devida valorização desse profissional, não haverá nenhuma formação que seja motivadora”, conforme aponta Maués. A autora traz as modificações no papel das instituições sociais e a prática docente devido à reconfiguração do modo de produção capitalista. Os artigos revelam que o capital transformou a educação em mercadoria, com a privatização das instituições de ensino superior e o apoio de políticas públicas. Essas mudanças ocasionam o adoecimento docente e a perda da atratividade da profissão devido às condições e à intensificação do trabalho, como também o aumento da produtividade e competitividade entre os pares. Nesse contexto, a resistência organizada por meio de sindicatos, entidades acadêmicas e científicas apresenta-se como eficaz na luta por melhores condições de trabalho e valorização do professor universitário.

Em conjunto, os dez capítulos do livro têm como escopo apresentar reflexões sobre a docência na educação superior e tecnológica no que se refere à formação, saberes, práticas, identidade profissional, desenvolvimento docente e políticas de expansão no ensino superior. As pesquisas apresentadas por meio dos ENFORSUPS apontam para a necessidade de políticas públicas que tragam direcionamentos sobre o que fazer para provocar mudanças com o intuito de assegurar a qualidade da educação com base na formação docente também qualificada. Não obstante, a discussão acerca da profissão docente no ensino superior torna-se fundamental no contexto atual em que esses profissionais lutam por melhores condições de trabalho. O apelo que Pachane faz em defesa dessa luta é o da tentativa de manutenção do encanto e da paixão pela docência, sobre a qual tantas vezes nos lembra Freire. Assim, a coletânea de artigos presentes nesse livro apresenta-se como um convite ao leitor que acredita na educação como principal instrumento de libertação e transformação social e na docência no ensino superior como luta contra as mazelas que definham essa modalidade de ensino nos dias atuais, com instituições sucateadas, submetidas ao capital e com a constante desvalorização dos profissionais da educação.

1Encontro Inter-regional Norte, Nordeste e Centro-Oeste de Formação Docente para a Educação Superior promovido pela Rede Inter-Regional Norte, Nordeste e Centro-Oeste sobre Docência na Educação Superior (RIDES).

Recebido: 09 de Novembro de 2015; Aceito: 08 de Dezembro de 2015

Flaviana das Mercês Ribeiro é mestre em educação pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). E-mail: flavianamr@yahoo.com.br

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons