SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 issue3The donation of João do Rio´s library to the Real Gabinete Português de Leitura: aspects of a little know historyEnsayo autobiográfico en diálogo con Prof. Rafael Capurro author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Perspectivas em Ciência da Informação

On-line version ISSN 1981-5344

Perspect. ciênc. inf. vol.15 no.3 Belo Horizonte  2010

http://dx.doi.org/10.1590/S1413-99362010000300014 

RESENHAS

 

 

Vera Regina Casari Boccato

Professora Adjunta, Departamento de Ciência da Informação, Universidade Federal de São Carlos

 

 

GIL LEIVA, Isidoro. Manual de indización: teoría y práctica. Gijón: Ediciones Trea, 2008. 429 p. (Biblioteconomía y Administración Cultural, 193). ISBN 978-84-9704-367.

Publicada a 1ª edição em 2008, o Manual de indización: teoria y práctica de autoria de Isidoro Gil Leiva, é uma obra voltada para o ensino e para a pesquisa que aborda a teoria, os conceitos e a prática da indexação de forma clara e objetiva, o que a torna uma importante fonte de informação para docentes e discentes que pretendem desenvolver trabalhos acadêmicos em nível de graduação e pós-graduação lato e stricto sensu.

O livro é dividido em seis capítulos que facilitam o entendimento de seu conteúdo arrolando, entre outros aspectos, com muita propriedade, o conceito de indexação, as etapas e os instrumentos que norteiam o desenvolvimento desse processo documental em sistemas de recuperação da informação de diversos ambientes organizacionais.

A obra inicia-se com um Prólogo elaborado pela Profa. Dra. Mariângela Spotti Lopes Fujita em que enfatiza a importância da obra de Gil Leiva a partir dos estudos iniciados em sua tese de doutorado (1997) e em sua publicação intitulada La automatización de la indización de documentos (Ediciones Trea, 1999) até a construção desta obra que amplia a visão e o conhecimento sobre a indexação vista como um processo cognitivo de análise e representação da informação documental.

Na contracapa da obra encontra-se uma síntese sobre a indexação e a estreita vinculação que ela mantém com a prática profissional, com o ressalto sobre sua importância no âmbito bibliográfico espanhol pelo qual estendemos para o contexto literário científico nacional e internacional.

No capítulo 1, El proceso cognitivo y la indización, observa-se a preocupação do autor em apresentar a indexação como um processo cognitivo de análise documental para a obtenção de um conjunto de unidades conceituais que representem integralmente um objeto ou uma necessidade de informação (GIL LEIVA, 2008, p. 66). Neste capítulo, observa-se o "olhar" do autor sobre aspectos relevantes que envolvem o processo de indexação, considerando, conforme relatado por Fujita (2008, p. 10) que [...] o indexador que realiza um processo cognitivo orientado para a indexação, [...] avança desde a variável texto, enquanto elemento de comunicação, até o leitor, com seu conhecimento prévio necessário para o processo de compreensão.

Essa visão, demonstra, também, o cenário paradigmático em que se encontra a Ciência da Informação a partir das perspectivas cognitivas e sociocognitivas na produção, organização, transferência e uso da informação. Ao lado da questão cognitiva no contexto da indexação, a relação entre indexação e recuperação da informação e a indexação na internet também são focalizadas pelo autor.

O capitulo 2, La indización, inicia-se com a contextualização da indexação no processo técnico documental que, segundo o autor, compreende [...] o conjunto de operações referentes a seleção, a aquisição, o registro e o tratamento dos documentos com a finalidade de possibilitar seu armazenamento e recuperação e sua posterior difusão. (GIL LEIVA, 2008, p. 55). Identifica-se, também, a indexação (além da classificação e da elaboração de resumos) como um dos processos constituintes da análise de conteúdo que, associada à análise de forma (descrição bibliográfica ou catalogação), compõem o tratamento documental. Em seguida, é discutido e abordado o conceito de indexação e salientadas as diferenças existentes entre a elaboração de índices e o processo para representação do conteúdo documental por meio da identificação e seleção de conceitos. Continuando, questões sobre exaustividade, precisão, correção e consistência são focalizadas, identificando-as como as "qualidades" características do processo de indexação.

Os capítulos 3 e 4 são apresentados em uma sequência lógico-temática, tratando, respectivamente, sobre os instrumentos de representação documental e sua aplicabilidade na prática da indexação.

Dessa maneira, o capítulo 3 - Herramientas para la indización - demonstra as vantagens e as desvantagens das linguagens natural e controlada como instrumentos de representação documental, com destaque para as listas de cabeçalhos de assunto e para os tesauros. As normas internacionais de construção, formato e gestão de linguagens controladas também são temários deste capitulo, além das questões referentes à manutenção e à atualização desses sistemas de organização do conhecimento. A avaliação é destaque, também, neste capítulo, ressaltado pela importância que esse processo possui, no contexto da indexação. Nessa perspectiva e subsidiado por Boccato (2009) acredita-se que as linguagens controladas devem ser elaboradas a partir de uma concepção multidimensional, contemplando as relações sintático-semânticas entre os termos advindos das áreas de especialidades e da linguagem do usuário. Com isso, o êxito da indexação será validado pela recuperação precisa da informação, por meio de uma linguagem controlada portadora de um repertório terminológico de alto nível de especialização e de rigor na sua construção. A avaliação permanente da linguagem deve ser um procedimento que a unidade de informação deve adotar, visando à atualização do vocabulário em consonância com o progresso e o vanguardismo que a ciência possui, explicitado pelas comunidades científicas e na geração do conhecimento. Nos ambientes digitais, o autor realizada abordagens sobre as linguagens de marcação para tesauros (Skos-Core e Zthes), os tesauros versus ontologias e sobre a interoperabilidade entre vocabulários controlados.

O quarto capitulo intitulado Práctica de la indización apresenta a prática da indexação mediante o uso de linguagem natural e de linguagens controladas (listas de cabeçalhos de assunto e tesauros) na representação do conteúdo de documentos audiovisuais, sonoros, gráficos e textuais e a importância do estabelecimento de uma política de indexação norteadora desse processo em sistemas de recuperação da informação. A indexação como prática do processo de análise e representação do conteúdo documental é ambientada nas bases de dados INSPEC, ERIC, MEDLINE, entre outras.

Acompanhando o desenvolvimento tecnológico presente em diversos setores e em inúmeras áreas do conhecimento, o autor reserva um espaço em sua obra para tratar sobre a Indización automática, título que nomeia o capítulo 5.

Este capítulo demonstra o conhecimento relevante que o autor possui diante de assuntos que envolvem a indexação automática, a partir de sua conceituação, a interdisciplinaridade existente entre a Linguística, a Terminologia, a Informática, entre outras áreas do conhecimento com o respectivo temário - indexação automática, além dos instrumentos utilizados nesta prática e na apresentação do protótipo SISA - Sistema de Indización Semi-Automático. Vale ressaltar que o referido protótipo foi objeto de estudo e desenvolvido pelo autor no momento da elaboração de sua tese de doutorado, em 1997, originando a construção da obra La automatización de la indización de documentos, já citada nesta resenha.

Finalizado pelo capítulo 6 - Evaluación de la indización, é apresentado os conceitos e os processos de avaliação intrínseca e extrínseca da indexação. A avaliação intrínseca distinguida entre avaliação intrínseca qualitativa e a avaliação intrínseca quantitativa é desenvolvida a partir dos resultados da indexação, dos descritores e cabeçalhos de assunto utilizados ou identificadores. Sobre a avaliação extrínseca, esta é aplicável por meio da adoção da avaliação extrínseca mediante a interconsistência e a avaliação extrínseca mediante a recuperação.Os resultados obtidos da prática da indexação são comparáveis em diferentes sistemas de recuperação da informação como catálogos e bases de dados.

Ressalta-se que nos capítulos podem-se encontrar figuras, quadros e tabelas que ilustram e explicitam com muita clareza os conteúdos abordados, bem como os exemplos apresentados.

Em complementação, foram incluídos três anexos, a saber: Anexo 1: Recomendaciones para un buen posicionamineto web; Anexo 2: Lenguajes de encabezamientos de matéria em bibliotecas nacionales; e Anexo 3: Ejemplo de metadatos usando el esquema de tesauros RDF/XM: Na seqüência encontra-se a bibliografia citada referente a cada capítulo.

Como abordagem final, evidencia-se a publicação não só de mais um livro sobre indexação, mas sim, uma obra apropriada ao meio científico-acadêmico que pretende mostrar um claro entendimento sobre a gênese do processo intelectual da indexação até a avaliação dos resultados apresentados. Acrescenta-se a isso, seu caráter inovador por aliar a teoria à prática da indexação, demonstrando o indexador não somente como um sujeito isolado do seu meio, mas inserido em um contexto sociocogntivo caracterizado "[...] por todas as formas de interação que podem produzir-se no decurso dessa atividade", exemplificadas pelo usuário, manual de indexação, linguagem documental e pela própria política de indexação definida e utilizada pelo sistema. (BOCCATO; FUJITA, 2006).

Como reflexão final, não vemos a obra Manual de indización: teoría y práctica tão somente como uma complementação aos estudos sobre as convergências e divergências que permeiam os postulados teóricos sobre a indexação derivados de suas correntes francesa, inglesa e espanhola. Vemo-la, sim, como uma contribuição, ao lado de estudiosos europeus como Chaumier (1988) e Lancaster (1993, 2004) de abordagens inovadoras sobre esse processo documental aplicável a diversos ambientes e recursos informacionais.

Sobre o autor, Isidoro Gil Leiva é Professor Titular da Facultad de Comunicación y Documentación da Universidad de Murcia, Espanha. É graduado em Biblioteconomia e Documentação (1992), licenciado em Geografia e História (1994) e se doutora, em 1997, pela mesma Universidade. Tem realizado conferências sobre Indexação automática em diversos países e colaborado com o ensino e com investigações na Costa Rica, Uruguai e Brasil. Atualmente, desenvolve pesquisas sobre o tema "Política de indexação na América Latina" com a colaboração científica, no Brasil, da Profa. Dra. Mariângela Spotti Lopes Fujita, Universidade Estadual Paulista - UNESP - campus de Marília.

 

REFERÊNCIAS

BOCCATO, V. R. C. Avaliação do uso de linguagem documentária em catálogos coletivos de bibliotecas universitárias: um estudo sociocognitivo com protocolo verbal. 2009. 301 f. Tese (Doutorado e Ciência da Informação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2009.         [ Links ]

BOCCATO, V. R. C.; FUJITA, M. S. L. A atividade de indexação nas perspectivas das concepções de assunto: o protocolo verbal como instrumento de avaliação qualitativa-cognitiva. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 14., 2006, Salvador. Anais... Salvador: UFBa, 2006. 1 CD-ROM.         [ Links ]

CHAUMIER, J. Indexação: conceito, etapas, instrumentos. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v.21, n.1/2, p. 63-79, jan./jun. 1988.         [ Links ]

FUJITA, M. S. L. Prólogo. IN: GIL LEIVA, I.. Manual de indización: teoria y práctica. Gijón: Ediciones Trea, 2008. p. 9-12. (Biblioteconomía y Administración Cultural, 193).         [ Links ]

GIL LEIVA, I. La automatización de la indización de documentos. Gijón: Ediciones Trea, 1999.         [ Links ]

LANCASTER, F. W. Indexação e resumos: teoria e prática. Tradução de Antonio Agenor Briquet de Lemos. Brasília: Briquet de Lemos, 1993.         [ Links ]

LANCASTER, F. W. Indexação e resumos: teoria e prática. Tradução de Antonio Agenor Briquet de Lemos. 2. ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.         [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License